Desde 37 070 euros

Leon e-HYBRID FR. O que vale o primero híbrido plug-in da SEAT?

O Leon e-Hybrid até pode marcar o início da era da eletrificação na SEAT, mas não dá quaisquer sinal de nervosismo na estreia. Testámos-o na versão FR, a de aspeto mais desportivo.

Com mais de 2,4 milhões de unidades vendidas ao longo de quatro gerações, o SEAT Leon é um dos pilares da fabricante de Martorell. Agora, em plena era da eletrificação, oferece uma das gamas de motorizações mais vastas do mercado, com propostas Diesel, gasolina, GNC, mild-hybrid (MHEV) e plug-in hybrid (PHEV). E é precisamente esta última, o Leon e-HYBRID, que vos trazemos aqui.

Recentemente coroado com o troféu de Híbrido do Ano 2021 em Portugal, o SEAT Leon e-HYBRID é o primeiro híbrido de “ligar à corrente” da marca espanhola, ainda que por fora seja difícil perceber que estamos perante uma proposta inédita do modelo.

Não fosse a porta de carregamento por cima do guarda-lamas direito (do lado do condutor) e o lettering e-HYBRID na traseira e este Leon passava bem por um modelo com uma motorização dita convencional. Escusado será dizer que isto deve ser encarado como um elogio, já que o visual da quarta geração do compacto espanhol tem merecido críticas muito positivas desde que foi apresentado.

A NÃO PERDER: 1.5 TSI 130 cv Xcellence. Será este o SEAT Leon mais equilibrado?
Seat Leon FR E-Hybrid Thom V. Esveld

A culpa é, em grande parte, da nova assinatura luminosa, dando continuidade a uma tendência apresentada inicialmente no SEAT Tarraco, e das linhas mais agressivas, que resultam num perfil mais distinto e impactante. Aqui, o facto de esta ser uma versão FR com para-choques de desenho mais desportivo, também tem o seu peso.

O que muda no interior?

Se por fora é difícil distinguir o Leon de “ligar à ficha” dos restantes, no interior esta é uma tarefa ainda mais complicada. Apenas os menus específicos no painel de instrumentos e no sistema de infoentretenimento nos lembram que estamos dentro de um SEAT Leon capaz de andar exclusivamente a eletrões.

Vista do interior: tabliê
O Leon tem um dos habitáculos mais modernos do segmento.

Mas volto a reforçar: isto deve ser encarado como um elogio. É que a evolução que o novo Leon sofreu — face à geração anterior — é notável e o resultado está à vista, ou não fosse este um dos habitáculos mais modernos do segmento. Os materiais ficaram mais macios (pelo menos aqueles que tocamos com mais frequência), a construção nota-se bem mais robusta e os acabamentos subiram vários degraus.

Não fosse a barra tátil que nos permite controlar o volume do som e a climatização e eu nada tinha a apontar ao interior deste Leon e-HYBRID. Como já tinha escrito no ensaio que fiz ao SEAT Leon 1.5 TSI com 130 cv, é uma solução visualmente interessante, mas podia ser mais intuitiva e precisa, sobretudo à noite, já que não é iluminada.

VEJAM TAMBÉM: SEAT Leon Sportstourer FR 1.5 eTSI. O que vale a nova carrinha espanhola?

E o espaço?

No capítulo do espaço, seja nos lugares da frente ou nos de trás (o espaço para as pernas é digno de nota), o SEAT Leon e-HYBRID responde de forma afirmativa às responsabilidades que tem enquanto familiar, muito por culpa da plataforma MQB que também serve de base aos seus dois “primos” germânicos, o Volkswagen Golf e o Audi A3.

Seat Leon FR E-Hybrid
A bagageira viu a capacidade diminuir para acomodar as baterias.

Contudo, a necessidade de acomodar a bateria de 13 kWh por baixo do piso da bagageira fez com que a capacidade de carga descesse dos 380 litros para os 270 litros, número que ainda assim não belisca a versatilidade que este Leon é capaz de oferecer.

Porém, a carrinha Leon Sportstourer e-HYBRID disponibiliza 470 litros de carga, pelo que continua a ser bem mais polivalente e a mais indicada para um uso em família.

Seat Leon FR E-Hybrid
Espaço na segunda fila de bancos é suficiente para acomodar dois adultos de estatura média/alta ou duas cadeiras de criança. Thom V. Esveld

O mais potente da gama

Apesar de ter responsabilidades ecológicas, a versão híbrida plug-in é, curiosamente, a mais potente da atual gama do SEAT Leon — o CUPRA Leon não entra nestas contas —, uma vez que apresenta uma potência máxima combinada de 204 cv, fruto do “casamento” entre o bloco a gasolina 1.4 TSI de 150 cv e o motor elétrico de 115 cv (85 kW). O binário máximo, por seu turno, está fixado em uns também respeitáveis 350 Nm.

Graças a estes “números”, entregues em exclusivo às rodas dianteiras através de uma caixa automática DSG de seis velocidades, o SEAT Leon e-HYBRID cumpre o habitual exercício dos 0-100 km/h em 7,5s e atinge os 220 km/h de velocidade máxima.

Seat Leon FR E-Hybrid
No total temos uma potência combinada de 204 cv à nossa disposição.

Esta motorização híbrida “casa” muito bem com o chassis do novo Leon. E mesmo não estando esta unidade de teste equipada com o “Pacote Dinâmico e Conforto” (719 euros), que acrescenta ao conjunto o controlo adaptativo do chassis, deu sempre boa conta de si quando adotei uma condução mais desportiva, até porque tratando-se de uma versão FR, conta com uma suspensão específica, ligeiramente mais firme.

A direção é sempre muito precisa e direta, a carroçaria mostra-se sempre muito equilibrada e em autoestrada, a estabilidade não fica nada atrás dos seus “primos” alemães. Apesar da etiqueta FR no nome — e no portão da bagageira —, diria que a afinação desta proposta privilegia o conforto em vez da diversão (mesmo com as jantes opcionais de 18”), uma linha de pensamento que está muito bem alinhada com aquilo que este modelo tem para oferecer.

A NÃO PERDER: SEAT vai lançar carro elétrico em 2025 por menos de 25 000 euros

Eficaz e… poupado

No capítulo dos consumos, o SEAT Leon e-HYBRID consegue rivalizar com as propostas Diesel da gama, e para isso muito contribuem os anunciados 64 km em modo 100% elétrico.

Sem grandes preocupações a esse nível e com uma condução que até teve direito a uma incursão por autoestrada, consegui cumprir quase 50 km totalmente elétricos com este Leon, que se mostrou bastante poupado mesmo quando a bateria se esgotou.

Seat Leon FR E-Hybrid Thom V. Esveld

Enquanto temos energia armazenada na bateria é bastante fácil fazer médias de consumo abaixo dos 2 l/100 km. Depois disso, funcionando apenas como um híbrido convencional, este Leon e-HYBRID consegue médias em torno dos 6 l/100 km, o que a avaliar pelo “poder de fogo” que oferece, é um registo muito interessante.

É o carro certo para si?

A SEAT pode não ter sido a primeira marca a oferecer uma proposta híbrida plug-in, mas fez questão que a sua estreia fosse notícia. Quero com isto dizer que apesar de esta ser uma proposta inédita no Leon, revela uma maturidade notável — aqui, as sinergias entre as várias marcas do Grupo Volkswagen são uma mais valia.

Seat Leon FR E-Hybrid

Às qualidades que já tínhamos identificado na quarta geração do Leon, esta versão e-HYBRID ainda lhe junta mais potência e uma eficácia de utilização que fazem dela uma proposta a considerar.

VEJAM TAMBÉM: Quase a chegar. SEAT Ibiza e Arona vão ser renovados

Vale a pena? Bem, esta é sempre a pergunta para o milhão de euros. Pedindo já desculpa por não vos dar um feedback mais direto, vou responder de forma mais ampla: depende. Depende do tipo de utilização e dos quilómetros.

Seat Leon FR E-Hybrid

Tal como acontece com as propostas Diesel do Leon, esta versão electrificada apresenta um potencial interessante para quem faz muitos quilómetros mensais, sobretudo em percursos urbanos e suburbanos, onde é possível retirar um real benefício de andar em modo 100% elétrico durante aproximadamente 50 km, poupando assim no combustível gasto.

É, por isso mesmo, uma questão de fazer contas. E esta é outra das grandes vantagens da nova geração do Leon, que parece ter uma solução há medida da utilização de cada um.

Preço

unidade ensaiada

41.290

Versão base: €37.070

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1395 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro (16 válvulas)
    • Potência: Motor combustão: 150 cv; Motor elétrico: 102 cv; Potência máxima combinada: 204 cv
    • Binário: Motor combustão: 250 Nm entre 1550-3500 rpm; Motor elétrico: 330 Nm; Binário máximo combinado: 350 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática (DSG, de dupla embraiagem) de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4368 mm / 1799 mm / 1460 mm
    • Distância entre os eixos: 2682 mm
    • Bagageira: 270-1191 litros
    • Jantes / Pneus: 225/40 R18
    • Peso: 1614 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1,1 l/100km (14,8 kWh/100km)
    • Emissões de CO2: 27 g/km
    • Vel. máxima: 220 km/h
    • Aceleração: 7,5 s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura e 12 anos anti-corrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80 000 kms
    • Reviews Interval: 15 000 km/ 1 ano (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Para-choques Desportivos
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Spoiler traseiro
    • Retrovisores pintados na cor Cinzento Cosmo
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica e aquecidos com recolhimento eletrico (do passageiro com ajuste activado pela marcha atrás)
    • Limpa pára-brisas com função intermitente, com sensor de chuva e luz
    • Volante desportivo multifunções em pele com tiptronic
    • Espelho interior anti-encadeamento automatico
    • Proteção dos estribos das portas iluminadas
    • Seleção do perfil de condução e amortecedor convencional
    • Assistente de faixa de rodagem
    • Sensores de estacionamento traseiro
    • Aviso de colisão, com travagem de emergência, com outros veículos, peões ou ciclistas
    • Sistema de Cruise Control (CCS) com limitador de velocidade
    • Sistema de alerta de fadiga do condutor
    • Climatronic (3-zonas) com painel de controlo do ar condicionado para os bancos traseiros
    • Quadro de instrumentos digital SEAT
    • 2 portas dianteiras USB Type C e 2 portas USB Type C traseiras
    • Sistema de som com 7 Altifalantes
    • Infotenimento (MIB3) 10" com sistema de navegação Plus
    • Farolins traseiros LED com luz infinita
    • Faróis de nevoeiro dianteiros LED com função luz de curva
    • Luzes diurnas com controlo automático e Função Coming & Leaving Home
    • Faróis dianteiros Eco LED
    • Diferencial autoblocante eletrónico (XDS)
    • Pontos de ancoragem para cadeira de criança para sistema i-Size, 2x top tether e pontos de ancoragem no banco do passageiro
    • Bancos traseiros rebatíveis assimetricamente 1/3 2/3 com apoio de braço traseiro
    • Bancos dianteiros com apoio lombar ajustável manualmente
    • Bancos dianteiros ajustáveis em altura manualmente
    • Porta documento sob o banco dianteiro esquerdo
    • Kit Antifuro
Extras
Cinzento Magnetic — 465 €; Airbag lateral traseiro + Airbag de joelho + Airbag central — 288 €; Sistema Pré-acidente — 136 €; Cabo MODO 3 para eHybrid — 151 €; Câmara traseira — 246 €; Pacote Segurança & Condução XL em combinação com Sistema de Navegação Plus 10" — 812 €; Park Assist + Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros — 347 €; Iluminação interior ambiente envolvente LED — 273 €; Moldura dos vidros Preto Glossy — 164 €; Teto de abrir elétrico — 885 €; Jantes de liga leve Performance 18" Maquinadas — 601 €; Pacote Inverno: Bancos dianteiros aquecidos, volante aquecido & jato de agua do lava parabrisas aquecido — 360 €; Alarme (inclui função safe) — 310 €.
Avaliação
7 / 10
NOTA: 7,5. Nesta versão híbrida plug-in, o Leon mostra-se uma solução muito interessante para quem procura um modelo de imagem mais arrojada, com um bom nível de equipamento, e que faça muitos quilómetros, sobretudo em ciclo urbano ou suburbano. Bastante eficaz com e sem energia na bateria, é capaz de consumos relativamente baixos, sobretudo se tivermos em conta o "poder de fogo" que temos à disposição do nosso pé direito. Não é tão dinâmico quanto o "primo" Audi A3 Sportback 40 TFSIe — mais caro, começa nos 40 722 euros —, mas ao nível do conforto e do "rolamento", sobretudo em autoestrada, exibe-se a um nível idêntico.
  • Autonomia elétrica
  • Consumos
  • Conforto
  • Capacidade da bagageira
  • Ausência de comandos físicos para controlar a climatização
Sabe responder a esta?
Qual a autonomia anunciada do novo SEAT Leon TGI?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT Leon TGI. Até 440 km de autonomia a gás natural

Mais artigos em Testes, Ensaio