Testámos o renovado SEAT Arona 2022. Tudo o que mudou no SUV espanhol

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 26 727 euros

Testámos o renovado SEAT Arona 2022. Tudo o que mudou no SUV espanhol

O SEAT Arona é um dos veteranos no segmento dos SUV utilitários. Um modelo que enfrenta 2022 com novidades a vários níveis.

As propostas no segmento B-SUV têm-se multiplicado como «cogumelos» nos últimos anos — os motivos são conhecidos. E perante esta ofensiva, a SEAT decidiu renovar o Arona — um modelo lançado em 2017, e que é hoje um dos veteranos do segmento mais vendido em Portugal.

Uma renovação que não foi profunda, mas que poderá fazer toda a diferença na hora de escolher o seu próximo SUV.

Testámos a versão 1.0 TSI de 110 cv — a mais procurada no nosso mercado — associada ao nível de equipamento Xperience. Será que o Arona ainda tem o que é preciso para continuar a ser um dos modelos mais vendidos do segmento? A resposta está nas próximas linhas.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Hyundai Bayon 1.0 T-GDi Premium. Será que o Kauai se deve “preocupar”?
Seat Arona 1.0 TSI Xperience © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel
As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

Mudou mais do que parece

Se há versão na qual as diferenças face ao Arona pré-restyling são evidentes, é na versão Xperience que testámos. Com um visual mais robusto e aventureiro, nesta versão o Arona destaca-se pela presença dos faróis de nevoeiro colocados por baixo dos faróis principais — uma das novidades do Arona 2022.

Um detalhe que acaba por dar ao SEAT Arona um visual um pouco mais jovial. Contudo, é no interior que estão as maiores novidades do Arona. Agora temos um tabliê totalmente redesenhado, onde um dos grandes destaques é mesmo ergonomia e a facilidade de utilização:

A qualidade e a robustez do habitáculo mantiveram-se no nível a que o Arona já nos havia habituado. Quanto aos materiais, esses tornaram-se um pouco mais agradáveis à vista e ao tato.

Também inalterada ficaram as cotas de habitabilidade. Sem ser uma das referências do segmento — nesse campo os «primos» Skoda Kamiq e Volkswagen T-Cross fazem melhor — o Arona também não desilude, oferecendo espaço mais do que suficiente para colmatar as necessidades de uma jovem família.

Bagageira
Com 400 litros de capacidade, a bagageira do Arona conta ainda com um fundo falso. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Motor pequeno mas suficiente

Se no campo da estética o Arona mudou apenas o suficiente para ninguém o confundir com a versão anterior, no campo do comportamento dinâmico não houve qualquer mexida, e ainda bem. O SEAT Arona continua a ser um dos modelos deste segmento mais interessantes de conduzir.

Com uma posição de condução particularmente baixa entre os B-SUV (para quem quer «andar no primeiro andar» os Renault Captur ou Toyota Yaris Cross serão mais indicados), o Arona permite-nos uma agradável proximidade à estrada.

Consola central com comando da caixa DSG
A caixa DSG é uma boa aliada no trânsito citadino. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Não, não é tão interativo como o Ford Puma, mas o Arona não desilude quando chegam as curvas. Os pneus de perfil mais baixo conseguem um bom compromisso entre conforto e comportamento e, acima de tudo, bons níveis de aderência e segurança nas reações.

Descubra o seu próximo carro:

A direção é precisa e direta e a menor altura em relação a alguns rivais confere-lhe uma agradável agilidade que chegam a torná-lo… divertido. Já se não quisermos explorar a sua «veia latina», o Arona presenteia-nos com agradáveis níveis de estabilidade e previsibilidade, curvando com segurança.

Ainda acerca dos pneus, o único senão desta opção prende-se com o aumento do ruído de rolamento quando circulamos em estradas com o piso um pouco mais rugoso.

Jantes de 18"
As vistosas jantes de 18” são opcionais e apesar das dimensões não prejudicam o conforto. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Já o motor, o 1.0 TSI na sua versão de 110 cv aqui associado à bem conhecida caixa DSG de sete relações, mostrou-se mais do que adequado ao Arona. Como é óbvio não faz do SUV espanhol um carro particularmente rápido e até perdeu 5 cv face à versão pré-restyling, mas nos dias que passei a conduzir o Arona nunca senti que me «faltava motor». Fosse em cidade ou em autoestrada.

A NÃO PERDER: Crossover por fora, monovolume por dentro. Opel Crossland renovado ainda é opção a ter em conta?

Os 110 cv e os 200 Nm debitados pelo 1.0 TSI revelaram-se sempre disponíveis e tanto permitem efetuar ultrapassagens com segurança como manter boas velocidades de cruzeiro em autoestrada, mesmo com o Arona carregado com passageiros e bagagem.

Motor 1.0 TSI
Com 110 cv e 200 Nm, o 1.0 TSI é um bom aliado nas mais diversas circunstâncias de utilização. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

À nossa disposição estão os já usuais modos de condução que permitem «jogar» com a resposta do motor e direção. O «Eco» é o modo mais adequado para percorrer largos quilómetros a velocidades estabilizadas em autoestrada (pois seleciona a mudança mais alta disponível, reduzindo os consumos), e o «Sport» para enfrentar encadeados de curvas.

Por fim, o modo «Normal» é, provavelmente, aquele que vão usar diariamente, pois permite ao Arona ser económico sem se tornar particularmente «calmo» como acontece com o modo «Eco».

Bancos dianteiros
Apesar de ser um SUV, o Arona conta com uma posição de condução um pouco mais baixa que a média. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Por falar em consumos, no final de uma semana com o modelo espanhol a média apresentada pelo computador de bordo fixou-se nuns bastante aceitáveis 6,2 l/100 km alcançados em percursos que incluíram não só passagens por autoestrada e estrada nacional como duas longas horas no pára-arranca do Eixo Norte-Sul.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o FIAT Tipo Cross. A versão com melhor relação qualidade/preço?

Curiosamente, essa situação evidenciou as qualidades da transmissão DSG, que se pauta pela suavidade no trânsito citadino, sendo depois capaz de mudanças rápidas quando queremos «espremer» o motor. Também digno de destaque é o reforço dos assistentes à condução que facilitam, principalmente, as longas tiradas em autoestrada.

É o carro certo para si?

Já um «veterano» no segmento B-SUV, o SEAT Arona aproveitou este restyling para reforçar os seus argumentos. E verdade seja dita, a marca espanhola teve sucesso nessa missão.

Sem oferecer a habitabilidade de algumas propostas que também são fisicamente maiores, o SEAT Arona vale-se da sua agilidade para se estabelecer como uma das propostas mais interessantes do segmento para quem «gosta de conduzir» e também quer um veículo com um sistema de infoentretenimento moderno — continua a ser dos melhores do segmento.

Além disso, esta agilidade e dimensões um pouco menores face a alguns concorrentes fazem dele uma proposta particularmente adequada para o uso em meio urbano. De resto, o ambiente em que os SUV deste segmento passam a maior parte da sua existência.

E se é verdade que os rivais se modernizaram, não é menos verdade que o SEAT Arona continua a ter argumentos muito fortes.

Preço

unidade ensaiada

31.719

Versão base: €26.727

IUC: €103

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 999 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c./ 4 válv. por cilindro
    • Potência: 110 cv às 5000 rpm
    • Binário: 200 Nm entre as 2000 e as 3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática DSG de 7 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4138 mm / 1780 mm / 1552 mm
    • Distância entre os eixos: 2566 mm
    • Bagageira: 400 litros
    • Jantes / Pneus: 215/45 R18
    • Peso: 1193 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,3 l/100 km
    • Emissões de CO2: 121 g/km
    • Vel. máxima: 190 km/h
    • Aceleração: 10,3s
  • Equipamento
    • Manete da alavanca de velocidades em pele
    • Travão de mão em pele
    • Volante multifunções em pele
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica, aquecidos e com recolhimento elétrico
    • Sensor de luz e de chuva
    • Apoio de braço dianteiro
    • Bolsa porta-objetos no encosto dos bancos dianteiros
    • Duplo piso da mala
    • Iluminação interior ambiente monocolor: porta-luvas + piso dianteiro + consola central
    • Vidros dianteiros e traseiros eletricos
    • Assistente de Faixa de Rodagem
    • Câmara multifunções
    • Cruise control com limitador de velocidade
    • Sensores de estacionamento traseiros
    • Sistema Hill hold
    • 2 entradas USB tipo C
    • Bluetooth
    • Computador de Bordo "Medium"com Display multifunções
    • Ecrã de 8,25"
    • Jantes de Liga Leve 17"
    • Ajuste do alcance dos faróis dianteiros
    • Faróis dianteiros Eco LED
    • Faróis nevoeiro dianteiros com função cornering
    • Controlo de pressão dos pneus
    • Front Assist com travagem de emergência em cidade
    • Sistema kessy (GO + entry)
    • Bancos dianteiros reguláveis em altura
    • Barras de tejadilho cromadas
Extras
Jantes de liga leve Performance 18" — 471,98 €; Vidros traseiros escurecidos — 157,33 €; SEAT Digital Cockpit 10,25" — 324,81 €; Perfil de Condução SEAT — 116,73 €; Pacote Inverno (inclui: Bancos dianteiros reguláveis em altura, aquecidos controlados separadamente e espelhos retrovisores elétricos, aquecidos e com recolhimento elétrico) — 370,48 €; Luz ambiente nas saídas de ar — 55,83 €; Câmara de visão traseira + Park Assist — 578,56 €; Connectivity box (carregamento sem fios) — 213,15 €; Bancos Dinamica — 471,98 €; Pacote Segurança & Condução XL em combinação com Sistema de navegação 9,2" (inclui: Cruise control adaptativo com limitador de velocidade; Front Assist com assistente de travagem em cidade para Cruise Control Adaptativo; Assistente de faixa de rodagem com assistente em trânsito; Assistente de máximos; Espelhos retrovisores elétricos e aquecidos; Indicação dinâmica dos sinais de trânsito) — 411,08 €; Sistema de Navegação 9,2" — 1228,16 €; Cinzento Magnetic tech — 571,18 €.
Avaliação
7 / 10
A SEAT soube «ler o mercado» e em boa hora renovou o Arona. Visualmente o modelo espanhol perdeu alguma da sobriedade que o caracterizava para adotar um visual mais aventureiro que, a meu ver, lhe assenta bem e o reforço tecnológico permite-lhe manter-se atual. Quando equipado com o 1.0 TSI de 110 cv o SEAT Arona revela-se uma proposta capaz de conciliar a vida na cidade com as «escapadinhas» de fim de semana em família. Tudo sem comprometer as performances e os sempre importantes consumos.
  • Comportamento ágil
  • Caixa DSG
  • Binómio performance-consumos
  • Estilo mais aventureiro
  • Ruído de rolamento
  • Flexibilidade/Versatilidade interior
Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o SEAT Ronda?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Este SEAT Ronda foi usado como prova em tribunal. Porquê?

Mais artigos em Testes, Ensaio