Apresentação

Conduzimos o Volkswagen ID.3. Mais barato em Portugal do que na Alemanha

O novo Volkswagen ID.3 é o primeiro 100% elétrico dedicado da marca alemã. Já é possível encomendá-lo, já sabemos quanto custa e já o conduzimos.

Em Frankfurt, Alemanha

Apesar dos atrasos por causa do coronavírus — e também das semanas dedicadas à correção de erros de software — o Volkswagen ID.3 está finalmente preparado para iniciar a tão aguardada carreira comercial.

As primeiras entregas em Portugal vão acontecer já em setembro — preços e lista de equipamento no final deste artigo.

Superadas todas estas dificuldades iniciais, a marca alemã espera que a produção do seu primeiro 100% elétrico — apontado como o Golf da Geração E — atinja valores de cinco dígitos ainda este ano. Portanto, as expectativas são elevadas.

Volkswagen ID.3 frente
Será que o Volkswagen ID.3 está à altura da missão? Nós já o conduzimos e neste artigo poderás conhecer as nossas primeiras sensações.

O Volkswagen mais aguardado dos últimos anos

O Volkswagen ID.3 é o cabeça de cartaz da primeira família de modelos 100% elétricos do Grupo Volkswagen.

Baseado na plataforma MEB, que equipará vários modelos do grupo alemão, o Volkswagen ID.3 é o «ponta de lança» que poderá colocar a Volkswagen em posição para combater a Tesla.

VÊ TAMBÉM: Novo Volkswagen Golf 8 (2020). Primeiro contacto em Portugal
Volkswagen ID.3 estático
Volkswagen ID.3. Um modelo que representa um novo caminho na história da Volkswagen.

Porém, como as derivações maiores da plataforma MEB ainda estão para vir — como o crossover ID.4 — para já, o ID.3, aponta mais na direção de modelos como o Nissan Leaf e o Renault Zoe do que aos Tesla Model 3 ou Model Y.

Pelo menos no que diz respeito às dimensões (4,26 m de comprimento) e ao preço de pouco mais 38 mil euros para o 1st Edition, e de pouco mais de 30 mil euros para a versão base que surgirá no próximo ano.

Valores muito interessantes que podem muito bem fixar o ID.3 como a nova referência entre os elétricos até 550 km de autonomia.

Volkswagen ID.3 produção
ID.3 já está em produção
VÊ TAMBÉM: Audi e-tron S Sportback. Mais um motor, mais potência, mais… diversão

ID.3 com performance em bom plano

Para já, a Volkswagen vai disponibilizar o ID.3 apenas com um nível de potência: 204 cv (150kW). No entanto, há vários packs de baterias disponíveis:

45, 58 ou 77 kWh para autonomias entre os 330 e os 550 km.

Com 310 Nm de binário instantâneo, sente-se que o ID.3 tem uma aceleração mais vigorosa do que a maioria dos seus concorrentes, deixando para trás não só o Nissan Leaf mas também o Renault Zoe.

Comparando com modelos com motor de combustão, o ID.3 é capaz inclusivamente de suplantar o icónico Volkswagen Golf GTI nos primeiros metros.

Volkswagen ID.3
Quão poderosa é a aceleração?Digamos que o controlo de tração não tem descanso quando disparamos até aos 60 km/h em cerca de 3,5s.

Uma performance bastante satisfatória que (felizmente!) não se fica pela malha urbana. Durante o nosso primeiro contacto, o ID.3 acelerou de forma muito progressiva até velocidades de autoestrada.

Mas se as acelerações ao nível de um desportivo já não são surpresa para ninguém quando falamos de um 100% elétrico — e os 160 km/h eletronicamente limitados parecem estar a tornar-se no novo “normal” — a travagem do ID.3, porém, parece ser mais convencional do que nos seus rivais.

Volkswagen ID.3
A primeira interpretação da plataforma MEB deixou boas indicações para o futuro.

Se tirarmos o pé do acelerador em modo Normal, rolamos (o que parecem ser) quilómetros em “roda livre” e apenas abrandamos muito lentamente quando acionamos o modo B, no manípulo da transmissão.

Neste particular, o Volkswagen ID.3 está a milhas de distância da condução tipo “um pedal” que é comum noutros elétricos.

Mas isto não significa que o ID.3 não seja eficiente a regenerar a energia das travagens. Na verdade, o 100% elétrico da Volkswagen, é muito competente a converter movimento em energia elétrica.

O sistema trabalha inclusivamente por antecipação. Quando nos aproximamos de um cruzamento, novo limite de velocidade, de uma descida ou de outro veículo, o ID.3 já está antecipadamente preparado para inverter o motor e recuperar alguma energia.

VÊ TAMBÉM: Peugeot e-208 em vídeo. Testámos o leão 100% ELÉTRICO

Mais ágil e leve (aparentemente)

O ID.3 é mais alto e mais pesado do que o seu «irmão» Volkswagen Golf. Mas como centro de gravidade é mais baixo devido ao posicionamento da bateria (na base da plataforma), na realidade o ID.3 sente-se mais leve e mais ágil do que o «todo poderoso» Golf.

Volkswagen ID.3
Em estrada, o Volkswagen ID.3 surpreende pela desenvoltura.

E a suspensão adaptativa (DCC) ainda está para vir, assim como a direção progressiva que altera o seu rácio ao efetuarmos curvas mais apertadas. Mas mesmo com todo este equilíbrio, não é possível prevenir a subviragem quando curvamos de forma mais aplicada.

Dinamicamente, outro fator diferenciador é o diâmetro de viragem. Como não existe um volumoso motor de combustão a ocupar espaço na dianteira e a geometria do eixo dianteiro é distinta, as rodas podem virar mais do que é habitual num automóvel.

Mesmo tendo uma distância entre eixos mais longa, o ID.3 vira como um automóvel mais pequeno — é mais manobrável que o Polo — e em cidade parece-se mais com um go-kart num parque de diversões. Gostava que um MINI ainda fosse assim!

Volkswagen ID.3
VÊ TAMBÉM: MX-30. Quanto custa o primeiro elétrico da Mazda?

Futurista por dentro, mas…

Já alguma vez consideraste o novo Golf demasiado vanguardista? Então o ID.3 vai parecer-te um carro do futuro. Não só por fora mas também por dentro. Apesar de bastante familiar, o aspeto geral é minimalista e bastante luminoso.

Volkswagen ID.3
O ecrã do sistema de info-entretenimento domina a consola central, já o painel de instrumentos destaca-se pelas semelhanças com um tablet.

Novidade é a barra de luz por baixo do para-brisas que usa diferentes cores para “falar” com o condutor/a e passageiro/a como um canal de diálogo adicional. Cintila em branco quando reconhece que alguém está a falar com o sistema, indica direções em azul, comunica alertas em vermelho, e assinala a receção de chamadas a verde.

Volkswagen ID.3
Espaço e tecnologia. Duas qualidades que não faltam no interior do Volkswagen ID.3.

Apesar de gostarmos do “look” do ID.3, não há dúvidas em relação ao materiais. Há poucos revestimentos lisos e macios, e mais plástico cinzento e duro – o ID.3 está abaixo do padrão “generalista-premium” que a Volkswagen nos ofereceu durante anos.

Os plásticos duros e cinzentos como os que há nas portas traseiras, por exemplo, ficam uns furos abaixo do Volkswagen Polo — que em alguns casos pode custar metade.

Volkswagen ID.3
TENS DE VER: Estas são as primeiras imagens do novo Citroën C4

Espaço, a última fronteira…

Como qualquer elétrico dedicado, o ID.3 faz uso das vantagens de um motor pequeno e da bateria montada na base da plataforma.

Com 4,26 m de comprimento é praticamente 2 cm mais curto que um Golf, mas oferece mais 13 cm em distância entre eixos e muito mais espaço para as pernas. Tem o tamanho de um Golf, comporta-se como um Polo e parece-se com um Passat para os passageiros.

Volkswagen ID.3
4 lugares. Na versão do ID.3 com maior autonomia, devido à dimensão das baterias (77 kWh) a lotação passa de 5 lugares para 4 lugares. Ficamos sem o lugar do meio nos bancos traseiros.

Apesar dos benefícios parecerem maiores atrás, também sentimos as diferenças à frente. Sem um túnel central enorme e sem caixa de velocidades entre os bancos, o ID.3 parece mais largo do que na realidade é. E mesmo com o motor montado por baixo da bagageira, a capacidade de carga é equivalente à do Golf: 385 litros para o ID.3 e 380 litros para o Golf.

Talvez seja por isso que a Volkswagen nem sequer tentou encaixar uma “frunk” (termo cunhado para a bagageira dianteira nos Tesla) debaixo do capot e usa esse espaço para, por exemplo, o sistema de ar condicionado.

Capacidade de mala do Volkswagen ID.3
VÊ TAMBÉM: Familiar, desportiva e “poupadinha”? Testámos a híbrida (plug-in) Volkswagen Passat Variant GTE

O Volkswagen ID.3 em Portugal

Já é possível encomendar os Volkswagen ID.3 First que foram pré reservados on-line, estando as entregas das 80 unidades destinadas a Portugal previstas para setembro.

Mais barato em Portugal
Em Portugal, o Volkswagen ID.3 First será cerca de 2000 € mais barato do que na Alemanha.

Os que fizeram pré-reserva online têm duas opções: receber o seu ID.3 já em setembro, esperando pela atualização do software que vai acontecer no início do próximo ano (com as funções Head-up display com realidade aumentada e App Connect); ou aguardar pelo último trimestre de 2020 para receber o ID.3 já com todas as funções disponíveis.

Os preços do ID.3 First (versão especial de lançamento) começam nos 38 017 euros, e todas recorrem ao pack de baterias de 58 kWh:

  • ID3. First : 38 017 €
  • ID3. First Plus: 43 746 €
  • ID.3 First Max : 49 478 €

O que os distingue? O First Plus oferece equipamento mais orientado para o design, enquanto o First Max oferece equipamento mais orientado para a tecnologia.

Assim sendo, o ID.3 First oferece jantes de 18″ East Derry; luz ambiente 10 cores; consola central com compartimento de arrumação; painéis das portas com acabamento em tecido.

Volante Volkswagen

No ID.3 First Plus as jantes são de 19″ Andoya; luz ambiente 30 cores; consola central com compartimento de arrumação iluminado e cobertura deslizante; painéis das portas com acabamento em pele sintética; câmara traseira; LED Matrix; faixa de LED iluminada entre faróis e iluminação de puxadores das portas.

Por fim, no ID.3 First Max as jantes passam a 20″ Sanya; tem head-up display (realidade aumentada); teto panorâmico; compartimento mala de viagens na bagageira; carregamento do smartphone por indução; ajuste lombar pneumático com função de massagem; Travel Assist + Lane Assist + Lane Keeping System + Emergency Assist.

Pedais de acelerador e travão
Pedais com «legendas». Assim é difícil confundir.

Comum a todos eles é a presença do logotipo First no volante e guarda lamas; os pedais com imagem play/pause; ecrã inicial exclusivo; e decoração exclusiva no pilar C. O equipamento estende-se ainda ao ar condicionado bi-zona; controlo de voz; Car2X; volante multifunções aquecido; bancos aquecidos; sistema de navegação Discover Pro (incluindo streaming & internet); sensor de chuva; cruise control adaptativo; e App Connect Wireless (só no final do ano).

Mais tarde deverão surgir as versões normais do ID.3. É esperado que o Volkswagen ID.3 na versão base, em Portugal, seja vendido abaixo dos 35 000€. Valores que ainda são ainda provisórios mas que à partida colocam o novo 100% elétrico alemão muito longe dos 30 000€ que chegaram a ser comunicados.

Primeiras impressões

7 / 10
O «packaging» é excelente, a tecnologia funciona, o comportamento é equilibrado, a autonomia impressiona é, finalmente, o preço é razoável. A partir deste ponto de vista, o ID.3 é um verdadeiro Volkswagen e pode muito bem tornar-se no Golf da era elétrica. Mas por outro lado, é o Volkswagen mais atípico desde há muito tempo. Para o bem, porque é um design fresco e um salto em frente no HMI (interface humano-máquina). Para o mal, devido aos materiais baratos e as funcionalidades do software em falta na primeira fase de lançamento. Sim, a Volkswagen está à caça da Tesla. Mas estes são alguns dos hábitos da Tesla, que não devem ser copiados para chegar ao topo.

  • Autonomia

  • Comportamento

  • Tecnologia

  • Habitabilidade

  • Qualidade de alguns materiais

  • Software com bugs que terão de ser resolvidos

Preço

38.017

Data de comercialização: Setembro 2020


Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto