Mecânica

As suspensões hidráulicas da Citroën estão de volta

A Citroën quer voltar a diferenciar-se da concorrência através das suas suspensões e fazer dos próximos modelos autênticos «tapetes voadores» sobre rodas.

Foi a pensar no presente mas principalmente no futuro que a Citroën apresentou o novo C5 Aircross, a mais recente proposta francesa no concorrido segmentos dos SUV médios. Curiosamente, aquela que historicamente sempre foi uma das prioridades no desenvolvimento dos seus modelos, o conforto, volta a ser um dos grandes destaques da Citroën. Motivo mais que suficiente para explicarmos como funciona a nova suspensão da Citroën.

Pedras no meu caminho? Guardo-as todas…

A nova tecnologia de suspensões com batentes hidráulicos progressivos – sistema Progressive Hydraulic Cushions – é um dos pilares do conceito Advanced Comfort da Citroën, que é agora aplicado pela primeira vez num modelo de produção e deu origem ao registo de 20 patentes.

A Citroën conjugou o tradicional conjunto mola/amortecedor (usado em por toda a indústria) com batentes hidráulicos (a novidade). Nos ressaltos ligeiros, os amortecedores controlam os movimentos verticais sem necessidade dos suportes hidráulicos; nos ressaltos mais bruscos, os suportes hidráulicos intervêm gradualmente para dissipar a energia, ao contrário dos sistemas convencionais, que devolvem toda essa energia. Deste modo, pode dizer-se que a suspensão trabalha a dois tempos.

A marca garante que com este sistema deixa de existir o fenómeno designado por rebound (movimento de recuperação da suspensão).

Mas, como referimos em cima, os batentes hidráulicos progressivos são apenas um dos pilares deste conceito. Só é possível alcançar o tão desejado efeito de «tapete voador» com os novos bancos aquecidos e com cinco programas de massagem: a marca promete uma sensação de estarmos sentados em poltronas. Veremos se é verdade…

2017 Citroën C5 Aircross

Além disso, o isolamento acústico e a qualidade do ar também mereceram atenções redobradas por parte dos engenheiros da marca. Aqui, destacam-se os vidros de dupla espessura dianteiros, com camada isolante, e um sistema de climatização automática.

Resta-nos esperar por um primeiro contacto com o Citroën C5 Aircross, que só chegará ao mercado nacional no próximo ano.

Mais artigos em Autopédia

Os mais vistos

Pub