NX 450h+ testado. O primeiro híbrido plug-in da Lexus é o melhor dos NX?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 68 500 euros

NX 450h+ testado. O primeiro híbrido plug-in da Lexus é o melhor dos NX?

A segunda geração do Lexus NX trouxe consigo uma inédita versão híbrida plug-in, a 450h+, e nós já a testámos por estradas nacionais.

O Lexus NX é o modelo mais vendido da marca japonesa na Europa e agora, na segunda geração, além do 350h (híbrido convencional que não precisar de ligar à tomada), recebeu uma inédita versão híbrida plug-in, denominada 450h+ , que promete ajudar a cimentar ainda mais esta posição.

O Diogo Teixeira já lhe tinha «sentido o pulso» há cerca de meio ano, em Las Palmas, Espanha, mas agora pude finalmente testar este Lexus NX 450h+ por estradas nacionais.

E a pergunta mais importante é só uma: será que esta nova variante híbrida plug-in é a que faz mais sentido comprar? Fiz 862 km com ele em cinco dias e dou-vos a resposta nas próximas linhas.

A NÃO PERDER: Lexus RZ 450e. Bateria com um milhão de quilómetros de garantia e volante como o KITT
Lexus NX450h+ traseira
Atrás, o NX adotou uma assinatura luminosa com uma barra horizontal a unir os dois farolins e passou a contar com o lettering da marca ao centro, ao invés do logótipo. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Maior e mais europeu

Com 4,66 m de comprimento e 1,86 m de largura, a segunda geração NX cresceu 2 cm no comprimento e na largura e fica a meio caminho entre um Audi Q3 e um Q5 ou entre um BMW X1 e um X3.

Também a distância entre eixos cresceu 3 cm e isso teve um impacto positivo na habitabilidade, sobretudo na segunda fila. Mas falaremos disso mais abaixo.

Contudo, e provavelmente, a mudança mais notória é mesmo na imagem geral deste modelo, que agora está mais europeu do que nunca. É certo que a enorme grelha dianteira continua a marcar a identidade deste SUV, mas é impossível ignorar o suavizar das linhas do novo NX, decisão que deverá agradar à clientela do «velho continente».

Lexus NX450h+ perfil
Em relação à primeira geração, o novo NX é ligeiramente mais comprido, largo e alto (cerca de 20 mm em todas as direções) e a distância entre eixos também foi ampliada, em 30 mm (2,69 m no total). © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No habitáculo, uma revolução

No interior deste Lexus NX prevalece a filosofia japonesa omotenashi, algo que pode ser traduzido como hospitalidade japonesa. E isso fica visível em quase todos os comandos e superfícies deste modelo.

LEIAM TAMBÉM: Quatro motores no sucessor do LFA? Entrevistámos Spiros Fotinos, Diretor da Lexus Europa

A Lexus não teve medo de mudar por completo o design interior e isso merece um aplauso. Sobretudo porque o resultado final é muito bom.

Lexus NX450h+ volante
O interior rompe de forma clara com o design do antecessor. Destaca-se a qualidade de montagem e dos materiais. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A qualidade de montagem é muito boa, tal como o toque de todos os materiais que estão à vista.

Ao mesmo tempo é tudo bastante funcional e simples de operar, sobretudo para quem está sentado no lugar do condutor. Nota-se que esse é o lugar de maior protagonismo dentro deste habitáculo.

Lexus NX450h+ ecrã
O ecrã central de 14” é um dos protagonistas do habitáculo deste novo Lexus NX. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Foi precisamente ao nível do interior que este NX mais evoluiu nesta segunda geração. E aqui, uma nota muito importante para o painel de instrumentos digital e, sobretudo, para o enorme ecrã de 14”, que em Portugal é oferecido de série em todas as versões do modelo.

A auxiliar o ecrã central e, acima de tudo, o painel de instrumentos digital, ainda temos um sistema de head-up display que simula um ecrã com 10”.

E o espaço?

O espaço na segunda fila de bancos é satisfatório e mais importante ainda, a versão híbrida plug-in não saiu prejudicada em termos de volume de carga na bagageira face à híbrida convencional, a 350h.

Por isso mesmo, oferece um valor mínimo de 545 l, número que pode crescer até aos 1436 l com os bancos traseiros rebatidos.

Como se porta em estrada?

As diferenças para o NX de primeira geração são mais do que óbvias. Aliás, são gigantes.

A NÃO PERDER: Este é o renovado Lexus ES 2022. Alternativa ao Série 5, Classe E e A6?

E tudo começa logo na posição de condução, que é muito confortável. O volante tem uma pega excelente, oferece uma amplitude muito grande de ajustes e permite-nos encontrar um «encaixe» satisfatório e bem alinhado com o banco e com os pedais.

Lexus NX450h+
Bancos dianteiros são muito confortáveis, mas oferecem um ótimo suporte lateral. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Depois, destaque para a suspensão, que garante mais precisão e nos brinda com um tato bem mais confortável.

A direção também se mostra mais direta e precisa do que estava à espera, ainda que este NX não seja, nem de perto nem de longe, um exemplo de SUV com uma dinâmica desportiva e envolvente. Aqui, os rivais germânicas levam vantagem.

Acima de tudo, o NX 450h+ mostra-se sempre muito neutro em termos de comportamento. É estável, bastante previsível e consegue controlar bem os movimentos laterais da carroçaria.

Lexus NX450h+ perfil
As formas gerais do NX foram mantidas, mas as linhas estão mais arredondadas. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Mas parece sempre mais confortável numa viagem longa em autoestrada do que numa estrada mais serpenteada, onde é natural queremos tirar proveito dos 309 cv de potência máxima combinada que o sistema híbrido nos oferece.

E por falar em sistema híbrido…

Este é o primeiro híbrido plug-in da Lexus e, por isso, tem uma responsabilidade acrescida. Porém, equipa um sistema com provas dadas, herdado do «primo» Toyota RAV4 PHEV. E isso, como seria de esperar, são excelentes notícias.

LEIAM TAMBÉM: Ofensiva elétrica. Toyota e Lexus vão lançar 30 modelos elétricos até 2030

Na base do sistema está um motor a gasolina de 2.5 l e quatro cilindros em linha, que funciona de acordo com o mais eficiente ciclo Atkinson, entrega 185 cv, que é depois combinado com dois motores elétricos.

Lexus NX450h+ motor © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Um deles, com 134 kW (182 cv), surge montado na dianteira, ao passo que outro, mais pequeno, com 40 kW (54 cv), surge montado no eixo traseiro. A juntar a isto, temos ainda uma bateria de iões de lítio com 18,1 kWh de capacidade montada em posição central.

Autonomia e consumos

Graças a isto, a Lexus reclama uma autonomia máxima em ciclo WLTP de 76 km, um registo que pode ser facilmente alcançado se adotarmos uma condução mais cuidada e se andarmos maioritariamente em cidade.

E mesmo quando a bateria se esgota, conseguimos facilmente fazer médias inferiores a 6,5 l/100 km, um registo muito interessante se tivermos em conta que estamos perante um SUV com cerca de duas toneladas e com todo este «poderio» mecânico.

Ainda assim, em autoestrada, os consumos dispararam para lá dos sete litros. E quando adotei uma condução mais desportiva e mais rápida, cheguei mesmo a fazer 7,8 l/100 km.

Aqui, a nota menos positiva tem mesmo que ir para o carregador de bordo, que está limitado a uma potência máxima de 6,6 kW (alguns híbridos plug-in já suportam 11 kW), pelo que carregar a bateria por completo demora aproximadamente duas horas e meia.

Descubra o seu próximo automóvel:

É o carro certo para si?

Este Lexus NX 450h+ começa logo por nos convencer por ter um sistema híbrido que funciona de forma muito silenciosa e agradável. Só mesmo quando chamamos o motor a gasolina de forma mais «urgente» é que o ouvimos «gritar».

Depois, e graças à transmissão e-CVT e aos quatro modos de funcionamento distintos — EV (elétrico), HV (híbrido), Auto EV/HV e CHG Mode (carrega bateria com motor de combustão) —, sentimos que o sistema híbrido gere sempre muito bem a cadeia cinemática e a energia à sua disposição.

A NÃO PERDER: É oficial, o Toyota GR Supra vai ter uma versão com caixa manual

E a tudo isto é importante somar, novamente, a evolução significativa que este NX sofreu ao nível do interior, sobretudo na oferta tecnológica. O imponente ecrã central de 14” e o novo sistema de infoentretenimento tem um funcionamento mais rápido e, acima de tudo, mais intuitivo, uma das principais críticas negativas apontadas ao antecessor.

Contas feitas, este Lexus NX 450h+ é uma excelente proposta em termos globais e tem tudo para triunfar na Europa, mantendoo estatuto de modelo mais vendido da marca nipónica em território europeu, talvez até reforçando essa posição de best-seller.

Quanto à pergunta que fiz no início deste artigo, bem, a resposta varia de acordo com a vossa possibilidade de carregamento. Se tiverem como carregar este 450h+ em casa ou no trabalho, esta é a versão a escolher.

Se estiverem dependentes da rede de carregadores pública, então talvez seja melhor olhar para o híbrido convencional NX 350h, que é marginalmente mais acessível.

É que mesmo oferecendo consumos simpáticos depois da bateria se esgotar, este NX 450h+, tal como qualquer híbrido plug-in, só faz sentido se for regularmente carregado. Caso contrário vão andar constantemente a «arrastar» um pacote de baterias que nada vos oferece.

Preço

unidade ensaiada

69.582

Versão base: €68.500

IUC: €204

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 2487 cm³
    • Posição: Motor combustão: Dianteira Transversal; Motor elétrico 1: Dianteiro Transversal; Motor elétrico 2: Traseiro Transversal; Bateria: Central
    • Carregamento: Motor combustão: Injeção mista. Motor elétrico: bateria de iões de lítio de 18,1 kWh
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro (16 válv.)
    • Potência: Motor combustão: 185 cv às 6000 rpm; Motor elétrico 1: 134 kW (182 cv); Motor elétrico 2: 40 kW (54 cv); Potência máxima combinada: 309 cv
    • Binário: Motor combustão: 227 Nm entre as 3200-3700 rpm; Motor elétrico 1: 270 Nm; Motor elétrico 2: 121 Nm; Binário máximo combinado: N.D.
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática e-CVT
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4660 mm / 1865 mm / 1660 mm
    • Distância entre os eixos: 2690 mm
    • Bagageira: 545-1436 l
    • Jantes / Pneus: 235/60 R18
    • Peso: 2065 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1 l/100 km; Autonomia modo elétrico: 76 km
    • Emissões de CO2: 22 g/km
    • Vel. máxima: 200 km/h
    • Aceleração: 6,3s
  • Equipamento
    • Jantes em liga leve maquinadas de 18'', pneus 235/60 R18
    • Vidros escurecidos
    • Spoiler na cor da carroçaria
    • Barras de tejadilho prateadas
    • Sensor de chuva
    • Faróis dianteiros bi-LED
    • Sensor de nevoeiro
    • Espelhos retrovisores, com recolha automática
    • Espelhos retrovisores, com regulação elétrica
    • Sensores de estacionamento inteligente
    • Vidro acústico, pára-brisas e vidro dianteiros laterais
    • Cabo de carregamento doméstico (7,5m)
    • Lexus Safety System +
    • Sistema de Pré-Colisão (PCS)
    • Deteção dianteira de peões
    • Cruise Control Adaptativo (DRCC), em todas as velocidades
    • Controlo e assistência ao arranque em subidas (HAC)
    • Assistência à manutenção na faixa de rodagem (LTA)
    • Monitor de ângulos mortos (BSM)
    • Aviso de trafego e travagens de emergência na traseira (RCTAB)
    • Assistência à leitura de sinais da estrada (RSA)
    • Pré-Crash Deteção dianteira diurna de motociclistas
    • Pré-Crash Direção c/assistência de emergência (ESA)
    • Pré-Crash Assistência em cruzamento (ITA)
    • Deteção traseira de pedestres
    • Ecrã multi informação 7''
    • Carregador wireless
    • Porta USB dianteira
    • 2 portas USB, consola traseira
    • Integração com Apple CarPlay® e Android Auto®
    • Volante revestido a pele
    • Porta traseira com abertura e fecho elétrico (com memória de altura)
    • Bancos dianteiros aquecidos com 8 regulações elétricas
    • Controlo de climatização eletrónico de duas zonas
    • Ar condicionado, com função F-Sflow
Extras
Pintura "Terrane Khaki" — 1082 €.
Avaliação
8 / 10
Que grande evolução face à geração anterior! O novo Lexus NX encaixa muito bem na gama atual da marca japonesa e tem nesta versão híbrida plug-in, a 450h+, uma proposta com enorme potencial. A autonomia em modo 100% elétrico não dá grandes hipóteses aos rivais, mas é a suavidade de funcionamento do sistema que acaba por nos convencer. A somar a isso, ainda recebemos um interior muito bem construído e uma imagem exterior mais dinâmica.
  • Equipamento
  • Qualidade de montagem
  • Interior
  • Autonomia em modo 100% elétrico
  • Menos desportivo que os rivais alemães
  • Carregador de bordo limitado a 6,6 kW
Sabe responder a esta?
Qual a potência do Lexus LC 500 Cabrio?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lexus LC 500 Cabrio (464 cv). Parece do futuro, mas já nasceu um clássico

Mais artigos em Testes, Ensaio