Nova Ford Ranger Raptor. V6 biturbo a gasolina, mais capaz e ainda mais espetacular?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Nova Ford Ranger Raptor. V6 biturbo a gasolina, mais capaz e ainda mais espetacular?

Só quando conduzirmos a nova Ford Ranger Raptor é que podemos responder à pergunta, mas no papel promete ser melhor em tudo que a impactante antecessora.

Não é comum ver a versão mais radical de um modelo ser a primeira a chegar ao mercado, mas é isso mesmo que vai acontecer com a nova Ford Ranger Raptor.

A super pick-up da Ford, concebida pela Ford Performance, foi revelada ontem num evento online exclusivo para a imprensa em que estivemos presentes, e tem chegada prometida no final do verão de 2022, largos meses antes de qualquer uma das outras novas Ranger que só começarão a chegar até nós em 2023.

As novidades começam com o segredo mais mal guardado da nova Raptor. A estreia de um novo V6 biturbo a gasolina, mas, ao contrário do que foi «adivinhado» antes — até por nós — não irá tomar o lugar do Diesel biturbo atual.

VEJAM TAMBÉM: Ford Ranger (2022). Nova geração ganha V6 Diesel e caixa de carga multifacetada
Ford Ranger Raptor 2022

Ao invés, a Ranger Raptor 3.0 V6 EcoBoost será acompanhada, a partir de 2023, por uma Raptor Diesel, uma evolução do atual quatro cilindros 2.0 EcoBlue biturbo.

V6 biturbo a octanas

Havia dúvidas sobre que V6 biturbo a gasolina iria equipar a Ranger Raptor, mas agora podemos confirmar que se trata do mesmo 3.0 V6 EcoBoost do Bronco Raptor. Há diferenças ao nível da admissão e escape, mas as maiores diferenças estão… nos números.

Enquanto no Bronco Raptor o V6 biturbo entrega um pouco mais de 400 cv, na nova Ranger Raptor este fica-se por uns «modestos» 288 cv e 491 Nmuma diferença expressiva…

Dito isto, é um salto considerável em relação à atual Ranger Raptor 2.0 EcoBlue bi-turbo Diesel de 213 cv — a Ford não publicou, por enquanto, os valores de potência e binário da motorização Diesel.

Ford Ranger Raptor 2022

A Ford diz que o novo bloco em ferro-grafite do V6 a gasolina é cerca de 75% mais resistente e rígido do que um bloco em ferro fundido tradicional e, para mais, equipou o novo propulsor com um sistema anti-lag (anti-inércia), desenvolvido para competição e similar ao usado nos Ford GT e Focus ST.

O que este sistema faz é manter os dois turbos em rotação durante até três segundos após o acelerador ser aliviado, permitindo uma recuperação mais rápida da aceleração, sobretudo à saída das curvas ou durante as passagens de caixa, ajudando a mitigar ou anular os efeitos do turbo-lag.

Voz «grossa»

Além da maior potência, o novo 3.0 V6 EcoBoost dá à Ranger Raptor uma nova voz e bem mais grave — como já ouvimos em alguns vídeos. Esta é providenciada por um novo escape ativo eletronicamente controlado e permite selecionar entre quatro modos: “Quiet”, “Normal”, ” Sport” e “Baja”.

Ou seja, o som pode ir de um agradável ronronar (“Quiet”) ao rugido de uma fera (“Baja”). Em relação ao último modo, “Baja”, a Ford diz que se comporta como um escape direto, sendo indicado apenas para uma utilização off-road.

Ainda mais capaz

O 3.0 V6 EcoBoost está acoplado a uma transmissão automática de 10 velocidades e, naturalmente, a tração é às quatro rodas. Mas há novidades.

VEJAM TAMBÉM: Toyota revela Hilux GR Sport inspirada no Rali Dakar

A nova Ranger Raptor recebeu um novo sistema de tração integral que comporta uma nova caixa de transferências de duas velocidades (passa a ter altas e baixas) on demand, de controlo eletrónico. Esta pode ser combinada com o bloqueio dos diferenciais dianteiro e traseiro, permitindo aventuras fora de estrada mais exigentes.

Comandos consola central
Controlo de altas e baixas, uma novidade na Ford Ranger Raptor.

A ajudar temos sete modos de condução (mais um que a antecessora), que podemos separar em dois grupos, para estrada (on-road) e fora dela (off-road).

On-road (estrada):

  • Normal;
  • Sport – mais reativo;
  • Slippery – para pisos escorregadios ou irregulares.

Off-road (fora de estrada):

  • Rock crawl – terrenos pedregosos ou irregulares;
  • Sand – areia e neve espessa;
  • Mud/Ruts – máxima aderência no arranque e mantém o veículo em andamento;
  • Baja – rendimento máximo, permitindo velocidades elevadas em condução off-road.

A seleção de cada modo altera os parâmetros do motor, transmissão, sensibilidade e calibração do ABS, controlos de tração e estabilidade, acionamento da válvula de escape, e resposta da direção e do acelerador, com a Ford a prometer maior distinção entre cada um deles.

Ford Ranger Raptor 2022
Modo “Baja” foi feito para este tipo de aventuras.

Temos ainda o Trail Control, um controlo de velocidade (cruise control) para todo o terreno, para velocidades até os 32 km/h.

Ligações ao solo

Se a capacidade da atual Ford Ranger Raptor em condução off-road continua a impressionar, fosse devagar ou (muito) depressa, a nova geração promete fazer melhor.

Comparando com as outras Ranger, para poder suportar todos os abusos «sem espinhas» a Raptor conta com reforços e soluções específicas posicionados em pontos críticos, como o pilar “C”, a caixa de carga e roda sobressalente e estruturas específicas para os limitadores da suspensão, torres de suspensão e apoios dos amortecedores traseiros.

Jantes de 17" e pneus BF Goodrich

A nova Ranger Raptor vê-se munida ainda de uma placa de proteção dianteira em aço de alta resistência de 2,3 mm de espessura (quase duas vezes mais das outras Ranger). Em combinação com a proteção inferior do motor e caixa de transferências, consegue proteger o radiador, sistema de direção, travessa dianteira, cárter do motor e diferencial dianteiro.

VEJAM TAMBÉM: Nova Mitsubishi L200 apanhada pela primeira vez, mas tem “truque”

Os amortecedores FOX continuam presentes na nova Ranger Raptor, sendo desta vez os novos amortecedores Live Valve, de 2,5″ com bypass interno e capacidade de amortecimento sensível à posição, que prometem um superior controlo da carroçaria tanto em asfalto como fora dele.

Destacam-se por terem óleo infundido com Teflon que reduz o atrito em cerca de 50% comparando com os amortecedores FOX da Raptor anterior.

O sistema de suspensão funciona em sintonia com os modos de condução e os amortecedores FOX trazem ainda o sistema Bottom-Out Control, testado em competição.

Com este sistema, é capaz de proporcionar o máximo de força de amortecimento nos últimos 25% do curso do amortecedor. Também permite, quando em forte aceleração, endurecer os amortecedores traseiros para evitar que a traseira «afunde», com a Ford a prometer maior estabilidade independentemente do tipo de piso.

E mais?

Olhem para ela. Apesar de não ser tão exagerada como o novo Bronco Raptor (25 cm mais largo que os outros), a nova Ford Ranger Raptor destaca-se das suas «irmãs» pela maior largura e aparência musculada. Os alargamentos são preenchidos com rodas de 33″ (jantes de 17″ mais pneus da BF Goodrich).

Assinatura luminosa em "C"

Além da nova assinatura luminosa em “C” (faróis LED Matrix), como as outras Ranger, a Raptor tem uma grelha específica, à imagem da F-150 Raptor, com as letras “F-O-R-D” em grande destaque.

Por dentro temos novos bancos desportivos à frente, inspirados pelos do caça F22… Raptor, há inserções coloridas em Laranja Code no painel de instrumentos (digital de 12,4″) e nos revestimentos.

O volante desportivo e aquecido é revestido a couro e nem sequer falta uma marca às 12 horas, como nos… desportivos. Por detrás do volante vemos ainda patilhas em magnésio para mudar de relação.

O infoentretenimento — Ford SYNC 4 — é acessível por um novo ecrã central de 12″ em posição vertical e oferece sistemas sem fios Apple Carplay e Android Auto. Para rematar o conjunto, o sistema de som é da B&O, com oito altifalantes.

Quando chega?

Apesar da sua chegada já ter sido anunciada para o final deste verão, ainda não foram avançados preços nem especificações mais detalhadas da nova Ford Ranger Raptor.

Mas o que sabemos é que, tendo em conta a antecessora, a nova Ranger Raptor promete.

Mais artigos em Notícias