Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Emissões

Elétricos, híbridos, gasolina, Diesel e CNG. Qual o mais limpo? Green NCAP testa 24 modelos

A Green NCAP publicou os resultados dos testes efetuados a 24 automóveis, desde os 100% a combustão aos 100% elétricos, ficando apenas de fora os atualmente controversos híbridos plug-in.

A Green NCAP está para a performance dos automóveis em matéria de emissões como a Euro NCAP está para a performance dos automóveis em segurança.

Nos seus testes avaliam, tanto em laboratório como em estrada, e em condições mais exigentes que os protocolos regulamentares WLTP e RDE (Real Driving Emissions), os veículos em três áreas: índice de limpeza do ar, índice de eficiência energética e, como novidade para 2020, o índice das emissões dos gases com efeito de estufa.

Naturalmente, os veículos elétricos estão em vantagem, por não terem qualquer tipo de emissões. A ajudar, a avaliação contempla apenas, para já, uma análise “tank-to-wheel” (depósito à roda), ou seja, as emissões quando em utilização. Futuramente, o Green NCAP quer fazer uma avaliação mais abrangente “well-to-wheel” (do poço à roda), que já contempla, por exemplo, as emissões geradas para produzir um veículo ou a origem da eletricidade que os veículos elétricos necessitam.

VÊ TAMBÉM: Orçamento do Estado 2021 deixa setor automóvel em «estado de emergência»
Renault Zoe Green NCAP

Os 24 modelos testados

Nesta ronda de testes foram avaliados cerca de 24 modelos, entre 100% elétricos, híbridos (não plug-in), a gasolina, a gasóleo e ainda GNC. Na tabela seguinte, podem ver a avaliação de cada um dos modelos em detalhe, bastando carregar na ligação:

Peugeot 208 Green NCAP

Tal como no Euro NCAP, o Green NCAP atribui estrelas (de 0 a 5) que conjugam as pontuações das três áreas de avaliação. De notar que alguns modelos podem, entretanto, já não serem comercializados, como o Peugeot 2008, que pertence à anterior geração. A Green NCAP testa apenas carros que já tenham a “rodagem” feita, tendo já registados alguns milhares de quilómetros no odómetro, sendo assim, mais representativos dos automóveis que circulam na estrada. Os veículos usados em testes, provém de empresas de carros de aluguer.

Previsivelmente são os veículos elétricos, neste caso o Hyundai Kauai Electric e o Renault Zoe, os únicos a conseguir alcançar as cinco estrelas, com o interesse a ser desviado para as diferenças entre os modelos com motor de combustão interna, os combustíveis que os alimentam e se têm ou não o auxílio de um motor elétrico, como acontece com o Honda CR-V i-MMD e o Toyota C-HR.

O híbrido da Toyota lidera a lista para os modelos com um motor de combustão, com o híbrido da Honda a não conseguir uma performance tão boa devido à ausência de um filtro de partículas da unidade testada. Porém, a Honda informou que essa lacuna será suprimida com a introdução desse dispositivo nos CR-V que estão a ser produzidos neste final de ano.

Volkswagen Transporter California Green NCAP

Constata-se também que é mais fácil alcançar boas classificações nos modelos mais pequenos — Peugeot 208, Renault Clio e Volkswagen Polo —, todos eles com três estrelas, incluindo o SEAT Ibiza, aqui na versão TGI, ou seja, a Gás Natural Comprimido (GNC). Em contraste, os maiores modelos neste grupo — Mercedes-Benz Classe V, Opel Zafira Life e Volkswagen Transporter — não conseguem melhor que uma estrela e meia, pois o índice de eficiência energética sai bastante prejudicado fruto do maior peso e pior índice de resistência aerodinâmica.

Os vários SUV testados ficam-se, em média, pelas duas estrelas, um resultado em média inferior em relação aos automóveis dos quais derivam. Nos representantes do segmento D, as berlinas (e carrinhas) familiares — BMW Série 3, Mercedes-Benz Classe C e Volkswagen Passat —, conseguem entre três e três estrelas e meia (Mercedes), graças aos motores Diesel com que vêm equipadas, já cumpridores da mais recente Euro6D-TEMP.

Dacia Duster Green NCAP

São avaliações ao nível e até melhores do que as alcançadas pelos carros mais pequenos, o que demonstra que a demonização que os Diesel têm sido alvo pode estar a ser excessiva, quando nos referimos a esta mais recente geração de mecânicas.

Menção especial para a Mercedes-Benz C 220 d que conseguiu uma nota particularmente elevada no índice de limpeza do ar, o que revela uma muito boa eficácia dos seus sistemas de tratamento dos gases de escape. Por outro lado, as duas estrelas da Audi A4 Avant g-tron souberam a pouco, cuja avaliação final foi prejudicada devido à baixa nota no índice da emissão de gases de estufa, sobretudo as relativas às de metano — algo que não aconteceu com, por exemplo, o SEAT Ibiza, o outro modelo testado que recorre ao CNG como combustível.

Mercedes-Benz Classe C Green NCAP

Não há híbridos plug-in testados?

Os híbridos plug-in têm estado no meio de enorme controvérsia após a publicação do estudo da Transport & Environment que os acusa de poluírem muito mais que os números oficiais indicam, mais até que modelos puramente a combustão. Até agora o Green NCAP nunca testou nenhum híbrido plug-in porque, nas suas palavras, é “muito complexo”.

Segundo eles, os procedimentos de teste ainda não foram finalizados, pois, como referem: “para conseguir resultados comparáveis e representativos, o estado de carga da bateria tem de ser conhecido e as incidências em que a bateria é carregada (durante os testes) registada”.

Apesar da complexidade da tarefa em mãos, a Green NCAP diz que a próxima ronda de testes cujos resultados serão publicados durante o próximo mês de fevereiro incluirão veículos híbridos plug-in — será que chegarão às mesmas conclusões do estudo da Transport & Environment?

SEAT Ibiza BMW Série 3 Green NCAP

 

Mais artigos em Notícias