Parece um Renault Captur mas é o novo Mitsubishi ASX

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Parece um Renault Captur mas é o novo Mitsubishi ASX

Baseado no Renault Captur, o novo ASX vem para assumir um lugar de destaque na gama europeia da Mitsubishi. Que argumentos tem?

A Mitsubishi acaba de apresentar a nova geração do ASX, um B-SUV que partilha a plataforma (grande parte das motorizações e a imagem) com o Renault Captur e que vai chegar à Europa em 2023.

Depois de vender cerca de 400 000 unidades na Europa desde que foi lançado, o ASX ganhou finalmente uma nova geração e prepara-se para assumir um lugar de destaque na gama europeia da marca japonesa.

A estreita relação com o Renault Captur é mais do que óbvia, basta olhar para a imagem exterior deste SUV nipónico, mas também se faz notar ao nível da plataforma, a CMF-B da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, que permitiu a este ASX ganhar importantes argumentos ao nível da conectividade, da segurança e até das motorizações, onde salta à vista a forte aposta na eletrificação.

A NÃO PERDER: Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi vai lançar 35 novos elétricos até 2030
Mitsubishi ASX 2023

ASX, a tua cara não é estranha…

Mas vamos começar pela imagem, que tal como referimos acima, tem muitos pontos em comum com o Renault Captur. Aliás, é praticamente tudo igual, com exceção da dianteira, marcada pela identidade Dynamic Shield muito típica dos modelos da Mitsubishi, do logótipo na frente e da inscrição “Mitsubishi” no portão traseiro.

De perfil é mesmo difícil não confundir este novo ASX com o SUV francês, pois até o desenho das jantes é comum a ambos os modelos. Naturalmente, os três diamantes da Mitsubishi surgem bem ao centro das jantes, que podem assumir dois tamanhos: 17” e 18”.

Mitsubishi ASX 2023 traseira

Interior digital e conectado

Avançando para o interior, percebemos rapidamente que todo o “ambiente” é familiar, com exceção natural para o logo da fabricante japonesa, que surge ao centro do volante.

LEIAM TAMBÉM: Nissan Juke Hybrid. É o mais económico, mas é o Juke certo a ter?

Destaca-se a instrumentação digital de 10” (ainda que existam outras opções mais modestas: um painel analógico com ecrã de 4,2” e um painel digital de 7”) , o ecrã central multimédia de 9,3” (existe outro mais pequeno de 7”) e os inúmeros espaços de arrumação que nós já elogiámos, a seu tempo, no Captur.

A somar a isto, e como seria de esperar, o novo Mitsubishi também dá cartas em termos de conectividade e além de disponibilizar várias portas USB também oferece compatibilidade sem fios com Android Auto e Apple CarPlay e pode contar com um sistema de som Bose e navegação 3D.

Quanto à bagageira, a Mitsubishi anuncia 332 litros de capacidade de carga, um número que pode crescer até aos 401 litros com os bancos traseiros (deslizantes) na posição mais avançada.

Motorizações para (quase) todos os gostos

Ao nível das motorizações, que já tinham sido adiantadas pela marca dos três diamantes há cerca de quatro meses, confirma-se a aposta forte na eletrificação, com o ASX a apresentar-se com uma motorização híbrida e outra híbrida plug-in.

A NÃO PERDER: Renault Captur R.S. Line TCe 140 testado. Menos 400 euros que o TCe 160, mas será a opção certa?

Porém, a base da gama será garantida por um motor de três cilindros turbo a gasolina com 1,0 litro de capacidade, denominado 1.0L MPI-T, com 91 cv de potência e 160 Nm de binário, associado a uma caixa manual de seis velocidades.

Mitsubishi ASX 2023 frente

Logo acima surge um quatro cilindros turbo de 1,3 litros, designado 1.3 L DI-T, que pode ter dois níveis de potência: 140 cv e 260 Nm (caixa manual de seis velocidades) e 158 cv e 270 Nm (caixa 7DCT, de dupla embraiagem). Em qualquer um dos casos este motor tetracilíndrico surge associado a uma tecnologia híbrida ligeira de 12 V.

Mas a maior aposta deste B-SUV, que será construído na fábrica da Renault em Valladolid, em Espanha, lado a lado com o Captur, será nas motorizações híbridas, tornando-se mesmo no primeiro modelo da marca nipónica na Europa a apresentar uma motorização híbrida convencional (HEV), ou seja, sem necessidade de ligar à tomada para carregar a bateria.

Trata-se da mesma unidade que encontramos no Renault Clio — que já tivemos oportunidade de testar — e que combina um motor de combustão naturalmente aspirado de 1,6 litros com dois motores elétricos alimentados por uma bateria com 1,3 kWh de capacidade, que permite que este ASX circule em modo 100% elétrico durante situações específicas.

O resultado deste “casamento” é uma potência máxima combinada de 145 cv e um binário máximo combinado de 148 Nm.

Híbrido plug-in com 160 cv

Porém, o ASX também estará disponível com uma motorização híbrida plug-in (PHEV), que recorre ao mesmo sistema que encontramos no Renault Captur E-Tech que nós também já testámos.

Na base desta versão continuamos a encontrar o mesmo motor de 1,6 litros da variante HEV, bem como os mesmos dois motores elétricos, ainda que aqui a bateria tenha uma capacidade significativamente maior, 10,5 kWh, e apresente uma potência máxima combinada superior, 160 cv e 144 Nm. A autonomia em modo 100% elétrico, que não foi anunciada, deverá rondar os 50 quilómetros.

LEIAM TAMBÉM: Renault Captur E-TECH (híbrido plug-in). O mais económico é também o mais caro. Vale a pena?

Tal como se imaginava, o novo Mitsubishi ASX não conta com qualquer motorização Diesel, assim como também não está prevista qualquer variante 100% elétrica.

Mitsubishi ASX 2023 PHEV

Oferta vasta de sistemas de ajuda à condução

O novo ASX está ainda disponível com uma vasta lista de Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (ADAS), sendo que todas as versões vão equipar de série Sistema de Mitigação de Colisões Frontais com Proteção de Peões, Aviso de Distância, Aviso de Saída da Faixa de Rodagem, Assistência à Manutenção na Faixa de Rodagem, Reconhecimento de Sinais de Trânsito, Cruise Control, Sensores de Estacionamento e Câmara Traseira.

Nas versões mais equipadas contamos ainda com Aviso de Ângulo Morto, Assistência à Centragem na Faixa de Rodagem, Prevenção de Excesso de Velocidade, Cruise Control Adaptativo (com abrandamento e retoma de aceleração) e Acionamento Automático de Luzes de Máximos.

Nas versões HEV e PHEV com caixa automática e níveis de equipamento mais elevados, o ASX inclui o sistema MI-PILOT (Mitsubishi Intelligent – PILOT), que combina o Cruise Control Adaptativo com a Assistência à Centragem na Faixa de Rodagem.

Mitsubishi ASX 2023 traseira

Quando chega?

O novo Mitsubishi ASX chega a Portugal em março de 2023, sendo que todas as motorizações estarão disponíveis logo no lançamento.

Naturalmente os preços para o mercado nacional ainda não são conhecidos, mas a Mitsubishi já confirmou que o ASX vai trazer garantia de série de 5 anos ou 100 000 quilómetros.

Sabe responder a esta?
Em que ano começou a ser produzido o Mitsubishi 3000GT?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mitsubishi 3000GT, o samurai traído pela tecnologia

Mais artigos em Notícias