Desde 30 769 euros

A carrinha para esquecer os SUV. Ford Focus Active SW Diesel testada

A Ford Focus Active SW é a variante mais familiar do mais aventureiro dos Focus. Mas será que é capaz de fazer esquecer os bem-sucedidos SUV?

A meio caminho entre os bem-sucedidos SUV e as mais discretas carrinhas encontramos as “carrinhas de calças arregaçadas”, um sub-segmento outrora mais povoado, mas no qual a Ford Focus Active SW marca presença, pela primeira vez.

Tal como o Fiesta Active que testámos recentemente, a Focus Active SW apresenta-se como uma alternativa dentro da gama Ford para quem precisa de mais versatilidade mas, por alguma razão, não quer optar por um dos SUV, seja da marca norte-americana (neste caso, pelo Kuga) ou de outra.

Mas será a Focus Active SW capaz de ombrear com os bem-sucedidos SUV? Para descobrir pusemo-la à prova com o motor Diesel 1.5 EcoBlue de 120 cv.

VÊ TAMBÉM: Testámos a Hyundai i30 SW 1.6 CRDi. Lição estudada
Ford Focus Active SW © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Visualmente, ganha-se distinção

Tal como acontece com o seu “irmão mais novo”, a Focus Active SW não se deixa confundir com as restantes Focus SW. Seja pela maior altura ao solo ou pelas proteções da carroçaria, tudo nela parece apelar mais à evasão.

O resultado final foi, na minha opinião, bem conseguido, e devo admitir que me agradam estas carrinhas com visual mais robusto, sendo a Focus Active SW um dos melhores exemplos.

Aliás, até mesmo quando comparada com algumas variantes do Ford Kuga, esta Focus Active SW parece mais apta a enfrentar maus caminhos, tudo graças às proteções em plástico da carroçaria que não a deixam passar despercebida.

VÊ TAMBÉM: Kia Ceed Sportswagon PHEV. Poupada, mesmo quando a bateria acaba
Ford Focus Active SW © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Espaço, a palavra de ordem no interior

Face às restantes Focus SW, no interior da Focus Active SW ganham-se bancos específicos (confortáveis e com bom apoio lateral) e uma posição de condução (ligeiramente) mais alta. Ou seja, não vamos tão altos como num SUV, mas acaba por beneficiar, ainda que ligeiramente, a visibilidade para o exterior.

VÊ TAMBÉM: Ford Focus 1.5 EcoBoost Vignale SW. Testámos o Focus com sotaque italiano
Ford Focus Active SW

De resto, a qualidade de montagem e dos materiais está em bom plano (algo evidente quando circulamos por “maus caminhos”) e em relação ao seu design, a Focus Active SW é um ótimo exemplo em linha com as mais recentes propostas da Ford, adotando não só um visual muito semelhante ao encontrado no Kuga ou até no Fiesta, como mantendo comandos físicos onde interessa os ter.

E se é verdade que esta solução não transmite a mesma modernidade do tablier quase sem comandos do, por exemplo, novo Golf, não é menos verdade que ao nível da ergonomia e usabilidade representa uma séria mais valia a favor da carrinha da Ford.

VÊ TAMBÉM: Peugeot 2008. Tem argumentos para destronar o líder Renault Captur?

Por fim, se houve algo que se manteve inalterado (e ainda bem) no interior da Ford Focus Active SW foram as cotas de habitabilidade. Espaçosa e confortável, a carrinha da Ford é capaz de transportar de forma desafogada quatro adultos, convidando a longas viagens em família ou com os amigos.

A bagageira com os 608 litros é referencial e distancia-se do que alguns SUV como o SEAT Ateca (510 litros) ou o Hyundai Tucson (513 litros) oferecem — neste capítulo, o “rival” interno Kuga oferece uns impressionantes 645 litros.

VÊ TAMBÉM: Low cost? Nem por isso. Testámos o Fiat Tipo 1.3 Multijet Sport
Ford Focus Active SW
O tapete reversível em borracha é opcional e custa 51 euros mas acaba por ser quase obrigatório dadas as suas mais valias.

Para a cidade e para as serras

Como facilmente se percebe, acima de tudo o que esta versão oferece à Focus SW é, além do novo visual, um pouco mais de altura ao solo (30 mm, no eixo da dianteiro e 34 mm no traseiro) e um conjunto de molas, amortecedores e barras estabilizadoras diferentes. Mas será que com isto a dinâmica se ressentiu?

A melhor notícia que te podemos dar é que não, não se ressentiu. A Ford Focus Active SW continua a ser acutilante, bem comportada e até divertida em curva, pedindo que se explorem as suas capacidades dinâmicas e demarcando-se neste capítulo da maioria dos SUV disponíveis no mercado (o centro de gravidade mais baixo também ajuda).

Apesar das suas características familiares, as suas capacidades dinâmicas fizeram com que desse comigo à procura do caminho mais sinuoso para casa só para poder apreciar um pouco mais o conjunto chassis/suspensão/direção.

VÊ TAMBÉM: Nissan X-Trail 1.3 DIG-T testado. Vale a pena optar pelo Qashqai?
Ford Focus Active SW © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O melhor é que quando decidimos sair do asfalto, a altura extra ao solo acaba por permitir realmente chegar mais longe, não perdendo nada para os SUV. Nestas circunstâncias revela-se seguro e previsível, mas sem abdicar de uma certa dose de diversão, relembrando-nos até que a Ford tem pedigree no mundo dos ralis.

Modos de condução para todos os gostos

Esta versão Active oferece mais dois modos de condução — Escorregadio e Trilhos — que se juntam aos modos Eco/Normal/Sport já disponíveis nos outros Focus. Apesar de não terem o mesmo efeito de um sistema de tração integral, a verdade é que estes permitem enfrentar caminhos de terra com um maior à vontade, alterando parâmetros como a atuação do controlo de tração e/ou estabilidade.

VÊ TAMBÉM: Mais competitivo? Testámos o renovado Niro HEV, o crossover híbrido da Kia

Quanto aos restantes modos, ao contrário do que muitas vezes acontece, sente-se uma real diferença entre eles. O modo “Eco” torna a resposta do acelerador mais passiva e é ideal para quando viajamos a velocidade de cruzeiro em autoestrada; o “Normal” representa um bom compromisso entre prestações e consumos.

Por fim, o modo “Sport” não só torna a já de si agradável direção um pouco mais pesada como torna a resposta do acelerador mais imediata (e sem prejudicar muito os consumos).

Neste caso o Diesel ainda faz sentido

Apesar de estarem a ser alvo de alguma “perseguição”, há automóveis nos quais os motores Diesel ainda fazem sentido e a Ford Focus Active SW, pessoalmente, considero ser um desses exemplos, “casando” muito bem com o 1.5 EcoBlue de 120 cv.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Hyundai Tucson 1.6 CRDi 48 V DCT N Line. Agora com vitamina N
Ford Focus Active SW © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Agradável de usar nos mais diversos regimes, este motor oferece à Focus Active SW um carácter estradista que lhe assenta “que nem uma luva”, tendo-se ainda revelado económico por natureza. Facilmente conseguimos consumos de 5 a 5,5 l/100 km sem preocupações e com calma é possível andar pelos 4,5 l/100 km — digam-me lá um SUV capaz destes números.

Quanto à caixa… bem, a caixa de velocidades manual de seis velocidades é, tal como a do Fiesta Active, bastante agradável de usar. Com um curso curto e um tato mecânico, quase que dá  vontade de engrenar relações “só porque sim”, simplesmente para podermos usufruir do seu agradável tato.

VÊ TAMBÉM: Testámos o novo Toyota Prius AWD-i. O pioneiro dos híbridos ainda faz sentido?
Ford Focus Active SW © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É o carro certo para mim?

Algo esquecidas — e até ameaçadas — devido à “enxurrada” SUV, as carrinhas de “calças arregaçadas” não deixaram de ter argumentos quando as comparamos com os SUV de tração dianteira.

Com um visual robusto e aventureiro, a Ford Focus Active SW nada fica a dever aos SUV, batendo-se de igual para igual com estes no capítulo da versatilidade e ultrapassando-os quando chega a hora de enfrentar um encadeado de curvas ou de transportar “este mundo e o outro”.

Se estás à procura de uma carrinha espaçosa, económica e com um visual mais aventureiro que não seja apenas “fogo de vista”, a Focus Active SW tem de ser uma opção a considerar, pois não é só uma boa alternativa dentro da gama Focus como é uma boa opção face aos SUV, conjugando as qualidades dinâmicas do Focus a uma versatilidade acrescida.

Posto isto, e para responder à pergunta que coloquei no título deste texto, com propostas como a Focus Active SW não, um SUV não faz falta a não ser que traga a mais valia da tração integral ou precises mesmo de andar no “1º andar”.

Preço

unidade ensaiada

36.945

Versão base: €30.769

IUC: €147

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1499 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta Common Rail + Turbo de geometria variável + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Potência: 120 cv às 3600 rpm
    • Binário: 300 Nm entre as 1750 e as 2250 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de seis velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4693 mm / 1844 mm / 1532 mm
    • Distância entre os eixos: 2700 mm
    • Bagageira: 608 litros
    • Jantes / Pneus: 215/50 R18
    • Peso: 1413 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 4,7 l/100 km
    • Emissões de CO2: 128 g/km
    • Vel. máxima: 194 km/h
    • Aceleração: 10s
  • Equipamento
    • Jantes de liga leve 17"
    • Faróis de nevoeiro dianteiros LED com luzes de canto
    • Difusores dianteiro e traseiro Active
    • Protecções das cavas das rodas Active
    • Grelha frontal Active
    • Pára-choques dianteiro e traseiro exclusivo Active
    • Saída de escape dupla
    • Roda suplente mini
    • Posição de condução elevada: + 30 mm à frente e + 34 mm atrás
    • Barras do tejadilho em negro
    • Punho da alavanca de mudanças forrado a couro
    • Forro do tejadilho em cinzento
    • Embaladeiras com logo ACTIVE
    • Detalhes de personalização Active
    • Sistema de Navegação. SYNC 3, ecrã táctil de 8” a cores, Applink e 6 colunas
    • FordPass Connect
    • Volante forrado a couro
    • Consola central com apoio de braços
    • Barras do tejadilho em preto
    • Botão FordPower
    • Controlo automático de velocidade adaptativo com limitador de velocidade
    • Sensores de Estacionamento à frente e atrás
    • Assistência à pré colisão (travagem activa autónoma e detecção de peões e ciclistas)
    • Travagem activa pós colisão
    • Travão de mão elétrico
    • Selecção de modos de condução
    • Sistema de detecção de deflação de pneus (DDS)
    • Assistência à manutenção na faixa
Extras
Carregador sem fios — 152 €; Pintura metalizada “Metropolis White” — 559 €; Sistema de navegação Premium com B&O Play — 305 €; Tapete reversível da bagageira — 51 €; Abertura e fecho da bagageira mãos livres — 508 €; Tejadilho e capas dos espelhos retrovisores em Preto — 407 €; Head Up Display — 407 €; Pack Interior Active (detalhes interiores Active e tapetes à frente e atrás com detalhes em azul) — 407 €; Pack Conforto (ar condicionado automático, faróis automáticos e limpa pára-brisas automático, sistema de chave inteligente, retrovisor interior electrocromático e retrovisores eléctricos e recolhíveis) — 381 €; Pack Driver (sistema de estacionamento automático; câmara de visão traseira e protecção nas portas) — 407 €; Pack Driver Plus (sistema de reconhecimento de sinais de trânsito, faróis máximos automáticos, sistema de detecção de obstáculos e controlo automático de velocidade adaptativo (com transmissão automática inclui o sistema Stop&Go e o sistema de aviso de saída de estrada com manutenção na faixa)) — 407 €; Pack Parcial Couro Active (estofos parcialmente em couro Charcoal Black, com pespontos azuis, ajuste eléctrico do banco do condutor em 4 posições, bancos dianteiros aquecidos) — 762 €; Pack Estilo Plus Active (jantes de liga leve 18", vidros escurecidos, Faróis LED adaptativos anti-encandeamento) — 1423 €.
Avaliação
8 / 10
Depois de ter passado cerca de uma semana ao volante da Ford Focus Active SW devo admitir que fiquei com dúvidas acerca das razões que possam levar alguém a abdicar dela em detrimento de um SUV. É que faz o mesmo que estes, é mais económica, mais divertida de conduzir e, em muitos casos, mais espaçosa. Bem construída, bem equipada e com um comportamento dinâmico à altura dos pergaminhos da Ford, a Focus Active SW não só concilia o melhor de dois mundos como nos leva a questionar se não será altura de a moda dos SUV dar lugar à das "carrinhas de calças arregaçadas".
  • Comportamento
  • Consumos
  • Espaço
  • Qualidade
  • Alguma lentidão do sistema de infotainment
  • Desenho interior muito semelhante ao de outros Ford
Sabes responder a esta?
Em que ano foi lançado o Ford Escort RS Cosworth?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

A radical asa traseira (de origem) que o Ford Escort RS Cosworth não teve

Mais artigos em Testes, Ensaio