Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 124 899 euros

Testámos o Mercedes-Benz GLS 400 d. É este o melhor SUV do mundo?

Tendo em conta que o Classe S tem sido a "bitola" do segmento de luxo, será que o Mercedes-Benz GLS 400 d lhe segue "as pisadas" entre os SUV?

O objetivo do Mercedes-Benz GLS dentro da gama da marca de Estugarda é fácil de compreender. No fundo, este tem de fazer entre os SUV o mesmo que o Classe S tem feito ao longo das suas várias gerações no seu segmento: ser a referência.

Como adversários na disputa por esse “título”, o GLS encontra nomes como o Audi Q7, o BMW X7 ou o “eterno” Range Rover, esquivando-se de “pesos-pesados” como o Bentley Bentayga ou o Rolls-Royce Cullinan que “jogam” no campeonato do Mercedes-Maybach GLS 600 que também já testámos.

Mas será que o modelo alemão tem argumentos para justificar as elevadas ambições? Ou ainda tem algumas coisas a “aprender” com o Classe S no que diz respeito a estabelecer padrões de qualidade e inovação? Para descobrir pusemo-lo à prova na sua única versão com motor Diesel disponível em Portugal: a 400 d.

A NÃO PERDER: BMW X7 40d. O que vale o maior BMW de SEMPRE?
Mercedes-Benz GLS 400 d
Quando observamos a traseira do GLS é evidente onde é que o GLB se foi inspirar. © Thomas van Esveld / Razão Automóvel

Imponente, como era de esperar

Se há algo que se espera de um SUV de luxo é que à sua passagem faça virar (muitas) cabeças. Pois bem, ao fim de alguns dias ao volante do GLS 400 d posso confirmar-vos com um elevado grau de certeza que o modelo alemão é muito bem sucedido nessa “missão”.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

É verdade que a inspiração do GLB no maior dos SUV da Mercedes-Benz acabou por tornar o visual do GLS um pouco menos exclusivo. Contudo, as suas enormes dimensões (5,20 m de comprimento, 1,95 m de largura e 1,82 m de altura) depressa afastam qualquer confusão que se pudesse criar na mente de um observador menos atento.

Por falar nas suas dimensões, não posso deixar de ressalvar que o SUV alemão é impressionantemente fácil de conduzir, mesmo em espaços apertados. Com várias câmaras e sensores que nos permitem uma visão 360º, o Mercedes-Benz GLS mostrou-se mais fácil de tirar do pátio de minha casa do que modelos consideravelmente mais pequenos.

LEIAM TAMBÉM: Primeiro teste ao Porsche Taycan Cross Turismo. «Tiro certeiro» da marca alemã

Qualidade à prova de… tudo

Se na capacidade de captar as atenções o Mercedes-Benz GLS está “aprovado”, o mesmo pode-se dizer no que à qualidade diz respeito. Como seria de esperar não encontramos materiais menos nobres a bordo do SUV alemão e a robustez é tal que acabamos por percorrer ruas empedradas sem nos apercebermos de que o são.

Descubra o seu próximo carro:

Com um habitáculo onde os dois ecrãs de 12,3” (um para o painel de instrumentos e outro para o sistema de infoentretenimento) se assumem como “atores principais”, não posso deixar de elogiar o facto de a marca alemã não se ter esquecido de deixar alguns comandos táteis e teclas de atalho, particularmente para o sistema de climatização.

Contudo, com 3,14 m de distância entre eixos é a habitabilidade que merece maior destaque. O espaço na segunda fila de bancos é tal que por vezes acabamos por lamentar não ter… um motorista. A sério. E mesmo com as três filas no lugar, a capacidade da bagageira ascende aos 355 litros. Já se rebatermos os dois últimos bancos passamos a dispor de vastos 890 litros.

Um SUV para todas as ocasiões

Ao volante do Mercedes-Benz GLS 400 d a sensação que nos “assalta” é uma de invulnerabilidade. O SUV alemão é tão grande, confortável e faz um trabalho tão bom a “isolar-nos” do mundo exterior que, seja na chegada às rotundas ou quando nos deparamos com um “azelha da faixa do meio“, a verdade é que muitas vezes sentimos que nos é dada “prioridade de passagem”.

Como é óbvio, as dimensões que tornam o Mercedes-Benz GLS num “colosso rodoviário” retiram-lhe agilidade quando chegam as curvas. Mas não pensem que o modelo alemão só sabe “andar a direito”. Este tem uma “arma secreta”: a suspensão Airmatic, que não só permite ajustar a dureza do amortecimento como “jogar” com a altura ao solo.

No modo “Sport” esta faz o seu melhor para “colar” o Mercedes-Benz GLS à estrada e torna-se o mais firme possível, tudo para resistir ao máximo às leis… da física. A verdade é que até o consegue fazer de forma muito satisfatória, ajudando-nos a imprimir um ritmo em curva muito superior ao que seria de esperar num colosso com 2,5 toneladas.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Kia Sorento HEV. O SUV híbrido de 7 lugares a ter?

É verdade que não é tão envolvente como o BMW X7, contudo quando saímos das curvas e entramos nas retas o nível de conforto e isolamento a bordo é tal que nos apetece viajar para o “infinito e mais além”. Por falar nesse “além”, se lá chegar envolver andar fora de estrada fiquem a saber que a “suspensão mágica” também tem uns truques para essas situações.

Mercedes-Benz GLS 400 d
O melhor adjetivo para descrever o GLS é “imponente”. © Thomas van Esveld / Razão Automóvel

Ao toque de um botão o Mercedes-Benz GLS sobe e torna-se (ainda) mais alto. E graças ao modo “Offroad” o SUV alemão faz jus aos pergaminhos do seu “irmão mais velho”, o Classe G. É verdade que as jantes de 23” e os Pirelli P-Zero estão longe de ser a escolha ideal para os maus caminhos, mas o sistema 4MATIC e as muitas câmaras tornam fáceis ultrapassar trilhos que parecem… impossíveis.

A NÃO PERDER: Jaguar F-Pace P400e. Já conduzimos o renovado SUV inglês, agora também em híbrido

Por falar em impossíveis, se achavam que conciliar um apetite comedido com um SUV de 2,5 toneladas e 330 cv não era possível, pensem outra vez. É claro que quando exploramos toda a potência e força (700 Nm de binário) os consumos sobem, chegando a registar valores como 17 l/100 km. Contudo, numa condução mais relaxada o GLS 400 d fez médias entre os 8 a 8,5 l/100 km.

Para isso “pede” apenas que o levem a fazer aquilo que mais aprecia: “devorar” quilómetros a uma velocidade estabilizada. Afinal de contas, é nesse contexto que as qualidades do SUV alemão mais brilham, com especial destaque para o conforto e a estabilidade.

Quanto ao motor, um seis cilindros em linha Diesel com 3.0 l, 330 cv e 700 Nm, o que este melhor faz é dar-nos razões para um dia virmos a ter saudades dos propulsores criados, originalmente, pelo senhor Rudolf Diesel.

A sério, por muito agradáveis que sejam os motores a gasolina e balísticos que sejam os elétricos, este Diesel assenta como uma luva ao GLS, permitindo-nos imprimir ritmos elevados sem ter de andar com uma cisterna atrás de nós. Aliás, a sua eficiência associada ao depósito de 90 litros permitem-nos usufruir de uma autonomia que pode superar os 1000 km!

motor Diesel GLS 400 d
O seis cilindros Diesel apresenta até uma sonoridade agradável quando “puxamos” por ele. © Thomas van Esveld / Razão Automóvel

É o carro certo para si?

A qualidade geral está ao nível do que de melhor a Mercedes-Benz faz (e por conseguinte, num patamar muito elevado dentro da indústria), a habitabilidade é referencial, a oferta tecnológica impressiona e o motor permite percorrer largas distâncias sem ter de efetuar paragens frequentes para reabastecer ao mesmo tempo que permite imprimir bons ritmos.

Com um preço base de cerca de 125 mil euros, o Mercedes-Benz GLS 400 d não é, obviamente, um modelo pensado para as massas. Mas aqueles que podem comprar um modelo como o SUV alemão, a verdade é que não há muito melhor que este.

Preço

unidade ensaiada

144.504

Versão base: €124.899

IUC: €792

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 6 cilindros em linha
    • Capacidade: 2925 cm3
    • Posição: Dianteira longitudinal
    • Carregamento: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (24 válv.)
    • Distribuição: Injeção direta common rail + Turbo de Geometria Variável + Intercooler
    • Potência: 330 cv entre as 3600-4200 rpm
    • Binário: 700 Nm entre as 1200-3200 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática de 9 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 5207 mm / 1956 mm / 1823 mm
    • Distância entre os eixos: 3135 mm
    • Bagageira: 355 litros (com três filas de bancos); 890 litros (com duas filas de bancos)
    • Jantes / Pneus: 285/40 R23 (à frente); 325/35 R23 (atrás)
    • Peso: 2505 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 8,1 l/100 km
    • Emissões de CO2: 212 g/km
    • Vel. máxima: 238 km/h
    • Aceleração: 6,3s
  • Equipamento
    • Apple CarPlay e Android Auto
    • Suspensão com sistema de amortecimento adaptativo
    • Pack de Assistência à Condução (inclui o sistema Active Distance Assist DISTRONIC)
    • DISTRONIC PLUS com assistente de trânsito em cruzamentos
    • Função de aviso na saída
    • Pack serviços de definição e monitorização do veículo Premium
    • Sistema multimédia MBUX II
    • Módulo Comunicações Mercedes me connect 4G
    • Apoios de cabeça dianteiros Comfort
    • Sistema de controlo da pressão dos pneus
    • Pack AIRMATIC
    • Controlo automático da velocidade
    • Ar condicionado automático THERMOTRONIC
    • Assistente adaptativo de máximos Plus
    • Faróis MULTIBEAM LED
    • Cobertura da bagageira EASY-PACK
    • Portas USB adicionais
    • Teto panorâmico
    • Portão traseiro elétrico
    • Carregamento wireless para smartphone
    • Pack cromado interior
    • Depósito de combustível com maior capacidade
    • Reinício automático em engarrafamento
    • Adaptação da velocidade com base na rota
    • Pack KEYLESS-GO (inclui: acesso sem chave e KEYLESS-GO)
    • Pack AIR-BALANCE
    • Linha AMG (inclui: Estética AMG e volante multifunções desportivo em pele)
    • Pack parking com câmara 360º (inclui: assistente de parqueamento PARKTRONIC e câmara 360°)
    • Pack Espelhos (inclui: retrovisor interior e exterior do condutor com anti encadeamento automático; retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente; iluminação ambiente com projeção do logo da Mercedes-Benz)
    • Pack Proteção do Veículo URBAN GUARD Plus (inclui: sistema de alerta antirroubo e sistema monitorização do habitáculo)
    • Pack ENERGIZING (inclui: bancos dianteiros climatizados (com aquecimento e ventilação); pack de iluminação interior e bancos dianteiros aquecidos Plus)
    • Pack Base (inclui: serviços de navegação; pré-instalação para car sharing; assistente de sinais de trânsito; roda de reserva; vidros laterais traseiros e óculo traseiro escurecidos; MAGIC VISION CONTROL)
    • Pack Linha Interior e Exterior AMG
    • Pack Premium (inclui: tecto de abrir eléctrico panorâmico; sistema de som surround Burmester®; sistema hidro-pneumático de fecho das portas; pack memórias; bancos dianteiros ajustáveis eletricamente; banco do condutor, ajustável eletricamente com função de memória)
    • Sistema de travagem com discos de travão maiores no eixo dianteiro
Extras
Airbags laterais nos lugares traseiros — 365,85 €; Pintura Metalizada Azul Cavansite — 894,31 €; Bancos frontais multicontorno — 2235,77 €; Forro do tejadilho em tecido preto — 365,85 €; Bancos traseiros aquecidos — 365,85 €; Acabamento interior designo em madeira de freixo preto — 447,15 €; Pack inovação MBUX (inclui: head-up display e assistente interior MBUX) — 1707,32 €; Jantes Liga Leve AMG 5 raios duplos 23" — 2439,02 €; Tabliê em pele — 487,80 €.
Avaliação
8 / 10
Extraordinariamente espaçoso, com uma enorme oferta tecnológica e um conforto e qualidade geral à prova de críticas, o que o Mercedes-Benz GLS 400 d fez foi levar para o segmento dos SUV de luxo o padrão há muito estabelecido pela Mercedes-Benz com o Classe S. Isto chega para "reinar o segmento"? Se não chegar ao menos permite-lhe ter todos os argumentos para o conseguir. É que quando falamos de modelos como o GLS e os seus concorrentes, muitas vezes a avaliação passa do campo dos factos para o dos gostos, e quanto a isso o melhor é mesmo seguir o ditado e simplesmente evitar "discussões".
  • Espaço/conforto
  • Qualidade geral
  • Oferta tecnológica
  • Relação prestações/consumos
  • Peso do conjunto
  • Excesso de submenus no sistema de infoentretenimento exige habituação
Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Testes, Ensaio