Desde 27 208 euros

Renault Clio Initiale Paris. Topo de gama com preço de… topo

O Renault Clio Initiale Paris adiciona requinte, equipamento e também agradabilidade ao Clio que já conhecíamos. Mas este topo de gama também tem um preço de… topo. É justificado?

No verão do ano passado ensaiámos o novo Clio R.S. Line com exatamente o mesmo motor e caixa do Clio Initiale Paris deste teste (1.3 TCe de 130 cv e caixa de dupla embraiagem de sete velocidades, ou EDC).

Como muitos de vocês comentaram, os pouco mais de 25 mil euros (com opcionais) pedidos pelo R.S. Line eram elevados. Pois bem, o Initiale Paris deste teste, com opcionais incluídos (e não são muitos) vai mais longe e ultrapassa a fasquia dos 30 mil euros — será possível justificar este valor?

Mesmo tendo em consideração a elevada dotação de equipamento de série é difícil conseguir justificar o preço do Clio Initiale Paris. Pelo mesmo valor os fãs de performance conseguem comprar carros como o Ford Fiesta ST, um pequeno e muito divertido hot hatch de 200 cv.

VÊ TAMBÉM: Renault Clio vs Peugeot 208. QUAL É O MELHOR?

E mesmo na Renault, no segmento acima, o Mégane GT Line ou um Bose Edition estão disponíveis por valores idênticos, também com o 1.3 TCe, mas ainda mais potentes.140 cv para o GT Line e 160 cv para o Bose Edition, com a diferença a estar na possibilidade de virem com caixa manual de seis velocidades, uma opção não disponível neste Clio.

Ignorando o preço

Apesar de tudo, se ignorarmos o preço, há muito que gostar e apreciar no Clio Initiale Paris. A aparência é mais cuidada, com traços de requinte e elegância, como podemos ver nos apontamentos cromados ou nas jantes de 17″ exclusivas. Mas o melhor deste Initiale Paris está reservado para o interior.

Em destaque, há que referir os substanciais bancos em pele aquecidos (de ajuste manual), que são tão confortáveis como parecem, e o cuidado adicional na apresentação do interior e materiais que elevam a agradabilidade a bordo  a um patamar mais elevado.

Tudo complementado com uma muito boa dotação de equipamento de série: desde o Easy Link com o maior ecrã disponível, de 9,3″, ao sistema de som da BOSE, passando pelo carregamento de indução do smartphone, volante em pele e aquecido, sistema Multi-Sense e iluminação ambiente ou os vários assistentes à condução presentes. Não há muitas lacunas; a falta de uma entrada USB para a segunda fila de bancos é uma delas.

VÊ TAMBÉM: Opel Corsa GS Line contra Peugeot 208 GT Line. Qual o melhor?

Falta um pouco assim…

O Clio Initiale Paris distingue-se dos restantes Clio pela apresentação e equipamento. No entanto, como topo de gama que é, e para mais a apontar na direção do luxo, deixa algo a desejar em alguns pontos.

A qualidade de montagem interior é um deles. Quando em pisos mais degradados são vários os ruídos parasitas que se fazem ouvir, mais audíveis do que em alguns concorrentes como o Volkswagen Polo ou o compatriota Peugeot 208.

O refinamento quando em andamento também tem espaço para melhorar. As rodas de 17″ e pneus de perfil 45 são uma fonte de rumorosidade, e os ruídos aerodinâmicos podiam ser um pouco mais contidos.

Consola central
O Easy Link de 9,3″ tem excelente resolução, é responsivo e o sistema é fácil de usar. Por baixo há botões para os bancos aquecidos e um de atalho para os modos de condução. © Thomas van Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Mazda2 (2020). 4 cilindros e ATMOSFÉRICO ainda faz sentido?

E mais?

De resto, é o Clio que conhecemos e apreciamos. É uma das propostas do segmento mais interessantes de conduzir, com uma excelente combinação entre conforto e aptidões dinâmicas, na melhor tradição gaulesa. O “piloto” em mim só lamenta a impossibilidade de desligar o ESP e melhor explorar a ação do eixo… traseiro — entretém mais que o 208, por exemplo.

© Thomas van Esveld / Razão Automóvel

Pessoalmente gostaria de ter comandos com um pouco mais de peso, sobretudo a direção — mesmo em Sport, é bastante leve. No entanto, o peso da direção aumenta com a velocidade, o que contribui para a perceção e real estabilidade do Clio em autoestrada.

Nota positiva também para o conjunto motor-caixa. O 1.3 TCe, independentemente do modelo que o tenha — seja Renault, Nissan ou Mercedes-Benz — caracteriza-se por um caráter nervoso, sentindo-se à vontade em qualquer faixa de rotações. A EDC acompanha-o eficazmente; uma excelente parceira que até faz esquecer o modo manual — e com as “micro-patilhas” atrás do volante é mesmo para o esquecer.

Motor 1.3 TCe
O 1.3 TCe é um dos mais interessantes pequenos motores turbo atualmente no mercado. A sonoridade não é a mais cativante, mas compensa com uma muito boa elasticidade e vivacidade. © Thomas van Esveld / Razão Automóvel

As prestações são boas, sobretudo as retomas de aceleração, assim como o seu apetite não é desmesurado. Consegui atingir valores que pensei só serem possíveis de atingir com o nosso “mestre dos consumos baixos“: médias abaixo dos 4,5 l/100 km a ritmos moderados são possíveis, só destoando nas voltinhas mais curtas e urbanas, onde subiu para os 7,5 l/100 km.

VÊ TAMBÉM: Este é o Volkswagen Polo mais barato que podes comprar

Mesmo assim é difícil recomendar o Clio Initiale Paris

Os “mimos” adicionais que traz em relação aos restantes Clio dificilmente justificam o elevado preço que apresenta. E este, equipado com o 1.3 TCe, é até o mais acessível dos Initiale Paris — está também disponível com o 1.5 Blue dCi de 115 cv e o E-Tech híbrido de 140 cv, ambos mais caros.

© Thomas van Esveld / Razão Automóvel

Dito isto, o Clio continua a reunir um conjunto de muitas e boas qualidades, e é muito fácil apreciá-lo por isso… mas é possível obtê-las por um preço mais em conta.

Preço

unidade ensaiada

30.335

Versão base: €27.208

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1332 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Injeção Direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Potência: 130 cv às 5000 rpm
    • Binário: 240 Nm às 1600 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Caixa de dupla embraiagem e 7 vel. (EDC)
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4050 mm / 1798 mm / 1440 mm
    • Distância entre os eixos: 2583 mm
    • Bagageira: 391 l
    • Jantes / Pneus: 205/45 R17
    • Peso: 1233 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,8 l/100 km
    • Emissões de CO2: 131 g/km
    • Vel. máxima: 200 km/h
    • Aceleração: 9,0s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: Pintura: 3 anos; Anti-Corrosão: 12 anos.
  • Equipamento
    • Sistema de assistência na transposição involuntária de via
    • Alerta de ângulo morto
    • Alerta de distância de segurança
    • Alerta de excesso de velocidade com reconhecimento dos sinais de trânsito
    • Sistema de travagem de emergência ativa com deteção de peões, ciclistas
    • Sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro
    • Câmara de marcha-atrás
    • Regulador e limitador de velocidade
    • Sensores de chuva e luminosidade
    • Sistema MULTI-SENSE com iluminação de ambiente interior (8 cores à escolha)
    • Travão de estacionamento assistido com Auto-Hold
    • EASY LINK 9,3" com Sistema de som premium BOSE®
    • Volante em couro e aquecido
    • Bancos dianteiros aquecidos
    • Retrovisores exteriores rebatíveis elétricamente c/função de desembaciamento
    • Ar condicionado automático
    • Estofos em couro claro INITIALE PARIS com harmonia cinza-clara
    • Carregador de telemóvel por indução
    • Ecrã TFT 7"
Extras
Cinzento Titanium — 450 €; Estofos em couro preto INITIALE PARIS com harmonia escura — 0 €; Pneu sobressalente — 100 €; Pack Vision 360 Parking (implica MULTI-SENSE e EASY LINK 9,3" ou Pack BOSE®) — 1080 €;
Avaliação
7 / 10
Que não haja dúvidas: o Renault Clio é, atualmente, uma das melhores propostas à venda no segmento. Não significa que, no entanto, consiga recomendar todas as versões que compõem a sua gama. No caso deste Initiale Paris, apesar da muito boa dotação de equipamento e aspeto mais requintado, é difícil de o fazer — os 30 mil euros pedidos são elevados, independentemente do ponto de vista. E para mais a versão R.S. Line, equipada com o mesmo motor e caixa, custa 5000 euros menos (se retirarmos os opcionais, a diferença entre as duas reduz-se a pouco mais de 3000 euros). Não deixa de ser uma muito boa proposta, mas na gama há opções mais em conta… se bem que não venham com os muito confortáveis bancos do Initiale Paris.
  • Relação Conforto/Comportamento
  • Motor responsivo e de apetite contido
  • Equipamento de série
  • Bancos parecem e são muito confortáveis
  • Preço
  • Refinamento melhorável
  • Visibilidade traseira

Mais artigos em Testes, Ensaio