Os novos «campeões de vendas». Todos os B-SUV que podem comprar

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Guia de Compra

Os novos «campeões de vendas». Todos os B-SUV que podem comprar

É um dos segmentos mais competitivos do mercado e não para de ganhar candidatos. Neste guia de compra reunimos todos os B-SUV à venda.

É um dos segmentos mais competitivos do mercado e afirma-se, cada vez mais, como um dos mais importantes: falamos do segmento dos SUV utilitários, também chamados de B-SUV.

Juntam a carroçaria da «moda» a um preço mais acessível e isso fez deles os novos «campeões de vendas». Não é, por isso, de estranhar que as marcas continuem a apostar forte nesta secção do mercado.

E se este já era um dos segmentos mais concorridos da atualidade, viu essa competição «feroz» reforçada em 2021, com duas estreias absolutas: Hyundai Bayon e Toyota Yaris Cross.

A NÃO PERDER: Os 11 novos SUV e Crossovers elétricos lançados em 2021. Qual escolher?

A estas duas novidades ainda se somaram sete renovações de modelos que já andavam por cá e que quiseram «refrescar-se» para continuar a encarar a concorrência.

Contas feitas, são mais de 20 as propostas B-SUV que podem comprar na atualidade no mercado nacional. E há mais três novos modelos a caminho em 2022…

Citroën C3 Aircross

Desde 16 587 euros

Citroen C3 Aircross

Lançado em 2017 e com 330 mil unidades vendidas, o Citroën C3 Aircross foi alvo do tradicional restyling de meia idade em 2021, seguindo o exemplo dado pelo seu «irmão», o C3.

Além dos habituais retoques estéticos no exterior, recebeu novos bancos, novas decorações interiores e muitas novidades tecnológicas, entre elas um novo ecrã tátil de 9” (compatível com Android Auto e Apple Car Play) e um head-up display.

A NÃO PERDER: Todos os preços do renovado Citroën C3 Aircross para Portugal

No que diz respeito à gama de motorizações, o C3 Aircross continua a ter duas propostas a gasolina e duas Diesel. A oferta a gasolina assenta no 1.2 PureTech com 110 cv ou 130 cv e caixa manual ou automática (ambas de seis relações), respetivamente.

Já a oferta Diesel consiste num bloco 1.5 BlueHDi, que pode ter 110 cv (cx. manual de seis) ou 120 cv (cx. automática de seis).

Dacia Duster

Desde 14 400 euros

Com mais de 1,9 milhões de unidades vendidas desde que foi lançado, em 2010, o Dacia Duster é um verdadeiro caso de sucesso, detendo o título de líder de vendas na sua classe na Europa desde 2019.

E para que este sucesso continue durante mais tempo, a Dacia aproveitou o ano de 2021 para lhe dar alguns retoques estéticos e para reforçar a oferta tecnológica. Destaca-se o novo ecrã de 8” do sistema de infoentretenimento, que é compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto.

A NÃO PERDER: Dacia Duster ECO-G (GPL). Com o preço dos combustíveis em alta, será este o Duster ideal?

No que à mecânica diz respeito, o renovado Duster continua a contar com uma motorização Diesel dCi 115 (a única que pode ser associada a um sistema de tração integral) e com três motores a gasolina (TCe 90, TCe 130 e TCe 150), sendo que esta última agora pode ser associada a uma caixa automática de dupla embraiagem EDC de seis velocidades.

A estas ainda se soma a versão bifuel a gasolina e GPL, que viu capacidade do depósito de gás aumentar em 50%, subindo para os 49,8 litros.

DS 3 Crossback

Desde 30 500 euros

Apresentado em 2018, o DS 3 Crossback vai ser alvo de uma renovação em 2022, onde deve receber alguns retoques visuais e um reforço da oferta multimédia e de sistemas de auxílio à condução.

Contudo, a gama de motorizações não deve sofrer mudanças. Recorde-se que atualmente este B-SUV francês está disponível com um motor a gasolina, o 1.2 PureTech (100 cv ou 130 cv), e com uma versão Diesel, a 1.5 BlueHDi, que pode ter 100 cv ou 130 cv de potência.

LEIAM TAMBÉM: Gama atualizada. DS 7 Crossback e DS 3 Crossback vão ser renovados em 2022

A somar a isto ainda há a versão 100% elétrica do modelo, a DS 3 Crossback E-Tense, que ainda recentemente viu anunciada um aumento de autonomia, que passa a estar fixada nos 341 km (WLTP).

Fiat 500X

Desde 22 980 euros

Fiat 500X Sport
Fiat 500X Sport © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Em 2021, toda a família 500 da Fiat foi renovada, inclusive o 500X, que é o representante da marca de Turim neste concorrido segmento.

No campo estético, não houve alterações a registar, mas o 500X ganhou tecnologia e novos níveis de equipamento, com destaque para o “Cult”, que estreou uma cor exclusiva no exterior: “Laranja Sicília”.

A NÃO PERDER: “Irmãos” e rivais. Colocámos à prova os Fiat 500X Sport e Jeep Renegade Orange Edition

Já a oferta de motorizações no 500X consiste em dois motores a gasolina — um 1.0 Turbo de 120 cv e 1.3 Turbo de 150 cv – e dois motores Diesel, um 1.3 Multijet de 95 cv e outro 1.6 Multijet de 130 cv.

Ford Ecosport

Desde 24 209 euros

Ford EcoSport, 2017

O Ecosport é o SUV mais pequeno da Ford, que está presente neste segmento com duas propostas (a outra é o Puma).

A última vez que sofreu uma atualização importante foi há quatro anos, mas ainda recentemente recebeu uma nova versão Active, que conta com diversos elementos decorativos que acentuam o visual aventureiro.

LEIAM TAMBÉM: Ford Ecosport. Tudo o que precisas de saber

Nesta fase apresenta-se exclusivamente com uma motorização, a 1.0 EcoBoost de 125 cv, associada a uma caixa manual de seis velocidades que envia a potência às rodas dianteiras.

Ford Puma

Desde 25 221 euros

É um dos modelos mais elogiados do segmento, muito por culpa da sua experiência de condução envolvente. Derivado do Fiesta, foi concebido de raiz para o mercado Europeu, onde tem triunfado desde que foi lançado, em 2020.

Disponível em Portugal com duas versões (Titanium e ST-Line), o Puma surge associado a apenas uma motorização 1.0 EcoBoost Hybrid, que pode ter dois níveis de potência: 125 cv e 155 cv.

A NÃO PERDER: Testámos o Ford Puma Vignale com caixa automática. O lado “mais fino” do Puma?

Mas falta falar da versão topo de gama (e a mais desportiva…) do modelo: Puma ST. Com uma imagem mais agressiva, fruto dos detalhes habituais das versões Ford Performance, o Puma ST destaca-se pelo motor que tem guardado debaixo do capô.

Trata-se do mesmo bloco 1.5 EcoBoost de três cilindros que encontramos no Fiesta ST e que aqui produz 200 cv de potência e 320 Nm de binário máximo. Podem ouvi-lo aqui:

Hyundai Bayon

Desde 19 450 euros

Há muito aguardado, o Hyundai Bayon chegou finalmente ao mercado nacional em 2021, posicionando-se como a “porta de entrada” para a gama SUV da marca sul-coreana.

Situado logo abaixo do Kauai (que também foi renovado), o Bayon assenta na mesma plataforma do Hyundai i20 e apresenta-se com uma só motorização e um nível de equipamento.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Hyundai Bayon 1.0 T-GDi Premium. Será que o Kauai se deve “preocupar”?

Trata-se do 1.0 T-GDi de 100 cv, que que surge associado a uma transmissão manual de seis relações ou automática de dupla embraiagem.

Hyundai Kauai

Desde 20 756 euros

Hyundai Kauai N Line 20
Restyling trouxe uma inédita versão N Line. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Lançado em 2017, o Kauai rapidamente se tornou um dos modelos mais populares da Hyundai na Europa e em 2021 passou pela habitual renovação de «meio ciclo» de vida.

Entre as principais novidades, destacam-se diversas melhorias, desde o design até à nova gama de motorizações, passando pelo reforço da tecnologia a bordo: adotou um quadrante 100% digital (em todas as versões) e recebeu um novo sistema de infotainment (8″ ou 10,25”).

A NÃO PERDER: Hyundai Kauai N Line. O que vale a vitamina “N” associada ao Diesel 1.6 CRDi 48 V?

Quanto às motorizações, o Kauai tem uma das gamas mais vastas do segmento. Está disponível com um motor 1.0 T-GDI de 120 cv (a mais vendida no nosso país) e com um bloco Diesel 1.6 CRDi de 136 cv que agora surge associado a um sistema mild-hybrid de 48 V.

A somar a isto temos ainda a versão híbrida (Kauai Hybrid) que combina um motor a gasolina 1.6 GDI de 105 cv e 147 Nm e um motor elétrico de 43,5 cv (32 kW) e 170 Nm que, juntos, oferecem uma potência combinada de 141 cv e 265 Nm.

Hyundai Kauai Electric 6
Hyundai Kauai Electric © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

E depois há o elétrico Kauai EV, que se apresenta com duas baterias — 39,2 kWh e 64 kWh — que oferecem, respetivamente, autonomias de 305 km e 484 km (WLTP). A mais pequena surge associada a um motor elétrico de 100 kW (136 cv) e a maior a um com 150 kW (204 cv).

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Hyundai Kauai N. O que vale o primeiro N em formato SUV?

E ainda nem falamos da versão N do Kauai, que chegou também em 2021 com um 2.0 l turbo (o mesmo motor do aclamado i30 N) que debita 280 cv e 392 Nm.

Jeep Renegade

Desde 22 673 euros

Jeep Renegade 4xe Trailhawk
Jeep Renegade 4xe Trailhawk © Fernando Gomes / editado por Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É uma espécie de «ponta de lança” da Jeep para a Europa e as vendas têm confirmado que foi uma aposta certeira por parte da marca norte-americana.

Com uma imagem que não passa despercebida e com vários elementos que nos remetem para o ADN típico da Jeep, o Renegade apresenta-se com três motorizações distintas: o Diesel 1.6 MultiJet de 130 cv e os 1.0 Turbo de 120 cv e 1.3 Turbo 150 cv (caixa DCT) a gasolina.

A NÃO PERDER: Renegade 4xe Trailhawk. Conduzimos o híbrido plug-in que vai onde os outros não vão

A somar a isto conta também com uma versão híbrida plug-in, denominada Renegade 4xe. Nesta variante o pequeno Jeep casa um motor 1.3 Turbo Firefly — com 130 cv ou 180 cv — com um motor elétrico montado no eixo traseiro.

No total são 190 cv (versão Limited) ou 240 cv (S e Trailhawk) de potência máxima combinada e uma autonomia em modo elétrico de até 50 km.

Kia Stonic

Desde 17 550 euros

Kia Stonic GT Line
Kia Stonic GT Line © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O renovado Kia Stonic chegou ao mercado português em 2021 e trouxe consigo muitas novidades: estéticas (versão GT Line é inédita), no capítulo das motorizações, na oferta tecnológica e na estruturação da gama.

Além dos novos sistemas de segurança e ajuda à condução, esta renovação deu ao Stonic um novo sistema de infoentretenimento com um ecrã de 8” e um painel de instrumentos de 4,2” com resolução melhorada.

LEIAM TAMBÉM: Kia Stonic ganhou linha GT Line e motorização «mild-hybrid». Convenceu?

Mas a maior novidade aconteceu mesmo na gama de motorizações, já que o Stonic passou a contar com uma versão mild-hybrid que associa um motor 1.0 de três cilindros (turbo) a um sistema elétrico de 48 V, para uma potência total de 120 cv. A transmissão está a cargo de uma caixa automática de dupla embraiagem de sete velocidades ou da caixa manual inteligente (iMT) de seis velocidades.

Já as restantes motorizações consistem no revisto 1.2 l atmosférico com 84 cv e na nova geração do 1.0 T-GDi de 100 cv, que surge acoplado a uma caixa manual de seis velocidades.

Nissan Juke

Desde 19 380 euros

Pode ser visto como o modelo que inventou o segmento há cerca de 10 anos, e em 2019 conheceu a sua segunda geração.

Cresceu em todas as direções, mas manteve o design divisivo que o caracteriza, ao mesmo tempo que tem por base a plataforma CFM-B, que também serve os Clio e Captur da Renault.

A NÃO PERDER: Nissan Juke Enigma testado. Será que ainda tem algo a esconder?

Quanto aos motores, apenas um, o 1.0 DIG-T de 117 cv e 180 Nm, que pode ser associado a uma caixa manual de seis velocidades e uma automática (dupla embraiagem) de sete velocidades.

Opel Crossland

Desde 20 239 euros

Opel Crossland

Foi em 2017 que o ficámos a conhecer, mas em 2021, e porque a idade já começava a acusar, o Opel Crossland foi alvo de um restyling de meia idade que lhe deu um novo visual e vários novos argumentos.

Disponível no mercado português com três níveis de equipamento — Business Edition, Elegance e GS Line (uma estreia na gama) —, o Crossland apresenta-se com propostas Diesel e a gasolina.

LEIAM TAMBÉM: Crossover por fora, monovolume por dentro. Opel Crossland renovado ainda é opção a ter em conta?

A oferta a gasolina é composta por um 1.2 de 83 cv (caixa manual de cinco velocidades) e pelo 1.2 Turbo com 110 cv ou 130 cv, que pode ser associado a uma caixa manual de seis relações ou a uma caixa automática de seis velocidades (só na versão mais potente).

Já a oferta Diesel assenta em apenas um motor, um 1.5 turbo Diesel com 110 cv e caixa manual de seis relações, mas com 120 cv quando associado à caixa automática de seis velocidades.

Opel Mokka

Desde 22 005 euros

Opel Mokka-e Ultimate
Opel Mokka-e Ultimate © Fernando Gomes; Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Nesta segunda geração (revelada em 2020), o Opel Mokka perdeu o “X” que carregava no nome e foi alvo de uma revolução completa, estreando, inclusive, a nova identidade visual da marca de Rüsselsheim, a Vizor.

Recorrendo à mesma plataforma dos «primos» Peugeot 2008 e DS 3 Crossback, o Opel Mokka apresenta-se com propostas Diesel, a gasolina e até com uma versão elétrica.

A NÃO PERDER: Mokka-e. Testámos o elétrico que abre uma nova era na Opel

A gama a gasolina é formada pelo motor 1.2 turbo de três cilindros com 100 cv e 130 cv. Já a oferta Diesel assenta num quatro cilindros de 1.5 litros de capacidade que produz 110 cv. Todos eles estão disponíveis com caixas manuais de seis velocidades, mas a automática de oito velocidades (EAT8) está reservada apenas para o 1.2 Turbo de 130 cv.

Já o Opel Mokka-e apresenta-se com um motor elétrico de 100 kW (136 cv) e uma bateria de 50 kWh, sendo que recentemente viu a sua autonomia crescer até aos 338 km (WLTP).

Peugeot 2008

Desde 20 570 euros

O Peugeot 2008 é o B-SUV mais vendido na Europa e na sua versão e-2008 lidera entre os SUV utilitários movidos exclusivamente a eletrões.

Era um dos lançamentos mais aguardados de 2020 e não desiludiu. Os números são a derradeira prova disso e a verdade é que nem a chegada constante de novos modelos em 2021 chegou para destronar o novo «rei» do segmento.

LEIAM TAMBÉM: Já conduzimos o novo Peugeot 2008. Como subir de estatuto

O 2008 está disponível com versões a gasolina (1.2 PureTech de 100 cv e 130 cv) e Diesel (1.5 BlueHDi de 110 cv e 130 cv) e apresenta-se igualmente com uma variante 100% elétrica, a e-2008,

Esta última junta um motor elétrico de 100 kW (136 cv) e 260 Nm e uma bateria de 50 kWh e viu recentemente a sua autonomia subir até aos 345 km (WLTP).

Renault Captur

Desde 21 790 euros

A nova geração chegou há dois anos e trouxe contigo muitos e importantes argumentos. O novo Renault Captur recorre à mesma base rolante do Clio e do «primo» Nissan Juke e apresenta-se com várias motorizações distintas.

A oferta a gasolina é composta pelo 1.0 TCe de 90 cv e pelo 1.3 TCe (com sistema mild-hybrid de 12 V) nas variantes de 140 cv e 160 cv. Já a oferta Diesel consiste no 1.5 Blue dCi com 95 cv ou 115 cv.

A NÃO PERDER: Renault Captur E-TECH (híbrido plug-in). O mais económico é também o mais caro. Vale a pena?

A estas somam-se ainda as versões bi-fuel (GPL) e híbrida plug-in (E-Tech). A primeira recorre a um motor 1.0 TCe para produzir 100 cv. A segunda «casa» um 1.6 l atmosférico a gasolina com um motor elétrico alimentado por uma bateria de 10,4 kWh e um segundo motor elétrico (um Alternador Gerador de Alta-Tensão).

Com 160 cv de potência combinada, o Captur E-Tech permite percorrer até 50 km em modo 100% elétrico em ciclo WLTP  e 65 km em ciclo WLTP City.

SEAT Arona

Desde 20 210 euros

Aqui não houve uma estreia, mas sim uma atualização. O SEAT Arona, o SUV mais pequeno da marca espanhola foi atualizado em 2021 e recebeu alguns retoques visuais no exterior e ganhou um interior totalmente novo.

As principais novidades estão mesmo centradas no habitáculo, com o Arona a receber um novo sistema de infoentretenimento com um ecrã de 8.25” (ou 9,2” opcional) em posição central e instrumentação digital de 10,25”.

LEIAM TAMBÉM: SEAT Arona renovado já tem preços para Portugal

O pequeno SUV espanhol está disponível com três motorizações distintas: 1.0 EcoTSI (95 cv e 110 cv), 1.5 EcoTSI (150 cv) e 1.0 TGI (90 cv) — esta última, a GNC (gás natural comprimido). E dependendo da versão, pode ser associado a uma caixa manual de cinco ou seis relações ou a uma caixa DSG de sete velocidades.

Skoda Kamiq

Desde 21 971 euros

Skoda Kamiq © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Revelado no Salão de Genebra há três anos, o Skoda Kamiq foi o terceiro membro da família SUV da marca checa a ser apresentado.

Tem por base a plataforma MQB A0, a mesma dos «primos» SEAT Arona e Volkswagen T-Cross, e está disponível apenas com uma motorização a gasolina, a 1.0 TSI, que pode ter dois níveis de potência: 95 cv (caixa manual de cinco velocidades) e 110 cv (caixa manual de seis relações ou DSG de sete).

A NÃO PERDER: Testámos o Skoda Kamiq mais potente a gasolina. Vale a pena?

Quanto à gama do «pequeno» SUV checo no nosso país, ela está dividida em três versões distintas: Ambition, Scoutline e Style.

Suzuki Vitara

Desde 25 550 euros

Lançado em 2015 e alvo de já dois «lavar de cara», a verdade é que pouca coisa tem mudado no Suzuki Vitara. A maior novidade continua mesmo a ser a introdução de uma versão mild-hybrid de 48 V, há cerca de dois anos.

Esta versão do pequeno SUV nipónico, que passou a ser a única disponível na gama, conta com um motor 1.4 Turbo a gasolina que produz 129 cv e 235 Nm.

LEIAM TAMBÉM: Já conduzimos o novo Suzuki Vitara 48 V mild-hybrid. É tão poupado como promete?

Contudo, e graças ao motor-gerador elétrico do sistema mild-hybrid, é possível contar com uma injeção adicional momentânea de binário para uma aceleração mais forte.

Toyota Yaris Cross

Desde 22 596 euros

O Toyota Yaris Cross é uma aposta tardia da marca japonesa neste segmento, recorrendo à mesma plataforma do utilitário Yaris e está posicionado abaixo do C-HR.

Com um aspeto robusto, o Yaris Cross está disponível com duas motorizações, sendo uma delas a versão híbrida 1.5 Hybrid Dynamic Force, que combina um bloco de 1.5 l com três cilindros e 92 cv com um motor elétrico de 80 cv, para uma potência máxima combinada de 116 cv.

A NÃO PERDER: Toyota Yaris Cross testado. Demorou a chegar, mas tem argumentos para vingar?

A segunda motorização é exclusivamente a gasolina, que recorre a uma outra versão do mesmo 1.5, mas aqui a debitar 120 cv, acoplado a uma caixa manual de seis velocidades. Apesar de dar ao Yaris Cross um preço mais em conta, esta versão só está disponível por encomenda.

A somar a isto, o Yaris Cross apresenta-se com cinco níveis de equipamento — Comfort, Comfort Plus, Exclusive, Square Collection e o Luxury —, mais um adicional na forma da série especial de lançamento, a Premier Edition.

Volkswagen T-Cross

Desde 23 522 euros

O Volkswagen T-Cross é o SUV mais pequeno da Volkswagen e recorre à mesma plataforma do SEAT Arona e do Skoda Kamiq, a MQB A0.

Versátil e com um aproveitamento do espaço interior muito interessante, o Volkswagen T-Cross apresenta-se apenas com duas motorizações.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Volkswagen T-Cross 1.0 TSI Life: vale a pena poupar?

A 1.0 TSI, de três cilindros, pode ter dois níveis de potência: 95 cv (caixa manual de cinco velocidades) ou 110 cv (caixa manual de seis relações ou DSG de sete). Já a 1.5 TSI (quatro cilindros) tem 150 cv e é associada, em exclusivo, a uma transmissão DSG de sete velocidades.

Quanto aos níveis de equipamento, o pequeno SUV germânico apresenta-se nas versões Life e Style.

A NÃO PERDER: As 100 NOVIDADES para 2022 que têm de conhecer

As próximas novidades

A «febre» dos B-SUV vai continuar no próximo ano e já são várias as propostas apresentadas que têm data de chegada marcada para 2022. Aqui estão elas…

Sabe responder a esta?
Em que ano o Renault Mégane ganhou o troféu Carro do Ano em Portugal?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Renault Mégane. Vencedor do troféu Carro do Ano 2003 em Portugal

Mais artigos em Notícias