BMW i4 eDrive40 é capaz de «bater o pé» ao Tesla Model 3?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 62 000 euros

BMW i4 eDrive40 é capaz de «bater o pé» ao Tesla Model 3?

O BMW i4 nasceu para rivalizar com o Tesla Model 3, mas será que é bem sucedido nesse objetivo? Fomos testar a versão eDrive40 e descobrir.

O novo BMW i4 — aqui na versão eDrive40 — é o modelo mais tradicional de todos os 100% elétricos da marca de Munique e, por isso mesmo, era um dos mais aguardados.

Chega com a «mira» apontada ao Tesla Model 3, mas promete ser fiel ao ADN típico das berlinas da BMW, que tanto podem ser mais seguras e previsíveis como logo a seguir ser mais divertidas e energéticas, conforme o condutor e a ocasião.

Além disso, este BMW i4 ainda traz para a «mesa» — na especificação da unidade testada — praticamente 580 km de autonomia e consumos de apenas 16,4 kWh/100 km. Mas será que isso chega para derrotar a Tesla no seu próprio jogo?

A NÃO PERDER: BMW iX xDrive40 testado. Tem menos potência e autonomia que o xDrive50, mas fará mais sentido?
BMW I4 eDrive40 © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

Um Série 4 com bateria e motor elétrico?

Com 4,78 m de comprimento, 1,85 m de largura e 1,45 m de altura, o BMW i4 não difere praticamente nada, fisicamente, do Série 4 Gran Coupé do qual deriva diretamente e que também já testámos. A exceção é mesmo o facto de ser 6 mm mais alto.

Não pensem que a instalação de toda a máquina elétrica prejudicou a habitabilidade ou a versatilidade deste elétrico, que oferece os mesmos 490 litros de capacidade na bagageira do que o seu «irmão» com motor térmico — a plataforma CLAR que lhe serve de base foi concebida tendo em consideração os dois tipos de motorização.

BMW I4 eDrive40
Os 490 litros de capacidade de carga podem crescer até aos 1290 litros com os bancos traseiros rebatidos. © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

Tração traseira e 340 cv

E já que falamos em máquina elétrica, importa descrevê-la. O BMW i4 eDrive40 recorre a um motor elétrico de 250 kW (340 cv) e 430 Nm que tem uma tensão nominal de 400 V.

LEIAM TAMBÉM: Novo BMW X1. Diversidade não falta: Gasolina, Diesel, Híbrido plug-in e inédito elétrico iX1

Este propulsor surge montado em posição traseira e é alimentado por uma bateria de iões de lítio, «arrumada» entre os eixos, no chão da plataforma, com uma capacidade útil de 80,7 kWh.

Faz sentido traçar nova comparação com o Tesla Model 3, que na versão de tração traseira, a mais acessível, conta com uma bateria mais pequena de 60 kWh que se traduz em uma autonomia (ciclo WLTP) de até 491 km, não ficando longe em potência e binário: 239 kW (325 cv) e 420 Nm.

BMW I4 eDrive40
Os cabos de carregamento podem ser guardados por baixo do piso da bagageira. © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

No capítulo da performance, o BMW i4 eDrive40, mesmo não tendo o «poder de fogo» do i4 M50 — que o Diogo Teixeira já testou em vídeo —, a verdade é que dá boa conta de si: acelera dos 0 aos 100 km/h em 5,7s e atinge os 190 km/h de velocidade máxima.

Compara-se favoravelmente em relação aos 6,1s do Model 3, mas não aos 225 km/h que o modelo norte-americano tem de velocidade máxima.

E em estrada?

O BMW i4, como o próprio Série 4 Gran Coupé, destaca-se pela versatilidade com que nos brinda e varia de acordo com a nossa disposição.

Num registo mais calmo, pelas ruas mais apertadas da cidade, por exemplo, e recorrendo ao modo Eco Pro, o i4 é sereno, previsível e eficiente.

BMW I4 eDrive40
Existem três modos de condução disponíveis: Eco Pro, Comfort e Sport. © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

Mas quando resolvemos explorar o seu potencial dinâmico numa estrada mais serpenteada e, claro, recorrendo ao modo Sport, o i4 mostra muito mais genica e até nos deixa brincar com a traseira, ainda que tudo aconteça sempre de forma mais progressiva.

Destaque para o facto de a direção ganhar mais precisão e mais rapidez no modo Sport, algo que combina muito bem com a resposta mais imediata do acelerador e com a entrega (sempre) pronta do binário.

BMW I4 eDrive40
Por fora, são os apontamentos em azul que denunciam que este é um BMW 100% elétrico. As jantes de 19″ presentes na nossa unidade são opcionais. © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

E se andar rápido não é problema, travar muito menos. O tato do pedal é fácil de decifrar e as massas da carroçaria só se fazem notar quando abusamos na entrada das curvas.

LEIAM TAMBÉM: Quase 900 000 km. Será este o BMW M5 (E39) com mais quilómetros do mundo?

Mas tudo isto é feito sem grandes doses de drama à mistura e com uma naturalidade muito característica dos modelos germânicos e dos BMW em particular. Quase como se o carro nos estivesse constantemente a dizer: “Sem problema, podes abusar mais, foi para isto que fui feito”.

Descubra o seu próximo automóvel:

Bem menos seco do que esperava

Apesar das dimensões generosas e de pesar 2125 kg, o BMW i4 eDrive40 surpreendeu-me pela agilidade que revela e pela compostura que mantém em curva, mesmo quando subimos o ritmo.

Mas curiosamente tem um acerto bem menos firme do que tinha antecipado e apresenta-se com um pisar menos seco do que o seu principal rival, o Tesla Model 3, que acusa qualquer coisa como 370 kg a menos na balança.

E isto leva-me ao ponto seguinte, o do conforto. É que qualquer que seja o cenário ou a situação, o i4 mostra-se sempre muito confortável e com qualidades de estradista muito assinaláveis.

A NÃO PERDER: Tesla Model Y (2022). O melhor crossover elétrico?

Dei por mim a fazer bastante autoestrada com este elétrico da BMW e isso nunca foi problema. A suspensão absorve sempre muito bem as irregularidades do asfalto e no modo Comfort o motor revela-se muito progressivo, sem solavancos, algo que nem sempre acontece nos modelos 100% elétricos.

BMW I4 eDrive40
Como não poderia deixar de ser, o sistema multimédia permite a integração com smartphone através do Apple CarPlay. © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

Consumos baixos surpreendem

A BWM reclama consumos combinados (WLTP) de 16,4 kWh/100 km e a verdade é que durante os dias que passei com este elétrico consegui andar quase sempre num «território» bem próximo deste registo.

Em autoestrada consegui andar quase sempre em torno dos 17,5 kWh/100 km, mas curiosamente consegui chegar ao final deste teste com uma média de 16,5 kWh/100 km, um número bastante bom sobretudo se tivermos em conta que este é um elétrico que não assenta numa plataforma dedicada, como acontece por exemplo com o Tesla Model 3.

É o carro certo para si?

O BMW i4 até pode ter nascido a partir de um carro com motor de combustão interna, mas a verdade é que é um elétrico de excelência, capaz de nos proporcionar uma condução envolvente e dinâmica, ao mesmo tempo que é capaz de nos oferecer um conforto de exceção para «atacarmos» tiradas mais longas em autoestrada.

BMW I4 eDrive40 © Miguel Dias / Razão Automóvel — editado por Thomas V. Esveld

É um elétrico, sim, mas antes disso é um BMW. E sentimos perfeitamente que o ADN da marca bávara está bem enraizado neste modelo, que também se destaca por apresentar uma máquina elétrica muito eficiente, o que nos permite obter bons consumos e claro, uma autonomia muito interessante.

Posto isto, é uma proposta a considerar? Sem dúvida. E neste segmento, acho mesmo que é o único modelo capaz de fazer frente ao Tesla Model 3.

Preço

unidade ensaiada

70.601

Versão base: €62.000

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: Motor elétrico
    • Posição: Traseira transversal
    • Carregamento: Bateria de iões de lítio de 83,9 kWh (80,7 kWh úteis)
    • Potência: 250 kW (340 cv)
    • Binário: 430 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Traseira
    • Caixa de velocidades: Caixa redutora de uma velocidade
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4783 mm / 1852 mm / 1448 mm
    • Distância entre os eixos: 2856 mm
    • Bagageira: 470-1290 l
    • Jantes / Pneus: FR: 245/40 R19; TR: 255/40 R19
    • Peso: 2125 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 19,1-16,1 kWh/100 km; Autonomia: 493-590 km
    • Vel. máxima: 190 km/h
    • Aceleração: 5,7s
  • Equipamento
    • Funcionamento automático da porta da bagageira
    • Faróis dianteiros e traseiros LED
    • BMW Live Cockpit Plus com visor curvo BMW
    • Sistema operativo 8 BMW com navegação
    • Ar condicionado automático
    • Volante desportivo em pele
    • Carregamento CA com 11 kW, carregamento CC com até 210 kW
    • Bomba de calor para maior eficiência e climatização prévia
    • Cruise Control com função de travagem
    • Câmara traseira
Extras
Pintura Metalizada branco mineral — 950 €; Tecido Sensatec perfurado preto — 360 €; Alarme antirroubo — 530 €; Sistema de acesso Comfort — 675 €; Vidros com proteção solar — 445 €; Jantes em liga leve bicolores de 19'' — 2780 €; Luz ambiente interior — 380 €; BMW IconicSounds Electric — 210 €; Sistema de som HiFi — 390 €; Assistente de condução — 940 €; Carregamento sem fios — 210 €.
Avaliação
8 / 10
O BMW i4 não é perfeito, mas cumpre com todas as expectativas que tinha para ele. É certo que não tem uma plataforma dedicada e que podia ser mais leve, mas conduz-se e sente-se como um verdadeiro BMW. Tanto é capaz de transmitir segurança e conforto ao condutor, como logo de seguida pode assumir uma faceta mais desportiva e deixar-nos desfrutar de uma bela estrada. E tudo de forma natural, sem dramas.
  • Versatilidade de utilização
  • Consumos
  • Dinâmica
  • Equipamento de série "curto"
  • Preço dos opcionais
Sabe responder a esta?
Qual a potência do BMW M5 CS?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

BMW M5 CS (635 cv). O mais potente de sempre e o último puramente a combustão

Mais artigos em Testes, Ensaio