Carro do Ano 2019

Carro do Ano 2019. Estes são os cinco familiares a concurso

Os principais destaques dos candidatos a Familiar do Ano: Citroën C4 Cactus 1.5 BlueHDI, Honda Civic 1.6 i-DTEC, Kia CEED 1.0 T-GDi, Kia CEED Sportswagon 1.6 CRDi e Volvo V60 D4 190 CV.

Citroën C4 Cactus 1.5 BlueHDI 120 CV — 27 897 euros

A Citroën completou o ano de 2018 a introduzir na gama deste modelo o bloco 1.5 BlueHDI S&S 120, associado a uma caixa de velocidades automática EAT6. Por outro lado, para enriquecer os equipamentos de série do modelo e o seu potencial de personalização, foi criada a Série Especial “Cool & Comfort”, assente em conteúdos complementares ao nível de topo Shine.

O interior foi revisto de forma “cirúrgica” em relação à geração anterior. Os novos bancos Advanced Comfort assumem um forte protagonismo, com o novo Citroën C4 Cactus a reforçar o seu estatuto no segmento com a aposta nas suspensões de Batente Hidráulico Progressivo, que segundo os responsáveis da marca francesa proporcionam um efeito “tapete voador”.

O Citroën C4 Cactus conta com 12 soluções de ajuda à condução, a que se somam três de conectividade, para além de um leque de motores, com potências dos 100 cv aos 130 cv.

RELACIONADO: Carro do Ano 2019. Estes são os três executivos a concurso
Citroën C4 Cactus
Citroën C4 Cactus

O novo motor Diesel BlueHDi 120 S&S EAT6, com 1499 cm3, disponibiliza uma potência máxima de 120 cv às 3750 rpm e um binário de 300 Nm às 1750 rpm, garantindo-se uma velocidade máxima de 201 km/h e uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 9,7s (dados Citroën). Quanto a consumos combinados, os valores indicados deste bloco BlueHDi associado à caixa automática de seis velocidades EAT6 e à tecnologia Stop & Start permite-lhe uma média de 4,0 l/100 km e emissões de 102 g/km de CO2.

A restante oferta mecânica inclui o motor a gasolina 1.2 PureTech de três cilindros nas versões 110 S&S CVM5 ou 110 S&S EAT6 e 130 S&S CVM6.

Motor Diesel BlueHDi 120 S&S EAT6

O novo motor Diesel BlueHDi 120 S&S EAT6 irá equipar, a partir de agora, não só as versões Shine, como também a Série Especial “Cool & Comfort”.  Assumindo o estatuto mais elevado dentro da gama deste modelo, as variantes C4 Cactus Cool & Comfort acrescentam, aos conteúdos que já são de série no nível Shine, os Bancos Advanced Comfort, os elementos integrantes do Pack Shine, conjunto que inclui o Pack City Camera Plus (ajuda ao estacionamento traseiro e dianteiro + Câmara de visão traseira visível no ecrã tátil de 7″), o sistema de acesso e arranque em mãos livres e a roda de socorro temporária.

Citröen C4 Cactus
Citroën C4 Cactus

A diferenciação exterior face à maioria das restantes propostas da gama faz-se pela disponibilização de apenas duas das cores de carroçaria da gama C4 Cactus — a pintura nacarada Branco Perle ou a metalizada Cinzento Platinum — bem como a inclusão do Pack Color Silver Chrome (detalhes cromados), enquanto os interiores recorrem à harmonia Wild Grey/Tecido Silica Grey (inclui banco do condutor com regulação do apoio lombar e banco do passageiro com regulação em altura).

VÊ TAMBÉM: Ao volante do novo Citroën C5 Aircross. Valeu a pena esperar?

Honda Civic 1.6 i-DTEC 5p 120 CV 9 AT — 31 350 euros

A décima geração do Honda Civic surge fruto do maior programa de desenvolvimento da história da marca japonesa. Este objetivo exigiu novas formas de pensar e novas abordagens à construção da carroçaria, à componente aerodinâmica do veículo e ao design do chassis.

Honrando as suas quatro décadas de herança, o Civic mantém-se um automóvel fiel ao conceito original de “um carro para todos, um automóvel para o mundo” que sempre patenteou este modelo. Mais largo, mais longo e mais baixo do que qualquer um dos seus antecessores, a face afilada e agressiva, as cavas das rodas pronunciadas e as entradas de ar esculpidas à frente e atrás, deixam antever a inclinação desportiva do Civic.

Plataforma totalmente nova

A carroçaria tem um peso mais baixo, mas é mais rígida — fruto das tecnologias e novas técnicas de construção — e complementa o baixo centro de gravidade e as suspensões melhoradas.

Honda Civic i-DTEC Sedan
Honda Civic i-DTEC Diesel

Os interiores renovados apresentam a segunda geração do sistema de infotainment e conectividade da Honda — o sistema Connect — incorpora já a integração Apple CarPlay e Android Auto para smartphones.

O conjunto de sistemas avançados de segurança e assistência à condução — denominado Honda Sensing — equipa todas as versões do modelo.

O Honda Civic 5 portas está disponível com o motor 1.6 i-DTEC (gasóleo) de 120 cv. O objetivo de desenvolvimento na renovação deste motor foi oferecer respostas mais enérgicas proporcionando mais sensibilidade ao condutor, à custa da aplicação de tecnologias de precisão, em conjunto com níveis de NOx mais reduzidos.

As melhorias no bloco de 1.6 incluem tecnologias de redução do atrito nos cilindros, melhorias da eficiência de conversão dos óxidos de azoto (NOx) e o desenvolvimento das capacidades de condução do veículo. Os engenheiros da Honda recorreram a novos processos de produção, diferentes materiais e componentes de nova geração para obter um motor revisto.

Nesta unidade 1.6 i-DTEC os pistões são de aço forjado. A utilização deste material reduz as perdas de arrefecimento, evitando que a energia térmica se escape do bloco do motor, e possibilita a melhoria das transferências térmicas. Estas alterações permitem que a cabeça do motor seja mais estreita e mais leve em 280 g. Para reduzir ainda mais o peso, é usada uma cambota de elevada resistência, mais esguia e de peso mais baixo. Os valores de consumo combinado anunciados são de 4,1 l/100 km — para todas as versões, Sedan de quatro portas e Hatchback de cinco portas.

O motor produz 120 cv (88 kW) a 4000 rpm e 300 Nm de binário a 2000 rpm. Combinado com a caixa de velocidades automática de nove velocidades, poderá levar o Civic dos 0 aos 100 km/h em 11s e até uma velocidade máxima de 200 km/h.

Honda Civic Interior 9 AT
Honda Civic Interior 9 AT

No ciclo combinado do teste NEDC, o novo Civic i-DTEC Automático registou emissões de CO2 de 108 g/km (quatro portas) e 109 g/km (cinco portas).

Destaque para a caixa automática de nove velocidades. De acordo com os técnicos da marca nipónica, as mudanças mais baixas proporcionam um arranque suave e potente, enquanto as mais altas garantem baixa velocidade do motor durante a condução, o que reduz o consumo de combustível e o ruído, algo que será avaliado pelos jurados.

A gama Honda Civic apresenta, para além da versão 1.6 i-DTEC, duas motorizações VTEC TURBO a gasolina: 1.0 com 129 cv e 1.5 com 182 cv. O Honda Civic Diesel está disponível a partir de 27 300 euros, na versão de equipamento Comfort com cinco anos de garantia Honda e cinco anos de assistência em viagem.

O modelo Civic Hatchback de cinco portas é montado na Honda da UK Manufacturing em Swindon, e o Sedan de quatro portas continua a ser construído na Turquia para os mercados europeus. O Civic 1.6 i-DTEC automático está disponível em versões de quatro e cinco portas.

RELACIONADO: Ao volante da melhor combinação motor-caixa do Honda Civic

Kia CEED 1.0 T-GDi 120 CV TX — 25 446 euros

O novo Kia Ceed foi apresentado oficialmente à imprensa nacional e estrangeira no Algarve, no início do verão de 2018. O modelo do segmento C que representa 24% das vendas da marca em Portugal, chegou com quatro motorizações e dois níveis de equipamento. Desde o seu lançamento, em 2007, este modelo foi responsável por perto de 16 mil unidades vendidas no nosso país.

João Seabra, Diretor-Geral da Kia Portugal sublinha que “a nova geração Ceed introduz tecnologias nunca antes colocadas a bordo de um Kia, incluindo a condução autónoma de nível 2, bem como uma nova plataforma e uma nova gama de motores”.

Kia Ceed 1.0 T-GDI 6 MT
Kia Ceed 1.0 T-GDI 6 MT

A terceira geração do modelo de segmento C da Kia introduz uma nova linguagem de design, em que as linhas arredondadas dão agora lugar a um estilo de arestas mais pronunciadas e silhueta mais atlética, mantendo os sinais de identidade de marca, como seja a grelha dianteira “nariz de tigre”. Para além da linguagem visual, a terceira geração Ceed, que assenta numa nova plataforma, destaca-se pela reformulação do interior.

As motorizações presentes na gama portuguesa são quatro: na gama a gasolina, está disponível o 1.0 T-GDI, unidade a concurso, cujo bloco é sobrealimentado por turbocompressor, com 120 cv, a que se junta o novo motor “Kappa” de 1.4 T-GDi, que substitui o anterior 1.6 l GDI, oferecendo 140 cv (mais 4% do que o seu antecessor) apesar da redução da cilindrada. Ambos os T-GDi estão equipados com um filtro de partículas de gasolina, que reduz as emissões de escape.

RELACIONADO: Carro do Ano 2019. Estes são os três ecológicos a concurso

Nos Diesel, a gama nacional conta com o novo 1.6 CRDi, em duas versões distintas, uma com 115 cv e a outra, mais potente, com 136 cv. Estes novos CRDi “U3” utilizam a tecnologia de controlo ativo de emissões SCR (Redução Catalítica Seletiva) para diminuir as emissões.

novo Kia Ceed

Em Portugal, todos os motores estarão associados a uma caixa manual de seis velocidades, enquanto os novos motores T-GDi de 1,4 l e CRDi de 1,6 l estarão disponíveis também com a nova caixa de sete velocidades de dupla embraiagem da Kia (DCT).

A gama portuguesa é constituída pelos níveis de equipamento SX e TX, sendo que logo na base podem ser encontradas, de série, dotações de segurança e apoio à condução, tais como Sistema Alerta de Condutor, Alerta de Colisão Frontal, Assistente de Manutenção em Faixa de Rodagem, ou Faróis Máximos Automáticos, entre outros. Comum aos dois patamares de equipamento são ainda elementos de conforto como o Bluetooth, ligação USB, cruise control com limitador de velocidade, ecrã tátil, para além das luzes diurnas em LED. O Ceed é o primeiro carro do seu segmento a ser lançado com luzes DRL traseiras.

Em opção, a Kia Portugal disponibiliza, nas versões com caixa DCT, o pack de segurança ADAS PLUS, o qual combina duas funções de assistência à condução (Assistente de Manutenção em Faixa de Rodagem + Cruise Control com manutenção de distância), o que se traduz numa condução autónoma de Nível 2.

A Kia Motors Europe confirmou já que, em 2019, este modelo estará disponível com a nova tecnologia mild-hybrid de 48 V “EcoDynamics+”. A Kia oferece sete anos de garantia nos seus produtos.

RELACIONADO: O novo Kia Ceed aposta forte na dinâmica. Ficámos convencidos?

Kia CEED Sportswagon 1.6 CRDi 136 CV TX — 33 146 euros

O lema “The Power to Surprise” (“O poder de surpreender”) está na base do desenvolvimento da gama mais recente de produtos como os modelos Stinger, Stonic e Ceed.

O novo Kia Ceed SW pretende conquistar o público, desde logo, pelo design. A grelha dianteira de duas camadas (em redor da qual se destacam dois faróis exclusivamente com luzes LED e as luzes de circulação diurna “IceCube”, igualmente com LED), bem como frisos cromados dos vidros e pneus desportivos Michelin, montados nas jantes de liga leve de dois tons e 17″. Em relação à berlina, a carrinha diferencia-se, claro, graças ao spoiler aerodinâmico traseiro, as luzes de circulação diurna traseiras com LED e a saída de escape cromada.

A Ceed Sportswagon que concorre no Essilor Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal 2019 e, em particular, na classe Una Seguros Familiar do Ano combina espaço com um considerável equipamento de segurança e conforto.

Kia Ceed Sportswagon

Na parte dianteira, esta versão partilha as credenciais de design do hatchback, ao mesmo tempo que o seu perfil baixo e elegante (para o qual contribuem as janelas de frisos cromados) se prolonga mais pela parte traseira do que víamos nas versões anteriores.

A Kia Sportswagon tem a particularidade de garantir um espaço de carga com 625 l. Além disso, conta com dois espaços de arrumação sob o piso da bagageira, que aumentam o seu espaço de carga. Um conjunto de ganchos e de redes de carga, assim como o sistema de calhas ajustável, ajudam-no a manter os objetos seguros e organizados. Por último, uma zona de arrumação sob a cobertura da bagageira consegue manter os objetos mais pequenos afastados de olhares indesejados. Referência, ainda, para a alavanca situada na bagageira que permite o rebatimento dos bancos traseiros facilitando as operações de carga.

Os bancos dianteiros e traseiros podem ser aquecidos nos dias de frio. Com três configurações ajustáveis, aquecem e desligam-se assim que a temperatura pretendida é alcançada, mantendo-a depois. O Kia Ceed, nas versões mais equipadas, conta com os bancos dianteiros ventilados. O sistema de memória integrado recorda as configurações definidas pelo condutor permitindo-lhe ficar confortável assim que se senta ao volante.

Interior direcionado para o condutor

O Kia Sportswagon apresenta um interior direcionado para o condutor, em que a disposição inclinada do painel de instrumentos transmite uma sensação de continuidade das linhas. O ecrã tátil de 8″ com sistema de navegação e climatização automática centra as atenções dos passageiros a bordo.

O equipamento de conforto e segurança é bastante completo. No nível de equipamento TX temos som JBL, equipado com oito altifalantes e tecnologia de restauro de som avançada Clari-FiTM, que melhora a qualidade dos ficheiros MP3. Além disso, menção para o cada vez mais usual carregador de telefone sem fios. Todos os veículos Kia, novos, equipados de origem com um dispositivo de navegação LG, têm direito a seis atualizações de mapas anuais gratuitas no concessionário.

As motorizações presentes na gama portuguesa são quatro: nos gasolina está disponível o 1.0 T-GDI, cujo bloco é sobrealimentado por turbocompressor, com 120 cv, a que se junta uma o novo motor “Kappa” de 1.4 T-GDI, que substitui o anterior 1.6 GDI, oferecendo 140 cv (mais 4% do que o seu antecessor) apesar da redução da cilindrada.

RELACIONADO: Carro do Ano 2019. Estes são os dois citadinos a concurso

Nos Diesel, a gama nacional conta com o novo 1.6 CRDi, em duas versões distintas, uma com 115 cv e a outra, mais potente, com 136 cv (motor a concurso). Em Portugal, todos os motores estarão associados a uma caixa manual de seis velocidades, enquanto os novos motores T-GDi de 1.4 l e CRDi de 1.6 l estarão disponíveis também com a nova caixa de sete velocidades de dupla embraiagem da Kia (DCT).

A gama portuguesa é constituída pelos níveis de equipamento SX e TX, sendo que logo na base podem ser encontradas, de série, dotações de segurança e apoio à condução, tais como Sistema Alerta de Condutor, Alerta de Colisão Frontal, Assistente de Manutenção em Faixa de Rodagem, ou Faróis Máximos Automáticos, entre outros. Comum aos dois patamares de equipamento são ainda elementos de conforto como o Bluetooth, ligação USB, cruise control com limitador de velocidade, ecrã tátil, para além das luzes diurnas em LED.

VÊ TAMBÉM: Painéis solares nos automóveis para carregar baterias? A Kia vai ter

Volvo V60 D4 190 CV Inscription — 71 398 euros

A Volvo produz carrinhas há mais de 60 anos. A nova V60 pretende honrar o legado da marca sueca e intrometer-se entre as principais referências do segmento Premium como a Audi A4, BMW Série 3 Touring e Mercedes-Benz Classe C.

A plataforma SPA da Volvo (Scalable Product Architecture) — utilizada nos modelos da Série 90 — serviu de base para a concepção da Volvo V60. Em relação ao modelo anterior cresce 128 mm em comprimento, no entanto, é mais estreita em 16 mm e mais baixa em 37 mm. A capacidade da bagageira sobe para os 529 l.

A face lateral enfatiza o caracter atlético da carrinha e os designers da Volvo defendem que a nova Station Wagon é muito mais do que uma versão mais curta da Volvo V90.

Volvo V60 2018
Volvo V60 2018

A carrinha a concurso no Essilor Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal 2019 é a versão munida do motor a gasóleo D4 de 190 cv de potência e um binário máximo de 400 Nm às 1750 rpm.

A Volvo V60 partilha a sua tecnologia de segurança com os mais recentes modelos da marca com natural destaque para a estreia mundial do Oncoming Lane Mitigation.

Como funciona?

Trata-se de uma inovação capaz de detetar veículos que se dirigem contra a V60, em contramão. Se uma colisão não puder ser evitada, este sistema trava automaticamente a carrinha e prepara os cintos de segurança dianteiros para ajudar a reduzir o efeito de uma colisão.

A este sistema a Volvo V60 junta o Lane Keeping Aid (redireciona o carro para a sua trajetória), Run-off road Mitigation (sistema capaz de detetar uma saída involuntária de estrada e recolocar o carro em estrada), BLIS (avisador de ângulo morto), Driver Alert Control (detenção de fadiga), e Pilot Assist (condução semi-autónoma até 130 km/h).

Volvo V60
New Volvo V60 interior

No início da sua produção, a nova Volvo V60 estará disponível nas motorizações Diesel D3 de 150 cv e D4  de 190 cv. A Volvo Car Portugal apresentou recentemente a nova versão T8 Plug in Hybrid que, no caso das empresas, e considerando os benefícios fiscais associados, aponta para um PVP próximo dos 50 mil euros. A Volvo conta ter uma versão totalmente eletrificada a partir deste ano de 2019, no seguimento da sua estratégia em que todos os novos automóveis da marca lançados serão eletrificados ou totalmente elétricos.

A Volvo V60 tem ainda disponível o Sensus Navigation que consegue acesso direto ao smartphone através do Apple CarPlay ou Android Auto, conforme o sistema operativo do cliente.

A Volvo V60 Momentum será o ponto de partida da Volvo para o V60. O equipamento disponível será: ar condicionado automático; painel de instrumentos digital de 8″; barras de tejadilho pretas; espelhos exteriores rebatíveis eletricamente; faróis LED; cruise control com limitador de velocidade; sensores de estacionamento traseiros; rádio high performance com Bluetooth; Volvo On Call; jantes em liga leve de 17″.

O equipamento disponível na Volvo V60 Inscription será: painel de instrumentos digital de 12″; barras de tejadilho cromadas; estofos em couro; bancos extensíveis; inserções decorativas em madeira “driftwood”; molduras das janelas cromadas; traseira com dupla ponteira integrada; drive mode; jantes em liga leve de 18″.

RELACIONADO: As primeiras imagens da nova Volvo V60 Cross Country

Texto: Essilor Carro do Ano | Troféu Volante de Cristal

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos