Guia de Compra

Depois do Mega Comparativo SUV utilitários 2020, fica a conhecer todas as propostas do segmento

Regresso ao mega comparativo SUV. Comparámos as novidades 2020 do segmento, mas não quisemos deixar os outros de fora. Fica a saber quais são.

Não, não nos “esquecemos” dos outros SUV utilitários. Se viste o mega comparativo SUV no nosso canal de YouTube, o Guilherme refere, logo no início, que os modelos selecionados são as novidades 2020 do segmento dos SUV utilitários, também chamados de B-SUV.

É por isso que a escolha recaiu “apenas” nos FORD PUMA, NISSAN JUKE, PEUGEOT 2008, RENAULT CAPTUR e SKODA KAMIQ, precisamente as últimas cinco e absolutamente novas propostas a chegar ao mercado.

A luta foi renhida neste comparativo SUV, mas no final só um poderia sair vencedor. Se ainda não viste, não vou estragar o “final do filme” e dizer-te qual deles foi:

TENS DE VER: Qual é o melhor SUV 2020? Captur vs 2008 vs Kamiq vs Puma vs Juke

Agora sim, com o vídeo visto, já posso anunciar que o Renault Captur conseguiu, ainda que por uma curta margem, a vitória perante formidáveis rivais. Porém, quase todos eles podiam ser vencedores, dependendo do que mais valorizamos num automóvel.

Por exemplo, o Ford Puma é, sem duvida, o mais indicado para quem procura algo com um tacto mais desportivo, mas se és daqueles que procura uma experiência mais premium, o Peugeot 2008 será uma melhor opção.

Os outros todos

Regressamos ao mega comparativo SUV, mas desta vez decidimos reunir (praticamente) todos os outros membros do segmento — nada como ter toda a informação concentrada num sítio só, para uma pesquisa mais eficaz.

A competição no segmento é… feroz. Os cinco modelos que comparámos são os mais recentes e, consequentemente, os melhores no cômputo geral. Dado a competitividade do segmento (à volta de 20 modelos hoje à venda), a evolução é também ela rápida.

Não significa que as outras propostas, não tão “frescas”, não sejam válidas. Mas o salto é claro neste grupo que já faz parte de uma segunda vaga de B-SUV, mais amadurecida e evoluída, que conseguiu afastar-se, de forma mais clara, de muitas outras propostas do segmento.

Onde isso é mais evidente é precisamente nos Captur, 2008 e Juke, dado que são segundas gerações, ficando mais evidente o salto evolutivo, a vários níveis, para a geração anterior.

Mega Comparativo SUV utilitários 2020

Dificilmente os muitos outros B-SUV teriam argumentos para se imiscuirem na luta pela vitória no nosso mega comparativo SUV, mas há uma exceção…

Candidato à vitória?

Entre os inúmeros B-SUV hoje disponíveis no mercado, aquele que mais probabilidades teria de lutar pela vitória no nosso mega comparativo SUV seria o VOLKSWAGEN T-CROSS.

Volkswagen T-Cross © Raul Mártires / Razão Automóvel

Ainda é bastante “fresco” — chegou a Portugal há pouco mais de um ano — e apesar de não ser o mais acessível, está muito bem montado, é refinado e rivaliza em cotas de habitabilidade e versatilidade com as principais propostas do segmento.

Tecnicamente idêntico ao Skoda Kamiq (plataforma, motorizações), não é tão grande como este, mas em nada sai prejudicado nas cotas internas.

Refrescados

Os cinco B-SUV em confronto ou são gerações 100% novas — Captur, 2008 e Juke — ou até modelo inéditos por parte dos seus respetivos construtores — Puma e Kamiq. Mas tal é o passo da indústria e a quantidade de propostas que não é preciso esperar muito tempo para que surjam atualizações, melhoramentos ou adições às propostas existentes.

Suzuki Vitara 48 V 2020
Suzuki Vitara 48 V 2020

O SUZUKI VITARA é um desses casos. Lançado originalmente em 2015, foi renovado em 2018, mas no início de 2020 recebeu mais uma série de melhoramentos e novidades. O destaque? A nova evolução do 1.4 Boosterjet, agora como mild-hybrid 48 V a prometer maior eficiência e menores consumos e emissões.

De notar que o Vitara continua a ser um dos muito poucos B-SUV a disponibilizar versões com tração às quatro rodas, revelando-se bastante competente fora do asfalto — se tem a fama de SUV, porque não o proveito…

Kia Stonic 2020

No caso do KIA STONIC, ainda mais “fresco” é. Um Stonic atualizado, revisto e melhorado acabou de ser dado a conhecer. Destaque para a introdução de motorizações mild-hybrid e da chegada de novos conteúdos tecnológicos. Entre os argumentos mais fortes do Stonic até agora estavam a sua relação preço/equipamento — é para continuar? Acreditamos que sim.

De todos os SUV utilitários, este é um dos que mais próximo está dos automóveis convencionais. Esperem pelo renovado Kia Stonic já no próximo outono.

Para entusiastas da condução

Ficámos fãs do Ford Puma pela sua condução cativante, sem dúvida aquela que mais entretém num encadeado de curvas. Não é, felizmente, o único.

Apesar do SEAT ARONA ser próximo ao T-Cross e Kamiq (mesma plataforma e motores), o acerto dinâmico é distinto. A resposta do eixo dianteiro é bem mais acutilante e isso traduz-se numa agilidade superior e até… divertida.

SEAT Arona
Versões Style, FR e Xcellence.

Apesar de não perder em conteúdos tecnológicos para os seus “primos”, não é capaz de oferecer, no entanto, cotas de habitabilidade equivalentes. O que o Arona tem e os outros não, é uma motorização a gás natural (GNC), caso único no segmento. Lançado em 2017, não deve tardar muito mais uma atualização do modelo.

O HYUNDAI KAUAI assenta, curiosamente, sobre uma plataforma de segmento C e talvez seja a razão para as suas maduras competências dinâmicas, mas são acompanhadas por um caráter bastante vivaz. Não é o mais espaçoso do segmento, mas nada a apontar à sua robustez, acima da média.

Hyundai Kauai 1.6 CRDI DCT © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O Kauai destaca-se no segmento, no entanto, pela oferta diversificada de motorizações. Além dos convencionais motores a gasolina e gasóleo, está também disponível como híbrido e como 100% elétrico — não são muitos no segmento. É acompanhado pelo Kia e-Soul, Peugeot e-2008 e DS 3 Crossback E-Tense. As suas versões eletrificadas destacam-se ainda pelo superior refinamento a bordo.

Lançado em 2017, não deve estar longe uma atualização do modelo, que deverá coincidir com o lançamento do Kauai N, um Hot SUV.

Por fim, neste trio de propostas de tacto mais dinâmico não podia faltar o MAZDA CX-3. Os Mazda são famosos pela dinâmica cativante e apurada e o CX-3 não é exceção — optem pela excelente caixa manual e os níveis de interação e satisfação são amplamente recompensados. Porém, um pouco como o Arona e o Kauai, é mais acanhado que outras propostas no segmento.

Mazda CX-3 SKYACTIV-D

Lançado em 2015 e renovado em 2019, os anos começam a pesar no CX-3 face do passo rápido de evolução do segmento. Os rumores apontam para um novo Mazda CX-3 em 2021, mas ainda sem certezas.

Genes de MPV

Culpem os SUV! Foram eles a principal causa para a quase extinção dos mais práticos e acessíveis, mas por norma menos desejáveis, MPV. Temos visto as marcas compensar essa perda com a introdução de soluções de flexibilidade e versatilidade típicas dos MPV nos interiores dos seus SUV.

Uma dessas soluções? Os bancos traseiros deslizantes. Vimos-los no vencedor do mega comparativo SUV, o Renault Captur, mas não é o único a oferecer essa característica.

citroen c3 aircross portugal-1
Citroën C3 Aircross

O CITROËN C3 AIRCROSS também tem. Por fora parece o elo perdido entre os MPV e os SUV, mas não deixa de ter um desenho apelativo e distinto. É no conforto, espaço e flexibilidade para os ocupantes — cortesia também dos bancos deslizantes em 150 mm — que o C3 Aircross se destaca.

Lançado em 2017, e após termos conhecido a renovação do Citroën C3, não deve estar longe também a renovação do C3 Aircross.

Opel Crossland X FlexFuel
Opel Crossland X

O que foi dito para o C3 Aircross podia ser dito para o OPEL CROSSLAND X, pois ambos partilham a base, volumetria geral e principais características — no entanto, o design exterior e interior é bastante diferenciado.

Tal como o seu “primo” francês, poderá estar para breve uma atualização.

Apesar de não se parecer nada com um MPV, o HONDA HR-V tem tudo a ver com eles. Ao derivar do pequeno MPV que é o Honda Jazz, herda deste soluções que não se encontram em mais nenhum modelo do segmento. Refiro-me, claro, aos “bancos mágicos”, em que é possível rebater não só as costas, como também os assentos dos bancos traseiros.

Honda HR-V 1.5 © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É um dos mais, senão o mais espaçoso modelo do segmento. Porém, limitado apenas a um 1.5 atmosférico ou um efervescente 1.5 Turbo, ambos a gasolina, ficam a faltar opções que o tornem mais apelativo ao mercado — opções que existem noutros modelos da marca japonesa.

O HR-V atualmente à venda ainda é bastante recente, tendo sido atualizado o ano passado. Foi lançado originalmente em 2015 e é um dos modelos mais vendidos na Honda no planeta.

Uma questão de imagem

Talvez um dos aspetos mais positivos de haver tantas propostas neste segmento é que há espaço para tudo: do mais utilitário, ao mais familiar, ao mais dinâmico e até, ao mais alternativo.

Com muitas ambições premium e mais focado na imagem e estilo, o DS 3 CROSSBACK prescinde de alguns argumentos espaciais e práticos quando o comparamos com outros B-SUV. Por baixo da sua distinta carroçaria ninguém diria que fosse tão próximo do Peugeot 2008.

DS 3 Crossback 1.2 Puretech © Raul Mártires / Razão Automóvel

Apresentado em 2018, chegou a Portugal em 2019, pelo que ainda é bastante recente. Tal como o seu “primo” 2008, além das motorizações a gasolina e gasóleo, é um dos poucos a ter uma versão 100% elétrica, a E-Tense, com mais de 300 km de autonomia oficial.

Talvez sem as ambições de posicionamento do gaulês, é também claro o foco do FIAT 500X em questões de imagem, ainda que sem tantos compromissos de ordem prática. Apoia-se na imagem do incontornável e pequeno 500, mas, ao contrário do citadino, oferece espaço q.b. para quatro ocupantes e respetivas bagagens.

Fiat 500X Sport © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É um dos veteranos do segmento, ao ter sido lançado em 2014. Foi renovado em 2018 onde recebeu os novos motores Firefly e o ano passado ganhou uma versão de caráter mais desportivo, o 500X Sport. Fala-se de uma nova geração para 2021 que também tomará o lugar do 500L.

Ainda neste grupo encontramos o KIA SOUL, que apesar do seu design distinto e… cúbico, não deixa de ser uma aposta forte na imagem e estilo, e… na mobilidade elétrica.

Kia Soul EV Portugal 2020 © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Argumentos não lhe faltam — não é à toa que é Carro Urbano Mundial do Ano 2020 —, mas na Europa (lançado em 2019) só o podemos adquirir, exclusivamente, como elétrico. E apesar dos 452 km de autonomia anunciados, o preço elevado afasta potenciais interessados neste muito distinto e interessante B-SUV.

O mais SUV deles todos?

Não temos problemas em atribuir esse título ao JEEP RENEGADE. A maioria das propostas no segmento são mais crossover que SUV, mas o Renegade é o mais que faz por se afastar dessa indefinição e confusão à volta do termo. E isto apesar da proximidade técnica com o Fiat 500X.

Seja pelo seu design, posição de condução e também… capacidade de sair do asfalto, o Renegade é o que melhor nos transporta para o universo SUV.

Jeep Renegade Orange Edition
As formas mais cúbicas beneficiam o aproveitamento de espaço no interior. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Caso optes pela (nada acessível) versão Trailhawk tens acesso ao melhor trepador do segmento… por larga margem. As suas capacidades offroad surpreendem.

Não é o único Renegade com tração às quatro rodas, já que a nova e inédita variante híbrida plug-in (até 50 km de autonomia elétrica), Renegade 4xe, também tem, graças ao eixo traseiro eletrificado — só o Renault Captur, de momento, oferece uma versão híbrida plug-in.

Com o 500X partilha ainda a idade, tendo sido lançado em 2014, e atualizado em 2018. Não sabemos ao certo quando será substituído, mas de acordo com os planos da marca, tal acontecerá até ao final de 2022.

SUV utilitário, de facto

Por fim, mas não menos importante, estamos na presença de um dos mais bem sucedidos B-SUV do mercado e não admira. O mais acessível de todos os B-SUV e um dos mais espaçosos no segmento, o DACIA DUSTER pode não ter a finesse dos seus rivais, mas a sua competência tem provas dadas.

O Duster é também um dos poucos B-SUV com versões com tração às quatro rodas e ainda tem motorizações alternativas à escolha. Tal como o Captur, podemos adquirir um Duster versão bi-fuel, ou seja, uma versão a GPL.

Apresentado em 2017, os rumores apontam para que em 2021 possa conhecer um restyling.

Brevemente…

São 14 modelos incluídos nesta lista, sem contar com os cinco do mega comparativo SUV inicial — não vai ficar por aqui… Em 2021, o segmento dos SUV utilitários vai crescer com mais duas novas propostas ao segmento.

Em primeiro lugar o TOYOTA YARIS CROSS. A versão SUV da quarta geração do Yaris recorre à mesma e nova plataforma GA-B, mas cresce para todos os lados prometendo muito mais espaço.

Tal como o Yaris, o destaque está nas motorizações híbridas (não plug-in); além do Kauai Hybrid, é o outro e único no segmento a contar com elas.

Opel Mokka 2020 elétrico
Opel Mokka-e 2020

O OPEL MOKKA é a segunda geração do bem sucedido B-SUV germânico que teve uma existência muito tímida em Portugal — culpem o anacrónico sistema de classes das nossas portagens. Agora já totalmente integrada no Grupo PSA, a Opel vai recorrer à mesma plataforma do Peugeot 2008 para o seu novo Mokka.

E além de estrear a nova e distinta linguagem de design na marca alemã, o Mokka, tal como o 2008, será lançado logo de início com uma variante 100% elétrica.