Apresentação

Kia EV6. Rival do ID.4 tem versão GT mais rápida que um Taycan 4S

Com chegada prevista para o último trimestre de 2021, o Kia EV6 é o primeiro de 11 novos modelos elétricos que a Kia vai lançar nos próximos cinco anos.

Depois da Hyundai ter divulgado a sua linha de modelos elétricos Ioniq é agora a vez da Kia tornar a ofensiva elétrica coreana mais forte, com a chegada do Kia EV6, um rival direto do Volkswagen ID.4.

A Kia teve crescimentos exponenciais na Europa na última década — em volume de vendas e quota de mercado —, mas tem perfeita consciência de que ainda não tem o poderio da Volkswagen.

E se é verdade que a família ID dos rivais alemães está já em franco crescimento (o ID.3 já rola nas nossas estradas, o ID.4 está aí à porta) agora percebemos que os coreanos parecem estar a unir forças para conseguirem uma posição de relevo nesta nova era da eletrificação do automóvel.

A NÃO PERDER: É mesmo o mais barato. Dacia Spring Electric já tem preço para Portugal

 

“Irmãos”, mas diferentes

A esse propósito Luc Donckerwolke, diretor criativo (CCO) da Hyundai — com um passado relevante no Grupo Volkswagen e já com uma história curiosa na empresa coreana, tendo-se demitido em abril de 2020 para regressar no final do mesmo ano — refere que o Ioniq 5 e o EV6 foram concebidos de maneira antagónica, com o Hyundai a ser desenhado “de dentro para fora” e o EV6 de “fora para dentro”.

Já Karim Habib, vice-presidente de design e diretor do centro de estilo global da Kia (além de ex-chefe de design na BMW e na Infiniti), refere que “esta é uma nova linguagem de design criada para a era elétrica e necessariamente diferente dos modelos mais convencionais”.

Sete dos onze modelos elétricos que a Kia quer ter na estrada até 2026 serão feitos sobre esta nova plataforma elétrica, sendo que os quatro restantes serão variantes elétricas de modelos existentes.

O objetivo é que 40% dos Kia matriculados em 2030 sejam elétricos, o que significa mais de 1,6 milhões de veículos vendidos a nível global nesse ano.

A NÃO PERDER: Ansiedade com a autonomia? Nenhuma. Testámos o elétrico Kia e-Niro

Elétricos muito parecidos?

Para um observador externo, a ideia que fica é que realmente os novos carros nascidos como 100% elétricos são uma lufada de ar fresco para a indústria automóvel em termos de estilo, alargando horizontes e estabelecendo novas linguagens de design.

Contudo, não deixa de ser verdade que em muitos casos seria difícil identificar a marca a que os modelos pertencem se deles fossem retirados os logótipos, precisamente porque faltam referências estilísticas conhecidas.

No caso do EV6, o primeiro de vários modelos feitos sobre esta plataforma e que irão sempre juntar as letras EV de “Electric Vehicle” a um número de um único dígito alusivo ao posicionamento do carro, temos o que a Kia chama de “reinterpretação do nariz de tigre na era digital”.

Neste caso a grelha frontal quase desaparece, sendo ladeada pelos proeminentes faróis estreitos LED e com uma entrada de ar inferior que ajuda a criar sensação de largura. De perfil vemos uma silhueta de crossover cheia de ondulações que ajudam a evidenciar o longo comprimento de 4,68 m, que termina numa traseira com fortíssima personalidade, fruto da enorme faixa LED que se estende de um lado ao outro do EV6 e que chega mesmo aos arcos de cada uma das rodas.

Kia EV6

A Kia já tem dois modelos elétricos (o e-Soul e o e-Niro), mas o EV6 é o primeiro feito sobre a nova plataforma modular global (E-GMP) com tecnologia mais evoluída e com aproveitamento funcional e espacial de todas as vantagens que um sistema de propulsão 100% elétrico permite nesses dois aspetos.

A distância entre eixos de 2,90 m e a colocação das baterias no piso do carro são determinantes para que o espaço para pernas na segunda fila de bancos seja enorme e sem qualquer obstrução no piso, para maior relaxamento e liberdade de movimentos dos passageiros.

A bagageira é igualmente generosa, com um volume de 520 litros (que crescem até aos 1300 litros com as costas dos bancos traseiros rebatidas), a que se juntam mais 52 litros sob o capô dianteiro ou apenas 20 litros no caso da versão 4×4 (por existir um segundo motor elétrico à frente), ainda assim útil para guardar os cabos de carregamento da bateria.

Interior amplo, digital e moderno

O moderno habitáculo torna-se mais arejado também pelo painel de bordo e consola central minimalistas e graças aos bancos finos, cobertos por plásticos reciclados (nada menos que 111 garrafas de plástico para cada EV6).

O painel de bordo é dominado por uma configuração moderna, juntando dois ecrãs curvos de 12”, o da esquerda para a instrumentação e o da direita para o sistema de infoentretenimento.

Kia EV6
A Kia afirma que aplicou finas películas e uma nova tecnologia nos dois ecrãs que surgem no habitáculo. O objetivo? Diminuir os efeitos da incidência direta da luz solar, algo que teremos de verificar quando chegar o momento de o conduzir.

Ainda não há muitos automóveis com head-up display com realidade aumentada — temos o Classe S da Mercedes-Benz e os Volkswagen ID.3 e ID.4 —, mas o Kia terá disponível (nas versões mais equipadas) essa projeção animada de informação relevante para a condução, sejam dados sobre os sistemas de assistência à condução, sejam instruções de navegação passo-a-passo.

Importante para tornar a experiência a bordo gratificante, estará disponível um sistema áudio de topo de gama (Meridian) com 14 colunas, uma estreia num Kia.

VEJA TAMBÉM: Agora também como híbrido plug-in. Testámos o Kia XCeed PHEV

2 ou 4 rodas motrizes e até 510 km de autonomia

Há dois tamanhos de bateria para este novo modelo elétrico da Kia que será fabricado na Coreia do Sul. Uma de 58 kWh e outra de 77,4 kWh, podendo ambas ser combinadas com tração unicamente traseira (um motor elétrico sobre o eixo posterior) ou tração 4×4 (com um segundo motor sobre o eixo dianteiro).

No acesso à gama há as versões 2WD (tração traseira) com 170 cv ou 229 cv (com a bateria standard ou extra, respetivamente), enquanto os EV6 AWD (tração integral) têm rendimentos máximos de 235 cv ou 325 cv (e 605 Nm neste último caso).

Kia EV6
Os bancos são cobertos por plásticos reciclados.

Ainda que não sejam conhecidos todos os números de prestações e autonomia nesta fase, o que conhecemos é promissor: 0 aos 100 km/h em 6,2s para a versão menos potente e um segundo menos (5,2s) para o AWD, além de ser possível percorrer uma distância de até 510 km com uma única carga completa de bateria (nas versões com a maior bateria e apenas tração traseira).

GT ou será “super” GT?

A versão GT será a única a estar exclusivamente disponível com a bateria maior. O seus 584 cv e 740 Nm obtidos a partir dos dois motores elétricos, permitem-lhe “ser o Kia mais rápido de sempre e entrar em pleno território de superdesportivos como os 3,5s gastos no disparo de 0 a 100 km/h e os 260 km/h de velocidade de ponta bem evidenciam”, como comenta Albert Biermann, o engenheiro que fez furor na divisão M da BMW e que desde 2015 tem vindo a elevar a fasquia dinâmica dos modelos coreanos.

Números que fazem deste Kia EV6 GT um carro com maior poder de aceleração e uma velocidade máxima superior à do Porsche Taycan 4S, que atinge os 0-100 em 4,0s e alcança os 250 km/h(!).

A este respeito importa referir que a suspensão recebeu um tipo de amortecedores especiais (cujos detalhes não foram ainda revelados) para permitir compensar o elevado peso do EV6, fortemente inflacionado pelas grandes baterias (o EV6 pesa entre 1,8 e 2,0 toneladas).

Carregamento revolucionário

O EV6 mostra também a sua sofisticação tecnológica ao poder ver a sua bateria (com arrefecimento líquido) carregada a 800 V ou a 400 V, indiferenciadamente e sem necessidade de utilização de quaisquer adaptadores de corrente.

Quer dizer que, nas condições mais favoráveis e com a potência de carga máxima admitida (de 239 kW em DC), o EV6 pode “encher” a bateria até 80% da sua capacidade em apenas 18 minutos ou acrescentar energia suficiente para 100 km de condução em menos de cinco minutos (considerando a versão de duas rodas motrizes com a bateria de 77,4 kWh).

Kia EV6
Um carro elétrico a carregar outros carros elétricos? É possível com o Kia EV6.

O carregador de bordo, trifásico, tem uma potência máxima AC de 11 kW. O sistema de carregamento é especialmente flexível graças à “Unidade de Controlo de Carregamento Integrado” que permite cargas bidirecionais.

Ou seja, o carro consegue carregar outros dispositivos como um sistema de ar condicionado ou uma televisão em simultâneo durante 24 horas ou até outro automóvel elétrico (para isso existe uma tomada “doméstica” designada “Shuko” na segunda fila de bancos).

Como qualquer automóvel elétrico, há tecnologias destinadas a maximizar a autonomia como a bomba de calor que ajuda a garantir que a uma temperatura de -7 ºC o EV6 alcança 80% da autonomia que seria possível a uma temperatura exterior de 25 ºC, muito menos “agressiva” para o correto funcionamento da bateria.

Também conhecido é o sistema de recuperação de energia operado através de patilhas colocadas atrás do volante e que permite ao condutor escolher entre seis níveis regenerativos (nulo, 1 a 3, “i-Pedal” ou “Auto”).

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o Alfa Romeo 156?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Alfa Romeo 156. Vencedor do troféu Carro do Ano 1998 em Portugal

Mais artigos em Notícias