Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 30 099 euros

1.5 TSI 130 cv Xcellence. Será este o SEAT Leon mais equilibrado?

Conduzimos o SEAT Leon 1.5 TSI com 130 cv no nível de equipamento Xcellence e fomos descobrir se esta é a versão mais equilibrada do familiar compacto espanhol.

Recém coroado com o troféu de Carro do Ano 2021 em Portugal, o SEAT Leon tem muitos e bons argumentos que ajudam a explicar esta distinção. Um dos mais importantes será, porventura, a vasta gama de motorizações que apresenta. Desde motores a gasolina ao GNC, passando por híbridos plug-in e por mild-hybrid (MHEV), há opções para todos os gostos.

A versão que aqui lhe trazemos é a 1.5 TSI com 130 cv, uma configuração que, no papel, promete ser uma das mais equilibradas do modelo espanhol. Mas será que convence em estrada? É precisamente a isso que lhe vamos responder nas próximas linhas…

Passámos quatro dias com um Leon 1.5 TSI de 130 cv com o nível de equipamento Xcellence e colocámos-lhe vários desafios, desde os habituais percursos em cidade até às incursões mais exigentes por autoestrada e vias rápidas. O suficiente para perceber tudo aquilo que este Leon tem para oferecer. E sem querer revelar o veredicto demasiado cedo, chegou para nos surpreender.

A NÃO PERDER: SEAT Leon Sportstourer FR 1.5 eTSI. O que vale a nova carrinha espanhola?
Seat Leon TSI Xcellence-8 © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

O nível de equipamento Xcellence equipara-se ao mais desportivo FR, mas afirma-se como a “visão” mais requintada deste modelo, com acabamentos de tato mais suave e elegante, e bancos mais confortáveis (sem regulação elétrica de série), mas sem a suspensão específica (e mais firme) do FR, o que poderia antecipar uma experiência de condução menos dinâmica.

Mas para nossa surpresa, esta unidade de teste estava equipada com o “Pacote Dinâmico e Conforto” opcional (783 euros), que acrescenta ao conjunto a direção progressiva (de série no FR) e o controlo adaptativo do chassis. E que diferença isto faz.

Volante SEAT Leon
Direção tem um tato muito preciso. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Graças ao controlo adaptativo do chassis — que a SEAT apelida de DCC — é possível escolher entre 14 afinações distintas, permitindo deixar este Leon mais vocacionado para o conforto ou, por outro lado, mais apto para uma condução mais exigente e desportiva. Versatilidade é, por isso, a palavra de ordem para este Leon, que se mostra sempre um automóvel muito equilibrado e razoável.

Chassis não deixa dúvidas

Aqui, na Razão Automóvel, tivemos oportunidade de conduzir a quarta geração do SEAT Leon em várias configurações distintas, mas há sempre uma coisa que se destaca: o chassis. A base MQB Evo é exatamente a mesma que encontramos nos “primos” Volkswagen Golf e Audi A3, mas o novo Leon apresenta uma afinação que lhe permite reivindicar uma identidade distinta.

A NÃO PERDER: Testámos o Audi A3 Sportback 30 TFSI S line. Os 110 cv são suficientes?

Este é um modelo previsível e muito eficaz, capaz de nos proporcionar um nível de conforto bastante elevado em viagens mais longas, mas que nunca se recusa a uma incursão por estradas mais desafiantes, onde o peso da direção se revela acertado e o binómio motor/caixa ganha vida.

O que vale, afinal, este 1.5 TSI com 130 cv?

O bloco 1.5 TSI (gasolina) de quatro cilindros produz 130 cv de potência e 200 Nm de binário máximo. Olhando para o alinhamento deste modelo, esta surge como uma das motorizações intermédias e, como tal, tem tudo para ser uma das mais equilibradas. Mas será que é no meio que está a virtude?

Motor 1.5 TSI 130 cv
Motor 1.5 TSI com quatro cilindros desta versão produz 130 cv e 200 Nm de binário máximo. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Associado a esta caixa manual de seis velocidades, este motor é capaz de acelerar o Leon dos 0 aos 100 km/h em 9,4s e até aos 208 km/h de velocidade máxima. Estes estão longe de ser registos impressionantes, mas a afinação aqui proposta pela SEAT mostra-se bastante expedita em estrada, bastante agradável de usar e capaz de nos fazer acreditar que há mais potência além da anunciada.

Ainda assim, este é uma espécie de motor com duas caras: abaixo das 3000 rpm, revela-se sempre muito suave e pouco ruidoso, mas não impressiona pelas suas prestações; mas acima deste registo, a “conversa” é totalmente diferente. Continua a ser um motor refinado, mas ganha outra vida, outra alegria.

VEJA TAMBÉM: Fomos buscar a nova carrinha SEAT Leon Sportstourer à fábrica de Barcelona

A “culpa” disto é, em parte, da caixa manual de seis velocidades, que apesar de precisa e agradável de usar, conta com relações algo longas, ideais para que a nossa condução ande sempre abaixo das 3000 rpm, privilegiando assim os consumos. Por isso, para “arrancar” algo mais deste motor — e deste chassis — temos que recorrer mais do que esperado à caixa de velocidades.

Jantes de 18" opcionais
Unidade testada contava com jantes opcionais Performance de 18” e pneus desportivos (783 €). © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

E os consumos?

Percorremos com este Leon 1.5 TSI Xcellence muitos quilómetros distribuídos por cidade, vias rápidas e autoestrada, e quando o fomos entregar à SEAT Portugal, o balanço dos consumos marcava uma média de sete litros por cada 100 quilómetros percorridos.

Este registo está acima dos oficiais 5,7 l/100 km (ciclo combinado) anunciados pela marca espanhola para esta versão (com jantes de 18”), mas importa lembrar que em autoestrada e em estrada aberta conseguimos, sem grande esforço, fazer médias abaixo dos 6,5 l/100 km. Mas os percursos urbanos acabaram por “empurrar” os valores lá mais para cima.

Consola central com manípulo da caixa de velocidades manual
Registámos uma média de 7 l/100 km percorridos durante este ensaio. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Ainda assim, e tendo em conta o que este SEAT Leon 1.5 TSI Xcellence com 130 cv tem para oferecer, os 7,0 l/100 km que registámos estão longe de ser um problema, até porque não andámos propriamente a “trabalhar” para as médias. Recorde-se que este motor conta com um sistema que permite desativar dois dos quatro cilindros quando o acelerador não está em carga.

Imagem arrojada

Há medida que os meses passam, vai ficando cada vez mais óbvio que a marca espanhola acertou em cheio no visual da quarta geração do seu compacto. As linhas mais agressivas, o capô mais comprido e o pára-brisas mais vertical ajudam a criar uma sensação de maior dinamismo. Mas é a renovada assinatura luminosa, uma tendência já apresentada no SEAT Tarraco, que lhe confere um perfil mais distinto e impactante — tema que foi detalhado pelo Diogo Teixeira, aquando do primeiro contacto com o modelo espanhol.

barra luminosa traseira com símbolo SEAT e lettering Leon em baixo
Assinatura luminosa traseira é um dos grandes destaques visuais deste Leon. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel
A NÃO PERDER: Testámos o renovado SEAT Ateca. Mudou pouco, mas foi suficiente?

Espaço não falta…

Quanto ao interior, a plataforma MQB do Grupo Volkswagen permite boas cotas de habitabilidade a este Leon, que por apresentar uma distância-entre eixos 5 cm superior aos “primos” Golf e A3, permite-lhe oferecer mais espaço para as pernas na segunda fila de bancos.

bagageira Seat Leon TSI Xcellence
A bagageira oferece 380 litros de capacidade. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Os bancos traseiros são práticos e muito acolhedores e o espaço disponível para os joelhos, ombros e cabeça estão acima da média do segmento, colocando — também aqui — este Leon em muito bom plano.

A bagageira oferece 380 litros de capacidade e com os bancos traseiros rebatidos pode crescer até aos 1301 litros de volume. Quer o Golf quer o A3 oferecem os mesmos 380 litros de carga.

VEJA TAMBÉM: SEAT vai lançar carro elétrico em 2025 por menos de 25 000 euros

Tecnologia e qualidade no interior

No interior, os materiais e acabamentos estão igualmente em muito bom nível, algo que fica ainda mais reforçado neste nível de equipamento Xcellence, que “oferece” bancos mais confortáveis e com um revestimento muito acolhedor. Aqui, não há nada a apontar.

O mesmo não se pode dizer da barra tátil que nos permite controlar o volume do som e a climatização, tal como acontece com os restantes modelos do Grupo Volkswagen que usam a nova plataforma eletrónica MIB3. É uma solução visualmente interessante, uma vez que nos permite dispensar quase todos os botões físicos, mas podia ser mais intuitiva e precisa, sobretudo à noite, pois não é iluminada.

Seat Leon TSI Xcellence-11
Bancos Xcellence são confortáveis e apresentam um revestimento muito acolhedor. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

É o carro certo para si?

Todos os nossos ensaios de estrada acabam com esta questão e tal como sempre acontece, não há uma resposta completamente fechada. Para quem, como eu, percorre vários quilómetros por mês em autoestrada, porventura é interessante ponderar as propostas Diesel deste Leon, tais como o Leon TDI FR com 150 cv que o João Tomé testou recentemente.

Se por outro lado as suas “obrigações” o levam a andar maioritariamente por percursos mistos, então podemos garantir-lhe que este motor 1.5 TSI com 130 cv (e caixa manual de seis relações) vai dar conta do recado.

Seat Leon TSI Xcellence-3
Primeiras três gerações do Leon (apresentado em 1999) venderam 2,2 milhões de unidades. Agora, a quarta quer continuar esta carreira comercial de sucesso. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

O SEAT Leon 1.5 TSI 130 cv Xcellence um modelo muito interessante de conduzir, sobretudo quando associado à direção progressiva e ao controlo adaptativo do chassis com que esta unidade contava. Com a particularidade de se exibir tão capaz numa autoestrada, apelando à suavidade e ao conforto, como numa estrada aberta e com umas curvas mais desafiantes, ainda que aí sejamos obrigados a recorrer muito à caixa de velocidades para aproveitar tudo o que este fantástico chassis tem para oferecer.

Preço

unidade ensaiada

35.825

Versão base: €30.099

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1498 cm³
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Distribuição: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Potência: 130 cv entre as 5000 e as 6000 rpm
    • Binário: 200 Nm entre as 1400 e as 4000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4368 mm / 1800 mm / 1456 mm
    • Distância entre os eixos: 2686 mm
    • Bagageira: 380-1301 l
    • Jantes / Pneus: 225/40 R18
    • Peso: 1318 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,7 l/100 km
    • Emissões de CO2: 131 g/km
    • Vel. máxima: 208 km/h
    • Aceleração: 9,4s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura e 12 anos anti-corrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80 000 Kms
    • Reviews Interval: 30 000 km / 2 anos (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Volante desportivo multifunções em pele
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Spoiler traseiro
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica e aquecidos com recolhimento elétrico (do passageiro com ajuste activado pela marcha atrás)
    • Limpa pára-brisas com função intermitente, com sensor de chuva e luz
    • Proteção dos estribos das portas iluminadas
    • Assistente de faixa de rodagem
    • Sensores de estacionamento traseiro
    • Aviso de colisão, com travagem de emergência, com outros veículos, peões ou ciclistas
    • Sistema de Cruise Control (CCS) com limitador de velocidade
    • Sistema de alerta de fadiga do condutor
    • Climatronic (3-zonas) com painel de controlo do ar condicionado para os bancos traseiros
    • Quadro de instrumentos digital SEAT
    • Sistema de Som Media Plus 8,25" com 7 altifalantes
    • Faróis de nevoeiro dianteiros LED com função luz de curva
    • Luzes diurnas com controlo automático e Função Coming & Leaving Home
    • Diferencial autoblocante eletrónico (XDS)
    • Sistema de fecho e sistema de arranque keyless / sem função SAFE
    • Porta documento sob o banco dianteiro esquerdo
    • Bancos traseiros rebatíveis assimetricamente 1/3 2/3 com apoio de braço traseiro
    • Bancos dianteiros ajustáveis em altura manualmente
Extras
Branco Nevada — 465 €; Jantes de liga leve Performance 18" Maquinadas com pneus desportivos — 783 €; Forra do teto Preto — 200 €; Pacote Segurança & Condução L em combinação com Sistema de Navegação Plus 10" — 630 €; Iluminação interior ambiente envolvente LED — 268 €; Pacote Dinâmico & Conforto — 783 €; Park Assist + Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros — 347 €; Câmera traseira — 246 €; Pacote Inverno: Bancos dianteiros aquecidos, volante aquecido e jato de agua do lava para-brisas aquecido — 360 €; Sistema de Navegação Plus 10" — 660 €; Sistema de som BeatsAudio TM — 449 €; Full Link para Sistema de Sistema de Navegação Plus 10" - 156 €; Airbag lateral traseiro + Airbag de joelho + Airbag central — 288 €; Roda suplente de 18" — 69 €.
Avaliação
7 / 10
A quarta geração do SEAT Leon tem muitos e bons argumentos. A imagem exterior é impactante e não passa despercebida. Já o interior é muito espaçoso, tecnológico e requintado, sobretudo nesta versão Xcellence. A versão aqui testada, a 1.5 TSI com 130 cv e caixa manual de seis relações, é muito equilibrada e sempre muito competente, seja em autoestrada, em cidade ou em estrada aberta, onde podemos aproveitar as muitas qualidades deste chassis, partilhado com os "primos" Audi A3 e Volkswagen Golf. Contudo, custa apenas 826 € menos do que a variante 1.5 TSI com 150 cv, que acredito que deva ser a escolha ideal. Nem tanto pela diferença de performances, que é ligeira, mas pela maior capacidade a baixos regimes, uma vez que para além dos 20 cv extra ainda oferece 250 Nm de binário máximo.
  • Comportamento dinâmico
  • Versatilidade de utilização
  • Espaço nos bancos traseiros
  • Design exterior
  • Barra tátil abaixo do ecrã multimédia
  • Registos a baixos regimes
Sabe responder a esta?
Qual foi o primeiro automóvel da SEAT?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT 1400. Este foi o primeiro automóvel da marca espanhola

Mais artigos em Testes, Ensaio