Desde 38 052 euros

Testámos o Jeep Compass Night Eagle. É um Jeep mas será um bom SUV?

Para saber se o ADN da Jeep resulta em bons SUV pusemos à prova o Compass Night Eagle equipado com o motor 1.6 Multijet. Será que honra o "nome de família"?

Se em 1933, Vasco Santana afirmava “Chapéus há muitos” no filme “A Canção de Lisboa”, hoje ao olharmos para o parque automóvel a primeira coisa que nos vem à mente é reatualizar a frase e afirmar “SUV’s há muitos”, sendo um deles precisamente o Jeep Compass.

Desenvolvido sobre a mesma base Renegade, o Compass apresenta-se como o SUV compacto da Jeep, tentando capitalizar o peso que a marca norte-americana tem no mundo do todo o terreno para conquistar clientes e ganhar quota de mercado num segmento dominado pelo “eterno” Qashqai.

Mas será que a famosa grelha com sete barras verticais e o ADN aventureiro herdado do icónico Wrangler chegam para tornar o Compass numa alternativa válida? Para descobrir testámos o a versão Night Eagle equipada com o motor 1.6 Multijet.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do novo Citroën C5 Aircross. Valeu a pena esperar?
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel

Esteticamente, o Compass abandona o aspeto “burguês” e citadino que muitos SUV assumem optando antes por um visual robusto que incita à aventura e ao qual, na minha opinião, só falta um pára-choques dianteiro menos pronunciado (e consequentemente um melhor ângulo de ataque) para se perfilar como uma ótima alternativa para o fora de estrada para quem não aprecia o Dacia Duster.

VÊ TAMBÉM: Renault Triber. O SUV compacto de sete lugares que tu não podes comprar

No interior do Jeep Compass

Talvez já não te recordes, mas há uns tempos havia um anúncio de um canal televisivo que usava a frase “Há grande e à americana”. Uma vez dentro do Compass, é essa frase que nos vem à cabeça, com os comandos a assumirem uma dimensão maior do que o normal e a apresentarem (quase todos) uma legenda sobre a sua função.

Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel
Apesar do aspeto soturno (a ausência de materiais claros não ajuda), o interior do Compass apresenta uma boa qualidade de construção.

Quanto à qualidade, os materiais alternam entre os mais duros (e robustos) e os macios, sendo que a montagem até se encontra em bom plano (se bem que um Skoda Karoq seja melhor). Nota positiva para a ergonomia, com todos os comandos a surgirem, como se diz na gíria “à mão de semear”.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Peugeot 508 2.0 BlueHDI: um premium à francesa?

Outra das coisas no interior do Compass que nos recorda que este é um modelo norte-americano é a grande abundância de espaços de arrumação e de… porta-copos, é claro! Já o sistema de infotainment contém excesso de informação e de menus (só para conetar o telemóvel temos de abrir vários sub-menus).

VÊ TAMBÉM: Testámos o Volkswagen T-Cross 1.0 TSI Life: vale a pena poupar?

No que diz respeito ao espaço, o Compass mostra-se capaz de cumprir na perfeição as obrigações familiares, com cotas de habitabilidade que permitem transportar cinco adultos (quatro deles até com bastante conforto) e oferecendo uma bagageira que, com 438 l de capacidade, pode não ser referência mas já permite já levar muita coisa.

VÊ TAMBÉM: Kamiq. Já conduzimos o “baby-SUV” da Skoda

Ao volante do Jeep Compass

Lembras-te de no início te ter falado acerca do ADN Jeep? Pois bem, este é notório a partir do momento em que nos sentamos ao volante do Compass. É fácil encontrar uma posição de condução confortável, mas vamos sempre bastante altos (mais até que noutros SUV), sendo apenas de lamentar as dimensões excessivas do manípulo da caixa de velocidades.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Lexus UX 250h. O que vale a resposta nipónica?
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel
A posição de condução é confortável e… alta, tal e qual se espera num SUV.

Quanto às capacidades dinâmicas do Compass, deixa-me já dizer-te isto: se procuras um SUV focado na dinâmica o melhor talvez seja antes leres o ensaio que fizemos ao Tucson, pois o Compass, apesar de ser sempre seguro e previsível, porta-se como um… jipe, adornando sempre um pouco em curva e apresentando uma direção pouco comunicativa.

VÊ TAMBÉM: Testámos o DS 3 Crossback. Qual escolher? Gasolina ou gasóleo?
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel
A pega da caixa de velocidades é excessivamente grande.

O que o Compass “perde” nas curvas ganha nos caminhos de terra (onde este até é divertido e comprova que é um… Jeep) e nos pisos degradados, onde a taragem de suspensão mais focada no conforto acaba por se revelar uma ótima aliada e poupa os ocupantes a solavancos mais violentos, presenteando-nos com um bom nível de conforto.

Já no que ao motor diz respeito, a verdade é que este se revela um ótimo aliado do Compass, mostrando-se solícito desde os mais baixos regimes e capaz de mover com bastante celeridade o SUV da Jeep, sendo auxiliado por uma caixa com um bom tato, bem escalonada e que apenas se revela algo imprecisa quando solicitada de forma mais apressada.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Hyundai i30 N Line. O que vale a “vitamina N”?

Por fim, não penses que a celeridade com que os 120 cv do 1.6 Multijet impulsiona o Compass acaba por se refletir nos consumos. Com uma condução calma e em estrada é possível fazer médias de 5 l/100 km, sendo que em cidade os consumos andam pelos 7,7 l/100 km, e num uso misto é difícil ultrapassarem os 6,6 l/100 km de média.

VÊ TAMBÉM: BMW 840d xDrive Cabrio testado em vídeo. Diesel faz sentido?
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel
O que é isto? Um “Easter Egg” é claro!

É o carro certo para mim?

Antes de mais, devo admitir que gosto do Jeep Compass. Não, não é o melhor do segmento, nem o mais homogéneo, mas a verdade é que consegue trazer para uma escala mais pequena parte do espírito aventureiro e da robustez que normalmente associamos aos modelos da marca norte-americana.

VÊ TAMBÉM: Mazda CX-30 em vídeo. Primeiro contacto com o novo SUV japonês
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel
O 1.6 Multijet revela-se um bom aliado do Compass.

Assim sendo, se procuras um SUV diferente da maioria, que tem tão bom aspeto repleto de pó no meio do campo como numa qualquer rua da cidade e que é confortável, robusto, espaçoso e económico, então o Compass é o carro certo para ti.

VÊ TAMBÉM: Testámos o novo Mazda3 SKYACTIV-D com caixa automática. Uma boa combinação?
Jeep Compass Nighteagle © Raul Mártires / Razão Automóvel

Já se procuras um SUV mais focado no comportamento dinâmico, com um visual mais urbanita e sofisticado ou um modelo recheado de equipamento e tecnologia, o meu conselho é que dês uma vista de olhos a modelos como o Peugeot 3008, o Honda CR-V (um compêndio tecnológico) ou o Kia Sportage.

Preço

unidade ensaiada

42.229

Versão base: €38.052

IUC: €181

Classificação Euro NCAP: 5 / 5

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1598 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Distribuição: Injeção Direta Common Rail + Turbo de Geometria Variável + Intercooler
    • Potência: 120 cv às 3750 rpm
    • Binário: 320 Nm às 1750 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de seis velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4394 mm / 1819 mm / 1635 mm
    • Distância entre os eixos: 2636 mm
    • Bagageira: 438 litros
    • Jantes / Pneus: 225/55 R18
    • Peso: 1519 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 6,1 l/100 km
    • Emissões de CO2: 157 g/km
    • Vel. máxima: 188 km/h
    • Aceleração: 10,7 s
  • Garantias
    • Mecânica: 5 anos ou 75 000 quilómetros
    • Reviews Interval: 20 000 em 20 000 quilómetros
  • Equipamento
    • Ecrã TFT monocromático de 3,5" no painel de instrumentos
    • Sistema de áudio com 6 altifalantes
    • Comandos específicos Uconnect no volante
    • Rádio DAB com Serviços Live Uconnect
    • Banco do condutor ajustável em altura
    • Banco do passageiro dianteiro rebatível em formato mesa
    • Banco traseiro rebatível assimétricamente 60/40
    • Ar condicionado manual
    • Ajuste lombar elétrico
    • Espelhos retrovisores externos com aquecimento
    • Cruise Control
    • Volante em pele
    • Travão de mão elétrico
    • Estofos em misto de ecopele e tecido
    • Jantes em liga leve especificas de 18” escurecidas
    • Capas dos espelhos retrovisores da cor da carroçaria
    • Moldura dos faróis traseiros em preto
    • Grelha frontal escurecida
    • Pack Function (Espelho interno eletrocromático, Espelhos retrovisores rebatíveis eletricamente, Keyless Entry & Go, Tomada auxiliar 230V, Alarme)
    • Hill Holder - Sistema de ajuda ao arranque
    • ESP (ERM, Trailer Sway Damping, Sistema de travagem anti-bloqueio)
    • Luzes traseiras LED
    • Aviso de Transposição de Faixa Plus
    • Luzes dianteiras em halogéneo
    • DRL - Luzes diurnas automáticas
    • Faróis de nevoeiro dianteiros com efeito cornering
    • Aviso de colisão frontal
    • Sistema dinâmico de aviso de velocidade
    • TPMS (Pressão de pneus com indicação digital)
Extras
Pintura Bicolor branco Solid com teto preto (1400 €); Pack Tech (Ar condicionado automático bi-zona; Sistema multimédia Uconnect Rádio NAV 8,4"; Câmara de estacionamento traseira) (1150 €); Tapetes dianteiros e traseiros Jeep (60 €).
Avaliação
7 / 10
Robusto e com um visual tipicamente Jeep, o Compass é uma boa opção para aqueles que querem um SUV mas procuram um modelo "diferente". O motor é económico e solícito mas o comportamento está mais focado no conforto do que na eficácia fazendo do Compass um bom companheiro para viagens sem grandes pressas.
  • Robustez
  • Desempenho do motor/consumos
  • Conforto
  • Direção pouco comunicativa
  • Infotainment algo confuso
Sabes responder a esta?
Qual é a cilindrada do motor V6 Diesel com que a Jeep Gladiator vai ser vendida na Europa?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Jeep Gladiator para a Europa com V6 Diesel
Em cheio!!
Vai para a próxima pergunta

ou lê o artigo sobre este tema:

Jeep Gladiator para a Europa com V6 Diesel

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos