Apresentação

Este é o novo Mercedes-Benz Classe A. Tudo o que precisas de saber

Após inúmeros teaser, aqui está o novo Mercedes-Benz Classe A. Maior por fora e por dentro, tem novidades para todos os gostos. Mas é o interior que realmente o separa de todos os outros.

Foi finalmente revelado o novo Mercedes-Benz Classe A (W177) e recai sobre o novo modelo uma grande responsabilidade, após a reinvenção da gama com a bem sucedida geração que agora substitui. Para garantir o sucesso da nova geração do modelo, a Mercedes-Benz não se poupou a esforços.

Plataforma revista, um motor completamente novo e os outros profundamente revistos, com o maior destaque a ser dado ao interior, não só distancia-se radicalmente do antecessor, como estreia o novo sistema de infoentretenimento MBUX — Mercedes-Benz User Experience.

Interior. A maior revolução

E começamos precisamente pelo interior, destacando-se a sua arquitetura totalmente distinta do predecessor — adeus, painel de instrumentos convencional. No seu lugar encontramos duas secções horizontais — uma superior e outra inferior — que se estendem a toda a largura do habitáculo sem interrupções. O painel de instrumentos passa a ser composto por dois ecrãs de disposição horizontal — como já vimos noutros modelos da marca —, independentemente da versão.

MBUX
Mercedes-Benz User Experience (MBUX) é o nome do novo sistema de infoentretenimento da marca da estrela e coube ao Mercedes-Benz Classe A estreá-lo. Não significa apenas a presença de dois ecrãs — um para entretenimento e navegação, outro para os instrumentos —, mas também significa a introdução dos novos interfaces da marca que prometem um uso mais fácil e intuitivo de todas as funções do sistema. Destaca-se o assistente por voz — Linguatronic —, que até permite o reconhecimento de comandos conversacionais, com a integração de inteligência artificial, que procurará adaptar-se às necessidades de cada utilizador. "Hey, Mercedes" é a expressão que ativa o assistente.

Dependente da versão, estão os tamanhos desses mesmos ecrãs:

  • com dois ecrãs de 7 polegadas
  • com um de 7 e outro de 10,25 polegadas
  • com dois ecrãs de 10,25 polegadas

O interior apresenta-se, assim, com um aspeto mais “limpo”, mas também bastante mais sofisticado do que anteriormente.

Mais espaçoso

Ainda não saindo do interior, o novo Mercedes-Benz Classe A oferecerá aos seus ocupantes mais espaço, seja para eles próprios — tanto à frente como atrás, e tanto para cabeça, ombros e cotovelos —, seja para as bagagens — capacidade cresce até aos 370 litros (mais 29 que o antecessor).

Segundo a marca, também a acessibilidade é melhor, sobretudo no acesso aos lugares traseiros e à bagageira — porta é mais larga cerca de 20 cm.

A sensação de espaço também sai potenciada graças a uma redução em 10% da área obscurecida pelos pilares.

A NÃO PERDER: Conduzimos o carro mais antigo do Mundial de Ralis (Parte 1)

As cotas internas acrescidas reflectem as cotas externas — o novo Mercedes-Benz Classe A cresceu em todos os sentidos. É mais comprido 12 cm, 2 cm mais largo e 1 cm mais alto, com a distância entre eixos a crescer cerca de 3 centímetros.

Um mini-CLS?

Se o interior é realmente o destaque, o exterior também não desilude — é o mais recente modelo da marca a abraçar a nova fase da linguagem Sensual Purity. Nas palavras de Gorden Wagener, diretor de design da Daimler AG:

O novo Classe A incorpora a próxima fase na nossa filosofia de design Sensual Purity […] Com contornos claros e superfícies sensuais, apresentamos high-tech que desperta emoções. Forma e corpo são o que permanecem quando vincos e linhas são reduzidas a um extremo

O Mercedes-Benz Classe A acaba, no entanto, por ir “beber” muita da sua identidade ao Mercedes-Benz CLS, apresentado o mês passado no Salão de Detroit. Sobretudo nas extremidades é possível de observar as semelhanças entre os dois, nas soluções encontradas para a definição da dianteira —  conjunto óticas-grelha e entradas de ar laterais —, e óticas traseiras.

Mercedes-Benz Classe A

Não só a aparência é mais sofisticada, como o design exterior é mais eficaz. O Cx foi reduzido a apenas 0,25, tornando-o o mais “amigo do vento” no segmento.

Motores com genes franceses

A grande novidade, ao nível dos motores, é a estreia de um novo propulsor a gasolina para o A 200. Com 1.33 litros, um turbo e quatro cilindros, trata-se do motor desenvolvido em parceria com a Renault. Na Mercedes-Benz, este novo propulsor recebe a designação M 282, e as unidades destinadas ao Classe A e à futura família de modelos compactos da marca, serão produzidas na fábrica de Kölleda, na Alemanha, pertencente à marca alemã.

Mercedes-Benz Classe A — novo motor 1.33
Mercedes-Benz M282 — o novo quatro cilindros a gasolina desenvolvido em parceria com a Renault

Destaca-se pelo seu tamanho compacto e por poder desativar dois dos cilindros, quando as condições o permitem. Como é cada vez mais a norma, já vem equipado com filtro de partículas.

Pode ser associado a uma caixa manual de seis velocidades ou a uma nova caixa automática de sete velocidades de dupla embraiagem — 7G-DCT. Futuramente, este novo propulsor será associado, também, ao sistema 4MATIC.

Nesta fase inicial, o Classe A contempla ainda mais duas motorizações: A 250 e A 180d. O primeiro recorre a uma evolução do 2.0 turbo da geração anterior, revelando-se um pouco mais potente, mas mais económico. Este motor está disponível nas versões de tração dianteira, ou, em opção, tração integral.

O segundo, o A 180d, é a única opção Diesel durante esta fase inicial e é também um propulsor de origem francesa — o conhecido motor 1.5 da Renault. Apesar de conhecido, também foi alvo de revisões e, tal como os motores a gasolina, está apto a cumprir as mais apertadas normas de emissões Euro6d e pronto a enfrentar os exigentes ciclos de testes WLTP e RDE.

A 200 A 200 A 250 A 180d
Caixa de Velocidades 7G-DCT MT 6 7G-DCT 7G-DCT
Capacidade 1.33 l 1.33 l 2.0 l 1.5 l
Potência 163 CV 163 CV 224 CV 116 CV
Binário 250 Nm às 1620 rpm 250 Nm às 1620 rpm 350 Nm às 1800 rpm 260 Nm entre as 1750 e 2500
Consumo médio 5,1 l/100 km 5,6 l/100 km 6,0 l/100 km 4,1 l/100 km
Emissões CO2 120 g/km 133 g/km 141 g/km 108 g/km
Aceleração 0—100 km/h 8,0s 8,2s 6,2s 10,5s
Velocidade máxima 225 km/h 225 km/h 250 km/h 202 km/h

Futuramente, esperem uma motorização híbrida do tipo plug-in.

Diretamente do Classe S

Naturalmente, o novo Mercedes-Benz Classe A virá munido dos mais recentes avanços em assistentes de condução. E inclui até equipamentos que são adotados diretamente do Classe S, como o Intelligent Drive, que permite em certas situações, condução semi-autónoma.

Por isso foi munido com um novo sistema de câmaras e radares capazes de “ver” a uma distância de 500 metros, além de contar com as informações do GPS e sistema de navegação.

Entre as várias funções, destaca-se o Active Distance Assist DISTRONIC, que permite ajustar a velocidade quando em aproximação a curvas, cruzamentos ou rotundas. Também estreia um assistente de manobra evasiva, que ajuda não só a travar automaticamente quanto deteta um obstáculo, como assiste o condutor no desviar dele, entre velocidades de 20 a 70 km/h.

Brevemente…

As novidades no Mercedes-Benz Classe A não se ficam por aqui. A gama será enriquecida com versões mais possantes, com cunho AMG. O A35 será novidade absoluta, uma versão intermédia entre os Classe A regulares e o “predador” A45. Ainda não existem dados oficiais, mas espera-se potências a rondar os 300 cv e um sistema semi-híbrido, possível pela adoção de um sistema elétrico de 48 V.

Parece muito? O A45, conhecido internamente como “Predator”, atingirá a barreira dos 400 cv, indo de encontro ao Audi RS3, que já lá chegou. Tanto o A35 como o A45 deverão surgir em 2019.

Mercedes-Benz Classe A e Classe A Edition 1

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos