Digam olá à Mythos e adeus aos «carros acessíveis». Mercedes-Benz revela nova estratégia

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado

Digam olá à Mythos e adeus aos «carros acessíveis». Mercedes-Benz revela nova estratégia

A Mercedes-Benz vai operar uma mudança profunda no seu modelo de negócio. A Mythos posiciona-se acima da Maybach e insere-se num plano de negócios onde os modelos mais acessíveis têm os dias contados.

Menor volume e maior rentabilidade. A Mercedes-Benz revelou um novo modelo de negócio para os próximos anos, assente sobretudo em modelos mais estatutários, com maiores margens e menos focado em modelos acessíveis.

Simultaneamente deu a conhecer uma nova submarca: a Mythos. A Mythos vem juntar-se à Maybach, AMG, G e EQ no portefólio de submarcas do construtor alemão e vai posicionar-se como a mais exclusiva de todas — roubando assim esse estatuto à Maybach.

A sua gama será composta por versões especiais e limitadas dos modelos da Mercedes-Benz. O construtor alemão a anunciou que os modelos da Mythos “serão exclusivos para os entusiastas e colecionadores mais dedicados da Mercedes-Benz”.

LEIAM TAMBÉM: Agora é oficial. Mercedes-Benz 300 SLR é o carro mais caro de sempre

Nesta nova «manifestação de luxo» — após uma década onde a marca alemã bateu constantemente recordes de vendas — o novo alinhamento de marcas será este:

Mercedes-Benz sumarcas
Resta saber como será a «face» dos modelos da submarca Mythos.

Foco nos lucros

O novo plano de negócios da Mercedes-Benz não traz somente uma nova marca. Traz uma restruturação muito profunda na oferta de modelos Mercedes-Benz e um novo conjunto de objetivos.

Para começar, a marca de Estugarda quer aumentar a rentabilidade em 60% até 2026. Para o fazer, mais de 75% do seu investimento será «canalizado» para os modelos topo de gama.

Com estas mudanças em curso, a Mercedes-Benz espera alcançar uma margem operacional de 14% até meados da década.

A NÃO PERDER: Maybach. 100 anos à procura da perfeição

Reorganizar a oferta

Para «alimentar» esta mudança a Mercedes-Benz vai reorganizar a sua oferta em três «grupos» de modelos: “Entry Luxury”, “Core Luxury” e “Top-End Luxury”.

Os modelos “Entry Luxury” vão ter «direito» a apenas 25% do investimento e a oferta vai reduzir dos sete modelos atuais para apenas quatro. Esta decisão vem reforçar os rumores de que o Classe A poderá não ter um sucessor direto.

Mercedes-Benz Entry Luxury
A Mercedes-Benz revelou esta imagem com a descrição “Silhouette Entry Luxury. Será que o Classe A sedã e o CLA se vão fundir num só modelo?

Quanto aos modelos “Core Luxury” — Classe C, Classe E, EQE, GLC, GLE, etc — os seus maiores destaques são a próxima geração do Classe E (que deverá chegar em 2023) e uma nova gama de elétricos baseada na plataforma EVA2 e especialmente pensada para a China.

Por fim, é nos modelos “Top-End Luxury” que se vai focar a maior parte do investimento. Neste «grupo inserem-se modelos como os Classe S, Classe G, EQS, SL, GLS e ainda a oferta a Mercedes-AMG e Mercedes-Maybach, cuja oferta vai crescer com novas versões do SL e do EQS SUV.

Mercedes-Maybach SL
A Mercedes-Maybach vai ter uma versão do SL. Esta é a sua primeira imagem.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Notícias