Off Road Razão Automóvel

Foi assim o 1° Off Road Razão Automóvel. Um dia INCRÍVEL!

Muito obrigado a todos os que se juntaram a nós e participaram no primeiro Off Road Razão Automóvel. Fica com o vídeo e alguns momentos deste dia incrível.

Cerca de 30 veículos e 90 pessoas participaram no primeiro Off Road Razão Automóvel — a todos os níveis um sucesso e um dia incrível. Um evento que nos permitiu aproximar dos nossos leitores e espetadores e até conquistar novos fãs, para um dia que apesar de longo, foi  muito recompensador.

O primeiro Off Road Razão Automóvel, organizado pelo nosso parceiro, o Clube Escape Livre, levou-nos a percorrer os trilhos entre Sesimbra e Setúbal, num evento marcado pela boa disposição, as paisagens, a muito boa comida e… pó, mesmo muito pó.

Nada de transcendente para a caravana de dezenas de veículos e participantes, composta maioritariamente por veículos 4WD que não podiam ser mais diversificados — havia de tudo um pouco, desde um UMM Cournil a um CUPRA Ateca (a sério), passando por vários Land Rover, o inevitável Duster e até um artilhado Wrangler.

VÊ TAMBÉM: Mais de 4000 km à descoberta de Marrocos. Chegou ao fim uma aventura inesquecível

Os 2WD também marcaram presença — uma frota de SUV da SEAT, conduzidos pelos vencedores do nosso passatempo, do mais pequeno Arona ao maior Tarraco, sem esquecer o Ateca —, e apesar de não poderem ter ido atrás dos 4WD em todos os trilhos, houve mais que espaço para os explorar nos muitos estradões de terra batida e gravilha dos percursos escolhidos.

Vê o vídeo do primeiro evento Razão Automóvel e fica com algumas imagens do dia, nas galerias abaixo.

Faz swipe na galeria:

A fantástica e incansável equipa Razão Automóvel:

Off Road Razão Automóvel 2019 © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
A incansável equipa Razão Automóvel, da esquerda para a direita: Sofia Teixeira, João Tomé, Fernando Gomes, Thomas V. Esveld, Raul Mártires, Filipe Abreu, Ana Miranda; e na fila de baixo, Guilherme Costa, Nuno Antunes do Clube Escape Livre que organizou o evento e, “last but not the least”, Diogo Teixeira.

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos