Segurança

Os sistemas keyless (sem chave) são seguros? Pelos vistos nem por isso

Para saber quão seguros são os mecanismos anti-roubo e os sistemas keyless, a WhatCar? colocou à prova seis modelos. Os resultados são desanimadores.

Ao contrário do que seria de esperar, num mundo automóvel onde a eletrónica tem cada vez mais importância, esta deixa algo a desejar ao nível dos sistemas anti-roubo. Pelo menos foi esta a conclusão a que a WhatCar? chegou após ter posto à prova sete modelos e os seus respetivos sistemas anti-roubo e de entrada e arranque keyless.

Os modelos testados foram o Audi TT RS Roadster, o BMW X3, o DS 3 Crossback, o Ford Fiesta, os Land Rover Discovery e Discovery Sport e ainda o Mercedes-Benz Classe A, sendo que todos eles contavam com sistemas keyless.

Para fazer este teste a WhatCar? recorreu a dois peritos em segurança, sendo que estes teriam de tentar entrar no carro e colocá-lo em funcionamento recorrendo a métodos tecnológicos que não causassem danos nos modelos, como um sistema que permite captar e copiar o código de acesso emitido pela chave. O uso de uma ferramenta para abrir a porta também foi permitido.

VÊ TAMBÉM: Jaguar Land Rover e BMW. Novo acordo à vista?
DS 3 Crossback
O DS 3 Crossback obteve o pior resultado do teste levado a cabo pela WhatCar?.

Os mais decepcionantes nos testes

Entre os modelos postos à prova, o DS 3 Crossback foi o que obteve o pior resultado, com os especialistas em segurança a demorarem apenas 10 segundos para entrarem e colocarem o modelo francês a trabalhar, tudo isto com recurso apenas a um descodificador do código da chave.

Já no caso do Audi TT RS Roadster também foi possível abri-lo e colocá-lo a trabalhar em apenas 10 segundos. No entanto, com o sistema keyless desativado (ou sem ele, uma vez que é um opcional), não foi possível nem abrir as portas nem colocá-lo a trabalhar.

Audi TT RS Roadster
Com o sistema keyless opcional instalado é possível roubar o Audi TT em apenas 10 segundos. Talvez valha a pena abdicar deste equipamento.

Quanto aos modelos da Land Rover, em ambos os casos os especialistas recorreram a uma ferramenta para abrir a porta. No caso do Discovery demoraram 20 segundos a entrar mas não conseguiram colocar o motor em funcionamento graças a um sistema que evita que se copie o código de arranque. Já o Discovery Sport, que não conta com esse sistema, foi roubado em apenas 30 segundos.

VÊ TAMBÉM: Land Rover dá “nova vida” aos velhos Defender

Melhores mas não infalíveis

Por fim, tanto o Fiesta como o Classe A e o X3 contam com um sistema que corta o sinal da chave a partir de uma determinada distância entre esta e o carro, dificultando o “trabalho” dos amigos do alheio e fazendo com que os especialistas que os testaram não conseguissem abrir nenhum destes três modelos quando o sistema keyless estava desativado.

VÊ TAMBÉM: A fundo no Ford Fiesta ST pelas estradas de Monte Carlo

No entanto, com este ativo foi possível roubar o Fiesta em apenas um minuto (o mesmo tempo alcançado no caso do X3), sendo que no Classe A foram precisos apenas 50 segundos para entrar no carro e colocá-lo em funcionamento.

Sabes responder a esta?
Qual é a potência do Honda Civic 1.6 i-DTEC?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Testámos o Honda Civic 1.6 i-DTEC: o último de uma era

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos