Notícias Histórico. Tesla Model Y foi o «rei das vendas» na Europa em setembro

Mercado europeu

Histórico. Tesla Model Y foi o «rei das vendas» na Europa em setembro

O Tesla Model Y foi o modelo mais vendido em setembro passado, num mercado europeu que cresceu 7,5% face ao período homólogo de 2021.

O Tesla Model Y ainda não é o carro mais vendido do mundo como prevê Elon Musk, mas o crossover norte-americano conseguiu um feito histórico: foi líder de vendas no mercado europeu no passado mês de setembro.

No total foram comercializadas 29 367 unidades do Model Y em setembro, um aumento de 227% face ao mês homólogo de 2021, com a produção europeia do modelo em Berlim-Brandenburg a ser decisiva para este resultado.

A «caminho» da liderança na Europa, o Model Y foi ainda o modelo mais vendido na Áustria, Suíça, Letónia… e na Alemanha — um sinal de alerta ao «império» Volkswagen.

A NÃO PERDER: Tesla Cybertruck copiou (descaradamente) o Renault Twingo
Tesla Model 3 2021
Em contrapartida, o Tesla Model 3 viu o sucesso do Model Y refletir-se negativamente nas suas vendas. Se o Model 3 tem sido uma presença frequente no Top 10 europeu, em setembro deste ano não chegou lá, com as vendas a caírem 50% face a setembro de 2021.

Os best sellers

Na lista dos 10 modelos mais vendidos na Europa em setembro o Tesla Model Y é a única proposta 100% elétrica. No caminho para a liderança o crossover da Tesla ultrapassou «pesos-pesados» como os Volkswagen Golf ou T-Roc, o Peugeot 208 ou o Nissan Qashqai.

  1. Tesla Model Y — 29 367 unidades (+227% em relação a setembro de 2021);
  2. Peugeot 208 — 19 601 unidades (+41%);
  3. Dacia Sandero — 17 773 unidades (-2%);
  4. Skoda Octavia — 17 733 unidades (+196%);
  5. Toyota Yaris — 16 275 unidades (+19%);
  6. Volkswagen T-Roc — 16 048 unidades (+60%);
  7. Volkswagen Golf — 16 042 unidades (-8%);
  8. Renault Clio — 15 981 unidades (-13%);
  9. Nissan Qashqai — 15 852 unidades (+68%);
  10. Fiat 500 — 15 669 unidades (-4%).

Fora deste Top 10 existem alguns dados curiosos quando analisamos em mais detalhe as vendas por modelo no mercado europeu no mês de setembro.

Ficámos a saber, por exemplo, que o novo Renault Mégane E-Tech Electric vendeu mais que o Volkswagen ID.3, e que o elétrico BMW i4 vendeu mais que o «irmão» a combustão Série 4 Gran Coupé.

A destacar ainda a chegada do Mazda CX-60 ao mercado europeu, assumindo-se, desde logo, não só como o terceiro Mazda mais vendido na Europa, como o sexto híbrido plug-in mais vendido.

O panorama geral

Em setembro o mercado europeu confirmou a tendência de retoma que se faz sentir há dois meses. No total, foram comercializados 1 038 481 automóveis novos, mais 7,5% do que em setembro de 2021.

Contudo, uma análise ao acumulado dos primeiros nove meses de 2022 mostra que o mercado automóvel europeu ainda está no «vermelho», com uma quebra de 9,7% face a 2021.

De janeiro a setembro de 2022 foram vendidos 8 271 115 automóveis, quase 900 mil unidades a menos que as 9 162 177 de unidades vendidas no período homólogo o ano passado. Como curiosidade, no mesmo período em 2019, o último ano «normal» antes da pandemia, tinham sido vendidos 12 115 927 automóveis no «velho continente».

Na próxima tabela podem ver quais foram as 10 marcas automóveis mais vendidas na Europa no acumulado de janeiro até setembro de 2022. Apesar da Ford ter sido a 10.ª marca mais vendida em setembro, com 54 783 unidades vendidas (+31,5% que em setembro de 2021), no acumulado dos nove meses já decorridos do ano, os 382 171 automóveis vendidos deixam-na «à porta» desta lista, não muito longe da Hyundai.

MarcaSetembro 2022 (variação homóloga)Janeiro-setembro 2022 (variação homóloga)
Volkswagen107 297 (+17,8%)862 342 (-16,9%)
Toyota68 977 (+15%)568 016 (+1%)
Peugeot53 536 (+9,4%)474 302 (-15,1%)
BMW54 769 (-4,7%)467 614 (-4,1%)
Mercedes-Benz57 535 (+34,8%)463 337 (-4,1%)
Audi53 484 (+26,8%)440 626 (-8,4%)
Kia53 153 (-5,2%)425 882 (+9,8%)
Renault53 164 (-9,5%)415 481 (-17,9%)
Skoda54 471 (+41%)401 000 (-15,3%)
Hyundai47 510 (-9,2%)395 649 (+3,2%)

Como tem sido a norma desde a pandemia, é difícil fazer uma análise correta da evolução individual de cada marca olhando apenas para os números. As várias crises que afetam a indústria automóvel — desde a escassez de semicondutores, aos problemas logísticos causados pelo encerramento de portos chineses devido à pandemia, até ao conflito na Ucrânia — têm sido fatores decisivos na performance (possível) de muitas marcas.

Contudo, é possível constatar alguns factos curiosos. A boa performance do Model Y, por exemplo, refletiu-se na performance da Tesla durante o mês de setembro, onde as 41 611 unidades vendidas foram superiores às conseguidas pela Opel (36 441), Citroën (34 489) e Fiat (31 202).

O crescimento das marcas chinesas na Europa também é outro fator a ter em conta. Em setembro venderam-se à volta de 20 mil unidades de modelos de marcas chinesas — onde se inclui a «britânica» MG, que foi a mais vendida com 13 924 unidades. As 20 mil unidades representam um crescimento de 91% face a 2021 e a uma quota de mercado de 1,9%.

Fontes: ACEA, JATO Dynamics, carindustryanalysis

Sabe esta reposta?
Qual é a capacidade da bagageira dianteira do Tesla Model Y?
Oops, não acertou!

Pode encontrar a resposta aqui:

Tesla Model Y (2022). O melhor crossover elétrico?