Macan e Panamera em destaque

Porsche vendeu mais que todos os potenciais adversários juntos

Que a Porsche é a marca mais rentável do universo Volkswagen, nunca tivemos dúvidas, e continua a crescer. Ainda é, apenas, um construtor de automóveis desportivos?

Outrora um construtor automóvel de desportivos com não muita expressão em termos de vendas, a Porsche é, hoje em dia, um caso sério de popularidade e, principalmente, rentabilidade — mesmo quando analisada no seio de um grupo com várias marcas generalistas, como é o caso do Volkswagen Group. A demonstrá-lo, surgem, os números relativos a 2017, que anunciam um total de 236 376 unidades vendidas.

Hoje em dia com uma gama baseada em cinco modelos — 718, 911, Panamera, Macan e Cayenne —, a verdade é que o fabricante de Estugarda tem vindo a tornar-se uma referência, também em termos comerciais. Graças, desde logo, a propostas como o Macan, SUV médio introduzido em 2014 e que, só em 2017, vendeu mais de 97 mil unidades, ou a berlina desportiva Panamera. A qual, aproveitando o facto de ter sido lançada uma nova geração, logo no início do último ano, chegou a 31 de dezembro com um total de 28 mil unidades — uma subida de 83% face ao ano anterior.

Porsche Panamera SE Hybrid
Berlina desportiva, hoje em dia também híbrida, o Panamera foi um dos best-sellers da Porsche

Impressionantes por si próprios, estes números demonstram, além de uma subida de 4% nas vendas totais da Porsche, a capacidade do construtor para, em não mais que seis anos, duplicar as suas vendas. Passando das 116 978 unidades em 2011 (ano em que as vendas eram ainda apuradas segundo o ano fiscal, e não de acordo com o calendário), para as mais de 246 mil unidades assinaladas em 2017.

Porsche, a marca… generalista?

Por outro lado e apesar da explicação para este crescimento residir também nos números que a marca de desportivos alemã tem vindo a conseguir em mercados como a China — este último, aliás, o mercado por excelência, hoje em dia, da fabricante —, nada disto esconde aquela que é uma verdade indesmentível e ainda mais surpreendente — que a Porsche vende, hoje em dia, mais carros do que todos os seus potenciais e aspirantes a rivais, juntos!

Se na década de 90, antes do lançamento do Porsche Boxster — o carro responsável por salvar a marca —, as vendas globais do construtor alemão de carros desportivos eram inferiores a 20 mil unidades anuais, hoje em dia, suplanta todos os principais construtores de desportivos juntos.

Como exemplo e ainda que com as devidas distâncias em termos de posicionamento, podemos juntar a Aston Martin, a Ferrari, a McLaren e a Lamborghini, e as vendas combinadas de todos eles, em 2017, correspondem a menos de 10% do total de carros vendidos pela Porsche.

A introdução do Cayenne e posteriormente do Panamera e do Macan transformaram a marca num construtor bem mais abrangente — poderemos dizer… generalista? —, ainda que, a tónica no carácter desportivo dos seus modelos se mantenha, mesmo quando nos referimos a mais de duas toneladas de SUV.

Outros construtores terão de servir de referência, como por exemplo, a Jaguar, que até tem modelos melhor posicionados para “fazer número”. Mas mesmo assim, a marca do felino, não foi além das 178 601 unidades.

O poder da marca Porsche. Sem dúvida, deveras impressionante…

 

Sabes responder a esta?
Toyota Motor Europe atingiu um recorde em 2017. Qual foi?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Toyota. Vendas ultrapassam um milhão na Europa com híbridos em destaque.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub