Goodwood SpeedWeek 2020

GR Yaris, Evija, Elva… As máquinas que se deixaram ver no Goodwood SpeedWeek

Num ano atípico, o Festival of Speed e o Revival fundiram-se num evento online único, o Goodwood SpeedWeek, mas não faltaram motivos de interesse.

Se as inúmeras provas com máquinas de outros tempos, fosse qual fosse a disciplina, marcaram o fim de semana (16-18 de outubro) no Goodwood SpeedWeek, também não faltaram pontos de interesse quando o assunto é máquinas de estrada.

Apesar da azáfama ter sido bem menor do que é habitual — pandemia oblige —, ainda assim houve espaço para algumas estreias.

Fica com um pouco da ação que se passa no Goodwood SpeedWeek:

Uma delas já vimos em mais pormenor: o Ford Mustang Mach 1, com a sua estreia pública a ocorrer no Goodwood SpeedWeek. O regresso de uma denominação cheia de significado na história do Mustang:

TENS DE VER: Confirmado. Ford Mustang Mach 1 vem para a Europa, mas perde potência

A Ford não se ficou pelo Mustang Mach 1, levando até ao evento o Puma ST, a versão “hot” do seu compacto SUV, além do insano e muito barulhento Mach-E 1400.

A Toyota também não faltou à chamada em Goodwood, levando não só o GR Supra, como dando a conhecer publicamente no Reino Unido um dos modelos que mais expetativa continua a gerar, o GR Yaris. Um musculado hot hatch com “ligação direta” ao WRC, casando um tricilíndrico turbocomprimido com 1,6 l de capacidade e 261 cv, com tração às quatro rodas e caixa manual! Prometedor.

Subindo (e muito) em performance, preço e raridade, a McLaren mostrou um Elva com as evocativas cores azul e laranja da Gulf. A barchetta de 815 cv, sem para-brisas ou teto — um sério rival para o Ferrari Monza —, tem tido uma existência conturbada.

Originalmente foi anunciada uma produção de 499 unidades, mas já este ano vimos esse número decrescer por duas vezes. Primeiro para as 249 unidades e mais recentemente para as 149 unidades, demonstrativo das dificuldades pelas quais a McLaren tem passado — 2020 está a ser um annus horribilis também para o fabricante britânico.

Na McLaren não podia ainda faltar o demolidor 765LT, a versão ainda mais rápida e eficaz do já de si avassalador 720S.

Apesar de ainda não ser o modelo de produção, a Lotus levou até ao Goodwood SpeedWeek o Evija, o seu primeiro hipercarro elétrico e também o mais potente carro de série do mundo (quando chegar ao mercado) com 2000 cv.

Mas se o Evija olha para o futuro, as suas vestes olham definitivamente para o passado, tendo surgido em Goodwood com as icónicas cores da JPS (John Player Special).

Menção ainda para a presença do SSC Tuatara, o hiperdesportivo norte-americano que quer ser o carro mais rápido do mundo — cortesia de um V8 biturbo com 5,9 l e 1770 cv — que, segundo os rumores, já o deve ser, mas ainda a carecer de confirmação oficial.

ssc tuatara

Foram alguns dos destaques no Goodwood SpeedWeek deste ano, que contou ainda com a presença da Ferrari, Porsche, Koenigsegg, Lamborghini, Audi, BMW e claro, as britânicas (a jogar em casa) Jaguar, Land Rover, Rolls-Royce e Aston Martin.

Mais artigos em Notícias