Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Chega em outubro

Kia EV6. Já conduzimos um dos elétricos mais esperados do ano

Há muito aguardado e com chegada prevista para outubro, o Kia EV6 é a resposta sul-coreana à ofensiva ID. da Volkswagen. Será que está à altura?

Os sul-coreanos acreditam ter a resposta certa para a ofensiva ID. da Volkswagen e, uns meses depois do Hyundai IONIQ 5, é a vez do Kia EV6 se vir juntar a esse “contra-ataque”.

Enquanto no Grupo Volkswagen a plataforma MEB vai servir quase todos os modelos elétricos da Audi, CUPRA, SEAT, Skoda e Volkswagen, no Grupo Hyundai esse papel cabe à plataforma e-GMP.

A ideia é lançar 23 modelos 100% elétricos no mercado até 2026 (alguns dos quais versões de modelos já existentes, sem plataforma dedicada), ano em que o objetivo é o de colocar um milhão de carros 100% elétricos na estrada.

A NÃO PERDER: Tudo sobre o novo Kia Sportage específico para a Europa
Kia EV6

Não passa despercebido

Com um visual que não deixa de evocar (de forma subtil) as linhas do icónico Lancia Stratos, o Kia EV6 apresenta-se com proporções meio SUV, meio hatch, meio Jaguar I-Pace (sim, já são três metades…).

Quanto às dimensões, este apresenta-se com uns amplos 4,70 m de comprimento (menos 6 cm do que o Hyundai), 1,89 m de largura (igual ao IONIQ 5) e 1,60 m de altura (menos 5 cm do que o Hyundai) e uma muito esticada distância entre eixos de 2,90 metros (ainda assim, 10 cm mais curta do que a do IONIQ 5).

Além das proporções, o design marca pontos em caráter. Temos o que a Kia apelida de “reinterpretação do «Tiger Nose» na era digital” (com a grelha frontal quase a desaparecer), ladeado pelos proeminentes faróis estreitos LED e com uma entrada de ar inferior que ajuda a aumentar a sensação de largura.

De perfil, a tal silhueta de crossover é cheia de ondulações que ajudam a evidenciar o longo comprimento, terminando numa traseira marcante fruto da enorme faixa LED que se estende de um lado ao outro do EV6 e chegando mesmo aos arcos de cada uma das rodas.

A NÃO PERDER: Audi Q4 e-tron em vídeo. O próximo SUV elétrico da Audi

Minimalismo “escandinavo”

O moderno habitáculo tem uma apresentação muito “arejada” com um tablier e consola central de um minimalismo escandinavo e bancos finos, cobertos por plásticos reciclados. As superfícies são maioritariamente de toque duro e aspeto simples, mas com acabamentos que denotam qualidade e robustez.

Quanto ao painel de bordo, este apresenta dois bem integrados ecrãs curvos de 12,3”: o da esquerda para a instrumentação e o da direita, ligeiramente direcionado para o condutor, para o sistema de infoentretenimento. Subsistem alguns botões físicos, principalmente a climatização e o aquecimento dos bancos, mas quase tudo o resto é operado pelo ecrã tátil central.

Já no capítulo da habitabilidade, a longa distância entre eixos “dá cartas”, com o Kia EV6 a oferecer imenso espaço para pernas na segunda fila de bancos. A ajudar a tudo isto, a colocação das baterias no piso do carro permitiu criar um piso plano e aumentou a altura dos assentos.

A bagageira é igualmente generosa, com um volume de 520 litros (até 1300 com as costas dos bancos traseiros rebatidas) e formas facilmente aproveitáveis, a que se juntam mais 52 litros sob o capô dianteiro (apenas 20 no caso da versão 4×4 com um motor à frente que testámos).

Face à concorrência, este é um volume superior ao do Ford Mustang Mach-E (402 litros) mas inferior ao do Volkswagen ID.4 (543 litros) e do Skoda Enyaq (585). Contudo, os rivais do Grupo Volkswagen não oferecem a tal pequena bagageira dianteira, ficando assim o plano “equilibrado”.

Descubra o seu próximo carro:

Performances de desportivo

As versões de acesso à gama EV6 são apenas de tração traseira (bateria de 58 kWh e potência de 170 cv ou de 77,4 kWh e 229 cv), mas a unidade de teste que nos foi cedida (ainda de pré-produção) era a 4×4, no caso até na sua derivação mais potente de 325 cv e 605 Nm (em Portugal o EV6 de tração integral que se vai vender é o menos potente, com 229 cv).

Mais tarde, já em finais de 2022, junta-se à família um EV6 GT 4×4 mais potente que eleva o rendimento total para os 584 cv e 740 Nm e capaz de uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 3,5s e de uma surpreendente velocidade de ponta de 260 km/h.

Para a esmagadora maioria dos futuros condutores, a versão de 325 cv “chega e sobra” para as suas exigências, ao mesmo tempo que se posiciona como rival natural do ID.4 GTX da Volkswagen.

Apesar das 2,1 toneladas de peso, o rendimento conjunto do motor dianteiro de 100 cv e traseiro de 225 cv depressa o fazem “parecer mais leve”, permitindo prestações de desportivo: 0 aos 100 km/h em escassos 5,2s, 185 km/h de velocidade máxima e, sobretudo, recuperações de 60 a 100 km/h em apenas 2,7s ou de 80 a 120 km/h em 3,9s.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Volkswagen ID.4 GTX, o elétrico para as famílias apressadas

Mas nem só de potência é feito o EV6. Temos ainda um sistema de recuperação de energia operado através de patilhas colocadas atrás do volante para que o condutor possa escolher entre seis níveis de regeneração (nulo, 1 a 3, “i-Pedal” ou “Auto”).

Kia EV6
O condutor tem seis níveis de regeneração à escolha, podendo selecioná-los em duas patilhas atrás do volante (tal como nas caixas sequenciais).

A direção requer, como em todos os elétricos, um período de adaptação, mas tem um peso bem calibrado e uma resposta suficientemente comunicativa. Melhor até do que a suspensão (independente às quatro rodas, com braços múltiplos atrás).

Apesar de conseguir conter bem os movimentos transversais da carroçaria (o baixo centro de gravidade e grande peso das baterias ajudam), acaba por se revelar demasiado nervosa ao passar sobre maus pisos, especialmente nas solicitações de altas frequências.

Kia EV6

Uma ressalva: esta era uma unidade de pré-produção e os engenheiros da marca coreana estão a tentar que o carro final consiga chocalhar menos os seus ocupantes na passagem por ressaltos mais protuberantes no asfalto.

VEJAM TAMBÉM: Nissan Leaf e+ (62 kWh) testado. A celebrar 10 anos de vida, ainda continua em forma?

400 a 600 km de autonomia

Tão ou mais relevante num carro elétrico é tudo o que tem que ver com a sua autonomia e velocidade de carregamento e aqui o EV6 parece ter tudo para fazer boa figura. São prometidos 506 km com a bateria cheia (podem cair para cerca de 400 km se predominarem vias rápidas ou estender-se até aos 650 nos trajetos urbanos), isto com as jantes mais pequenas, de 19”.

Este é o primeiro modelo de uma marca generalista (a par do IONIQ 5) a dispor de carregamento com uma tensão de 400 ou 800 volts (até hoje só a Porsche e a Audi o ofereciam), indiferenciadamente e sem necessidade de utilização de adaptadores de corrente.

Kia EV6
Num carregador rápido de 50 kW é possível repor 80% da bateria em apenas 1h13m.

Isto quer dizer que, nas condições mais favoráveis e com a potência de carga máxima admitida (de 240 kW em DC), este EV6 AWD pode “encher” a bateria de 77,4 kWh até 80% da sua capacidade em apenas 18 minutos ou acrescentar a energia suficiente para 100 km de condução em menos de cinco minutos (na versão de duas rodas motrizes com a bateria de 77,4 kWh).

Num contexto mais próximo da nossa realidade,  serão necessárias 7h20m para um carregamento completo numa Wallbox a 11 kW mas apenas 1h13m num posto rápido a 50 kW, em ambos os casos para passar de 10 a 80% do conteúdo energético da bateria.

A NÃO PERDER: Renault Mégane E-Tech Electric (vídeo). O primeiro Mégane 100% elétrico

Uma particularidade: o EV6 permite cargas bidirecionais, ou seja, o modelo da Kia é capaz de carregar outros dispositivos (como um sistema de ar condicionado ou uma televisão em simultâneo durante 24 horas ou até outro automóvel elétrico), existindo para tal uma tomada “doméstica” — Schuko — na base da segunda fila de bancos).

Kia EV6

Com chegada ao mercado prevista para outubro, o Kia EV6 vai ver os seus preços arrancarem nos 43 950 euros para o EV6 Air e irem até aos 64 950 euros do EV6 GT, valores que não incluem despesas de transporte, legalização e ecotaxas. Para os clientes empresariais a Kia preparou uma oferta especial cujo preço arranca nos 35 950 euros + IVA, preço “chave na mão”.

Ficha técnica

Motor
Motores 2 (um no eixo dianteiro e outro no eixo traseiro)
Potência Total: 325 CV (239 kW);
Dianteiro: 100 cv; Traseiro: 225 cv
Binário 605 Nm
Transmissão
Tração Integral
Caixa de velocidades Caixa redutora de uma relação
Bateria
Tipo Iões de lítio
Capacidade 77,4 kWh
Carregamento
Carregador de bordo 11 kW
Carga de infraestrutura 400V/800V (sem adaptador)
Potência máxima em DC 240 kW
Potência máxima em AC 11 kW
Tempos de carregamento
10 a 100% em AC (Wallbox) 7h13min
10 a 80% em DC (240 kW) 18 min
100 km de autonomia DC (240 kW) 5 min
Carregamento para rede 3,6 kW
Chassis
Suspensão FR: Independente MacPherson; TR: Independente multibraços
Travões FR: Discos ventilados; TR:Discos ventilados
Direção Assistência elétrica
Diâmetro de viragem 11,6 m
Dimensões e Capacidades
Comp. x Larg. x Alt. 4,695m/1,890m/1,550m
Distância entre eixos 2,90 m
Capacidade da mala 520 a 1300 litros (mala dianteira: 20 litros)
235/55 R19 (opção 255/45 R20)
Peso 2105 kg
Prestações e consumos
Velocidade máxima 185 km/h
0-100 km/h 5,2s
Consumo combinado 17,6 kWh/100 km
Autonomia 506 km a 670 km em cidade (jantes de 19”); 484 km a 630 km em cidade (jantes de 20”)

Autores: Joaquim Oliveira/Press-Inform

Primeiras impressões

8 / 10
Com um design muito personalizado, interior amplo e bagageira a condizer, o novo Kia EV6 é o rival direto do ID.4 da Volkswagen mas também do Mustang Mach-E da Ford. Consegue prestações de desportivo, autonomia muito satisfatória e um sistema de carregamento do mais avançado que existe no mercado.

  • Habitáculo espaçoso

  • Autonomia

  • Potência de carregamento

  • Suspensão “nervosa” em maus pisos

  • Preço

Data de comercialização: Outubro 2021


Sabe responder a esta?
Qual é a capacidade da bagageira do Kia XCeed PHEV?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Agora também como híbrido plug-in. Testámos o Kia XCeed PHEV

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto