Desde 45 776 euros

Testámos o SEAT Tarraco 2.0 TDI. É este o motor certo?

Depois de termos testado o SEAT Tarraco 1.5 TSI e 150 cv, colocamos agora à prova o 2.0 TDI de igual potência para descobrir qual a melhor opção para este SUV familiar.

Se bem te lembras, há uns tempos o Guilherme Costa testou o SEAT Tarraco com o 1.5 TSI de 150 cv e colocava no ar a questão se este motor a gasolina era capaz de fazer esquecer o 2.0 TDI de potência equivalente, por norma, a escolha por defeito num SUV de grandes dimensões como o Tarraco.

Ora, para dissipar de uma vez por todas quaisquer dúvidas que pudessem subsistir, pusemos agora à prova o SEAT Tarraco com… o 2.0 TDI de 150 cv, é claro.

Será que a “tradição” ainda se mantém e este é o motor ideal para o SUV e topo de gama da SEAT? Nas próximas linhas tentamos responder-te a essa pergunta.

VÊ TAMBÉM: SEAT Leon Sportstourer FR 1.5 eTSI. O que vale a nova carrinha espanhola?
Seat Tarraco

O Diesel ainda compensa?

Como o Guilherme nos disse no teste feito ao Tarraco com o 1.5 TSI, tradicionalmente, os SUV de grandes dimensões surgem associados a motores Diesel e a verdade é que depois de testar esta unidade com o 2.0 TDI relembrei-me da razão pela qual isso acontece.

Não é que o 1.5 TSI não cumpra (e até o faz bastante bem no capítulo das prestações), mas a verdade é que o 2.0 TDI parece feito à medida para o tipo de utilização a que o Tarraco se destina.

Seat Tarraco
Frugal e despachado, a frio o 2.0 TDI gosta de se fazer ouvir um pouco mais.
VÊ TAMBÉM: Hyundai Santa Fe 2.2 CRDi testado. Expetativas superadas

Com quase cinco metros de comprimento e mais de 1,8 m de largura, o SEAT Tarraco está longe de ser a escolha ideal para voltas urbanas, estando talhado para “devorar” quilómetros em estrada aberta.

Ora, neste tipo de utilização o 2.0 TDI de 150 cv e 340 Nm sente-se como “peixe na água”, permitindo uma condução relaxada, célere e, acima de tudo, económica.

SEAT Tarraco
As jantes opcionais de 20” não “beliscam” o conforto oferecido pelo Tarraco. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Skoda Superb Break TDI 190 cv testada. O que oferece para além de muito espaço?

Ao longo do tempo que passei com o Tarraco foi fácil manter os consumos entre os 6 e os 6,5 l /100 km (em estrada) e mesmo em cidade não andaram muito acima dos 7 l/100 km.

Já quando decidi tentar subir a minha nota no interativo “Eco Trainer” (um menu que avalia a nossa condução) cheguei a ver o computador de bordo anunciar médias de 5 a 5,5 l/100 km, sem no entanto andar a “pastelar”.

Seat Tarraco
O “Eco Trainer”, uma espécie de Yoda digital para nos ajudar a reduzir os consumos. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Adeus, Diesel? Testámos a Renault Mégane ST E-TECH (híbrida plug-in)

Suave e progressivo, o 2.0 TDI tem na caixa manual de seis velocidades uma boa aliada. Bem escalonada, esta tem um tato confortável (menos mecânico e dinâmico que, por exemplo, a do Ford Kuga) e leva-nos a praticar o estilo de condução que o Tarraco mais parece apreciar: uma condução relaxada.

SEAT Tarraco © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Já conduzimos (e carregámos) o novo Volkswagen Tiguan eHybrid

Confortável e pensado para a família

Tendo em conta as suas dimensões exteriores, não admira que o SEAT Tarraco apresenta generosas cotas internas e consiga fazer um bom aproveitamento do espaço interior.

SEAT Tarraco
Atrás as palavras de ordem são espaço e conforto. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Atrás, há espaço mais que suficiente para dois adultos viajarem com conforto. A isto juntam-se ainda comodidades como as entradas USB e as saídas de ventilação presentes na consola central e umas muito práticas mesas nas costas dos bancos dianteiros.

Quanto à bagageira, tal como no Tarraco a gasolina, também este vinha com a configuração de cinco lugares, oferecendo por isso uma bagageira com uma capacidade de 760 litros, um valor bastante generoso para umas férias em família.

 

Já o comportamento deste SUV, pauta-se, acima de tudo, pela previsibilidade, estabilidade e segurança. Competente quando chegam as curvas, a bordo do SEAT Tarraco parece que vamos numa espécie de “casulo protetor” tal é a sua capacidade de nos abstrair do trânsito que nos rodeia.

VÊ TAMBÉM: Testámos o BMW X3 xDrive30e. Um bom híbrido plug-in mesmo quando acaba a bateria?

Topo de gama por mérito próprio

Bem construído e com materiais de qualidade, o interior do SEAT Tarraco prova que forma e função podem andar de mãos dadas.

Encarregue de estrear a nova linguagem visual da SEAT (tanto no exterior como no interior) o Tarraco conta com uma boa ergonomia, não abdicando dos sempre úteis comandos táteis.

Já o sistema de infoentretenimento é completo, fácil e intuitivo de usar (como em todos os SEAT) e conta com um bem-vindo comando rotativo para controlar o volume do áudio.

Seat Tarraco
A seleção dos modos de condução faz-se neste comando rotativo. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Quanto à oferta de equipamento, esta é bastante completa, incorporando deste gadgets como o Apple CarPlay e Android Auto até uma série de sistemas de segurança e ajuda à condução.

Entre estes destacam-se a travagem automática, o alerta de transposição de faixa, o leitor de sinais de trânsito, o alerta de ângulo morto ou o cruise control adaptativo (que, por sinal, funciona bastante bem com nevoeiro).

VÊ TAMBÉM: Testámos o Skoda Kodiaq RS, um SUV de 7 lugares… “desportivo”. Faz sentido?

É o carro certo para mim?

Bem equipado, confortável e (muito) espaçoso, o SEAT Tarraco merece lugar cativo na lista de opções de quem procura um SUV familiar.

Quanto à escolha entre o 2.0 TDI de 150 cv e o 1.5 TSI de igual potência, esta depende mais da calculadora do que de outra coisa qualquer. Tens de ver se o número de quilómetros que fazes anualmente (e o tipo de via/meios em que os fazes) justificam optar pelo motor Diesel.

É que apesar de no nível de equipamento Xcellence (o mesmo do outro Tarraco que testámos) a diferença ser de cerca de 1700 euros com vantagem para o motor a gasolina, tens ainda de contar com o valor superior de IUC que o Tarraco a gasóleo vai pagar.

SEAT Tarraco
Equipados com o sistema de máximos automáticos, os faróis do Tarraco conseguem tornar (quase) dia mesmo a mais escura das noites. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Testámos o Peugeot 3008 Hybrid4. O que vale o Peugeot mais potente de sempre?

 

Já pondo de parte as questões económicas e tentando responder à questão que serve de mote a este teste, devo admitir que o 2.0 TDI “casa” muito bem com o SEAT Tarraco.

Económico por natureza, este permite ao SEAT Tarraco disfarçar bastante bem o seu peso sem obrigar o condutor a um número demasiado elevado de visitas aos postos de abastecimento.

SEAT Tarraco © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Toyota Camry. Será que o japonês feito a pensar nos americanos convence os europeus?

 

E se é verdade que os motores Diesel já foram mais bem vistos, também não deixa de ser verdade que para assegurar consumos razoavelmente baixos num modelo com as dimensões e massa do Tarraco só há duas opções: ou se recorre a um motor Diesel ou a uma versão híbrida plug-in — e esta última, para os conseguir, vai obrigar a fazer visitas frequentes a um carregador.

Ora, enquanto a segunda não chega — o Tarraco PHEV já nos foi dado a conhecer, mas só chega a Portugal em 2021 —, a primeira vai fazendo “as honras” e assegura que o topo de gama espanhol continua a ser uma opção a ter em conta num segmento (muito) concorrido.

Preço

unidade ensaiada

51.846

Versão base: €45.776

IUC: €259

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1968 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta Common Rail + Turbo de geometria variável + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil.
    • Potência: 150 cv entre as 3500-4000 rpm
    • Binário: 340 Nm entre as 1750-3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de seis velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4735 mm / 1839 mm / 1658 mm
    • Distância entre os eixos: 2790 mm
    • Bagageira: 760 litros
    • Jantes / Pneus: 235/45 R20
    • Peso: 1687 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,8 l/100 km
    • Emissões de CO2: 155 g/km
    • Vel. máxima: 202 km/h
    • Aceleração: 9,8s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura / 12 anos anti-corrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80000 km
    • Reviews Interval: 30000 km / 2 anos (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Direção progressiva
    • Tabuleiro retrátil no encosto dos bancos traseiros
    • Perfil de Condução SEAT com botão "Driving Experience"
    • Para-choques pintados
    • Banco do passageiro rebatível
    • Barras do tejadilho cromadas
    • Abertura e fecho do portão traseiro elétrica e controlada por sensor (Pedal Virtual)
    • Sistema Kessy (Entry + Go) sem função SAFE
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Moldura exterior dos vidros cromada
    • Front Assist com assistente de travagem em cidade para Cruise Control adaptativo
    • Assistente automático de estacionamento
    • Cruise Control adaptativo até 210km/h
    • Função ECO
    • Câmara traseira de ajuda ao estacionamento
    • Climatronic 3 zonas
    • Estofos em Alcantara
    • Bancos desportivos
    • Porta-objectos por baixo do banco do condutor
    • Iluminação ambiente LED nos paineis das portas (dianteiras e traseiras)
    • Jantes de liga leve 19" Exclusive
    • Protecção dos estribos das portas iluminados
Extras
Connectivity box (inclui carregamento sem fios + amplificador de sinal GSM) — 177,80 €; Rede divisória — 133 €; Câmara de visão 360º — 487,20 €; Controlo Adaptativo do Chassis (DCC)(inclui: suspensão traseira para DCC, suspensão dianteira para DCC e perfil de Condução SEAT com botão "Driving Experience" e regulação hidráulica da suspensão) — 709,80 €; Regulação elétrica do banco do condutor com memória (banco do condutor e espelhos) — 354,20 €; Bancos em pele preto (inclui interior preto e inclui o pacote inverno) — 1064 €; Sistema de som BeatsAudio — 443,80 €; Aquecimento programado — 842,81 €; Teto de abrir panorâmico elétrico — 975,80 €; Jantes de liga leve 20" — 660,80 €; Alarme com função SAFE — 221,20 €.
Avaliação
7 / 10
Espaçoso e confortável, o SEAT Tarraco tem no 2.0 TDI, pelo menos para já, o melhor que melhor lhe assenta. Económico e pujante q.b., este permite ao SUV espanhol explorar da melhor forma a sua faceta estradista, fazendo dele uma boa opção para quem acumula muitos quilómetros, precisa de espaço e não abdica de um SUV.
  • Espaço a bordo;
  • Dotação de equipamento
  • Conforto
  • Consumos
  • Motor algo ruidoso a frio
  • Reflexos no ecrã tátil com o teto panorâmico aberto
Sabes responder a esta?
Em que ano foi revelado o SEAT Ronda?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Este SEAT Ronda foi usado como prova em tribunal. Porquê?

Mais artigos em Testes, Ensaio