Testámos o Volkswagen T-Roc Cabrio. É este o futuro dos descapotáveis?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 46 437 euros

Testámos o Volkswagen T-Roc Cabrio. É este o futuro dos descapotáveis?

Num mercado dominado pelos SUV, o Volkswagen T-Roc Cabrio parece mostrar o futuro dos descapotáveis, mas será que vale a pena?

O Volkswagen T-Roc Cabrio é a única versão do SUV alemão que não é produzida em Palmela (é produzida em Osnabruck, na Alemanha) e, ao mesmo tempo, o único descapotável da Volkswagen.

Ora, num mercado dominado pelos SUV em praticamente todos os segmentos, será que faz sentido juntar à carroçaria mais desejada da atualidade os «genes» de uma das tipologias de automóvel mais aspiracionais que existe?

A Volkswagen tentou fazê-lo com este T-Roc Cabrio e para descobrir se a solução faz sentido já o pusemos à prova.

A NÃO PERDER: Testámos o Toyota C-HR GR Sport. É possível juntar boas performances com consumos baixos?
VW T-Roc Cabrio © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Um T-Roc bem diferente

Não são precisas grandes capacidades de observação para perceber que este T-Roc Cabrio é bem diferente dos restantes.

Com apenas duas portas, o SUV alemão priorizou a forma sobre a função (como se espera num descapotável) e o resultado final parece ter resultado.

É óbvio que as enormes portas e a elevada linha de cintura não lhe garantem a elegância típica dos descapotáveis tradicionais, mas se o objetivo era garantir que este T-Roc Cabrio não passava despercebido a Volkswagen parece ter sido (muito) bem-sucedida.

VW T-Roc Cabrio © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O «preço» de perder o tejadilho

Como seria de esperar, há um «preço» a pagar para andar de «cabelos ao vento» e no caso do T-Roc Cabrio este diz respeito à perda da habitabilidade tão elogiada em todos os outros T-Roc.

À frente nem há diferenças, mas o espaço nos bancos traseiros foi bastante reduzido bem como a capacidade da bagageira (passou de 445 l para 280 l), cujo maior «problema» é mesmo o acesso muito pequeno que nos obriga a abdicar de transportar objetos mais volumosos.

Em tudo o resto temos as mesmas qualidades já reconhecidas ao renovado Volkswagen T-Roc. Os materiais são mais agradáveis, o visual mais moderno e só alguns ruídos parasita revelam que a rigidez global deste T-Roc Cabrio está um pouco abaixo da oferecida pelos seus «irmãos».

Descubra o seu próximo carro:

O «melhor de dois mundos»

Devo admitir que os primeiros quilómetros feitos ao volante do T-Roc Cabrio foram uma experiência um pouco desconcertante.

Por um lado, ia sentado numa posição mais alta típica de um SUV. Por outro, a ausência do tejadilho dava-me uma sensação de liberdade normalmente reservada a modelos bem mais desportivos e caros.

No final só posso elogiar a experiência de condução do SUV/descapotável da Volkswagen. Bem auxiliado por um adequado 1.5 TSI de 150 cv, este T-Roc Cabrio não só revelou ser uma boa aposta como «carro de passeio» como revelou cumprir na perfeição a tarefa de carro do «dia-a-dia».

Os consumos, numa condução feita sem grandes cuidados com este capítulo e, quase sempre, de capota aberta, fixaram-se nuns muito aceitáveis 6,7 l/100 km, e as prestações mostraram-se à altura de um modelo cujo principal objetivo é «entreter» o seu condutor.

VW T-Roc Cabrio
Ao contrário do que estava à espera, mesmo com a capota aberta, o ecrã do sistema de infoentretenimento continua a ser legível. Há reflexos, mas não em demasia. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Por falar em andar de capota aberta, o isolamento aerodinâmico revelou-se em bom plano, não havendo excesso de «turbulência» mesmo quando andamos em autoestrada com todas as janelas abertas.

Contudo, nestas circunstâncias eram bem-vindos uns bancos e volante aquecidos, equipamentos ausentes na unidade testada e que podem ajudar a usufruir das potencialidades do T-Roc Cabrio ao longo de todo o ano.

É o carro certo para si?

É verdade que o Volkswagen T-Roc Cabrio abdica de algumas das maiores qualidades dos restantes T-Roc (como a habitabilidade), mas fá-lo por uma «boa causa».

O seu preço até pode parecer elevado no seio da gama T-Roc, mas a verdade é que faz deste um dos descapotáveis mais acessíveis do mercado, e falo de um descapotável «a sério» e não apenas de um modelo com teto de abrir panorâmico em lona ao qual juntaram a designação “Cabrio” mas que mantém os arcos laterais.

O melhor é que, ao usar como base para o seu descapotável o T-Roc, a Volkswagen criou um modelo com um comportamento competente, confortável e, cortesia da maior altura ao solo, interessantemente versátil.

Se esta é ou não a receita para o futuro dos descapotáveis ainda não sabemos, mas, se for, a verdade é que a solução até faz sentido e não se preocupem, as sensações de circular de «cabelos ao vento» mantêm-se inalteradas.

Preço

unidade ensaiada

49.294

Versão base: €46.437

IUC: €173

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 498 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (16 válv.)
    • Potência: 150 cv entre as 5000-6000 rpm
    • Binário: 250 Nm entre 1500-3500 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: DSG de sete relações
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4271 mm / 1811 mm / 1527 mm
    • Distância entre os eixos: 2630 mm
    • Bagageira: 280 l
    • Peso: 1536 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 6,8 l/100 km
    • Emissões de CO2: 155 g/km
    • Vel. máxima: 205 km/h
    • Aceleração: 9,6s
  • Equipamento
    • Faróis LED Performance
    • Pacote Driver Assistance
    • Digital cockpit Pro
    • Kit R-Line dianteiro e traseiro
    • Jantes em liga leve 17’ “Valencia
    • Câmara traseira
    • AC automático Climatronic 2 zonas
    • Navegação Discover Media
    • Wireless App Connect
    • Pedais em alumínio
    • Retrovisores exteriores rebatíveis electricamente
Extras
Vermelho Kings/Capota Preta — 756€; Keyless Access — 399€; Jantes de 19” MISANO — 945 €; Faróis IQ. LIGHT LED Matrix — 757 €.
Avaliação
8 / 10
O Volkswagen T-Roc Cabrio fez-me lembrar aquela frase: “primeiro estranha-se, depois entranha-se”. Se inicialmente a ideia de um SUV descapotável pode causar alguma confusão, a verdade é que depois de o conduzir percebi a ideia da Volkswagen: criar um descapotável acessível usando o «formato da moda». O resultado final é particularmente eficaz e tenho de fazer minhas as palavras do Guilherme Costa quando o testou: o T-Roc Cabrio é um produto muito bem conseguido e um dos melhores descapotáveis nesta faixa de preços.
  • Isolamento acústico;
  • Versatilidade
  • Conforto de rolamento
  • Relação consumos/prestações
  • Acesso à bagageira
  • Comandos hápticos da climatização exigem habituação
Sabe responder a esta?
Qual é a capacidade da bagageira do Volkswagen Arteon?

Mais artigos em Testes, Ensaio