Desde 46 588 euros

Testámos o Volvo XC40 Recharge PHEV. O melhor de dois mundos?

Dois meses ao volante do Volvo XC40 Recharge PHEV — ou se preferirem híbrido plug-in — transformaram este teste num ensaio de longa duração. Eis o nosso veredicto sobre este SUV sueco.

Não é de hoje. Há muitos anos que a Volvo declarou guerra às emissões. A primeira batalha contra as emissões foi ganha em 1976, com a introdução da sonda Lambda — uma tecnologia hoje presente em todos os motores de combustão sem excepção.

Mais recentemente, em 2017, a Volvo anunciou que iria electrificar toda a sua gama e hoje, em 2020, conhecemos o mais recente capítulo desta saga: o novo Volvo XC40 Recharge PHEV. Um SUV que combina as vantagens de um motor de combustão (ICE) interna com as vantagens de uma motorização elétrica.

O Volvo XC40 Recharge PHEV por fora

Não fosse a porta de carregamento adicional para carregamento das baterias e este seria, do ponto de vista estético, um Volvo XC40 como todos os outros. Um SUV de linhas sofisticadas que transporta para a estrada a simplicidade do design escandinavo.

O OUTRO RECHARGE: Volvo XC40 Recharge. Tudo sobre o SUV sueco 100% elétrico
Volvo XC40 Recharge © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A frente é robusta e a assinatura LED «martelo de Thor» mesmo à noite permite distinguir perfeitamente as origens deste SUV compacto.

Nas laterais destaco os painéis pronunciados junto às cavas das rodas traseiras — para aumentar a percepção de robustez — e na traseira, a interpretação mais jovial das luzes do Volvo XC40 face aos seus irmãos XC60 e XC90.

Volvo XC40 Recharge © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Um SUV que poderá ser o passatempo ideal para quem gosta de brincar nos configuradores das marcas. Há uma ampla gama de cores para a carroçaria, que pode assumir duas tonalidades, acabamentos e jantes.

De resto, neste capitulo, o Volvo XC40 Recharge PHEV está disponível em dois níveis de equipamento: o Inscription (nas imagens) e o R-Design (que assume um visual mais desportivo). Os preços começam nos 46 588 euros para particulares, e nos 35 000 euros para as empresa (se descontarmos o IVA que é 100% dedutível).

São mais de 10 000 euros de diferença para a versão Volvo XC40 T3. Compensa? Já vamos descobrir mais adiante.

VÊ TAMBÉM: S60 T8 passa a S60 Recharge e já tem preço para Portugal

O Volvo XC40 Recharge PHEV por dentro

O bom gosto do design exterior estende-se ao interior. É minimalista, bem construído e com equipado na mesma medida.

Em termos ergonómicos, absolutamente nada a apontar. É fácil encontrar uma posição de condução à nossa medida e os quilómetros sucedem-se sem queixumes, seja das nossas costas ou de dormência nas pernas.

Painel de bordo do XC40 Recharge © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O sistema de infotainment, que recorre a um ecrã vertical tipo «tablet», tem um grafismo simples, porém a sua utilização requer hábito. Há alguma resistência até conseguirmos entender o funcionamento dos submenus.

Voltando a nossa atenção para os lugares traseiros, as cotas de habitabilidade são generosas em todos os sentidos, fazendo deste Volvo XC40 Recharge PHEV um familiar competente. Quanto à bagageira, a volumetria não foi afetada nesta versão PHEV.

Designação Inscription no encosto de cabeça © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
MAIS SUV HÍBRIDOS PLUG-IN: Discovery Sport e Evoque também são híbridos plug-in. E já têm preços

ICE e motor elétrico. Um casamento perfeito?

A unidade motriz deste Volvo XC40 Recharge PHEV é composta por um motor a gasolina de três cilindros e 1.5 litros (com 180 cv) e um motor elétrico (com 82 cv), os dois colocados à frente e responsáveis somente pela motricidade do eixo dianteiro. A potência total combinada é de 262 cv e o binário máximo combinado é de 425 Nm, valores que já permitem prestações bastante interessantes.

Grupo motriz do XC40 PHEV © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O motor elétrico é alimentado por uma bateria com uma capacidade de 10,7 kWh colocada ao centro do carro. O resultado prático são 48 km de autonomia em modo 100% elétrico, o que significa que, caso tenha possibilidade de carregá-lo em casa ou no trabalho, poderá cumprir a maioria das deslocações diárias sem gastar uma gota de combustível.

TENS DE LER: O Honda Jazz estreia um novo tipo de airbag

Para controlar a resposta dos motores, existem vários modos de condução. Um modo mais desportivo onde os dois motores trabalham para maximizar a entrega de potência, um modo híbrido e um modo que força o recurso ao motor elétrico.

Como é na estrada?

Ao longo destes dois meses em que testei o Volvo XC40 Recharge PHEV, tive oportunidade de o testar em vários ambientes de forma sucessiva.

Devido às restrições à circulação de pessoas, no primeiro mês quase todas as deslocações que efetuei foram em ambiente urbano. Se ouvi o motor de combustão a funcionar mais do que três vezes foi muito.

Volvo XC40 Recharge
Identidade individual forte, mas reconhecidamente Volvo. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Os quase 50 km de autonomia em modo 100% elétrico não estão longe da realidade.

A única crítica que posso fazer ao Volvo XC40 Recharge PHEV diz respeito à progressividade do pedal de travão. A transição entre a travagem com recurso à regeneração de energia para as baterias e a travagem com recurso ao sistema hidráulico tradicional podia ser mais discreta. A este sistema não falta potência nem segurança — ou não estivéssemos nós a falar de um Volvo — mas falta-lhe o refinamento que se espera de um SUV premium.

Já em estrada, quando se acaba a energia nas baterias, contem com consumos acima dos 7 l/100 km. Um valor que pode subir para os 8 l/100 km caso queiramos explorar esta unidade T5 Plug-in Hybrid para lá dos limites legais de velocidade.

Teto panorâmico do XC40 Recharge © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Em termos dinâmicos, o Volvo XC40 Recharge PHEV é seguro e previsível. Nota-se o peso adicional do motor elétrico e das baterias, mas não é nada que coloque em causa a postura em estrada do mais pequeno SUV da Volvo.

Como já referi noutros ensaios ao Volvo XC40, este não é o SUV mais interativo ou entusiasmante do segmento em condução mais aplicada, mas dá muito bem conta de si em todas as situações.

HÁ OUTRO HÍBRIDO PLUG-IN made in SUÉCIA: Koenigsegg Gemera ao pormenor. Ainda é mais “de doidos” do que imaginávamos

Compensa comprar esta versão PHEV?

Se a aquisição for feita através de empresa não restam muitas dúvidas. Há uma versão pensada para empresas cujo preço começa nos 35 000 euros. A este valor temos que somar o IVA, mas que é dedutível a 100%, sem esquecer os benefícios fiscais para empresas, como o pagamento de apenas 10% de tributação autónoma e 25% do valor do ISV.

Bagageira do XC40 Recharge com cabo de carregamento
Ao contrário de outros híbridos plug-in, a bagageira mantém a mesma capacidade dos outros XC40. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Se fores particular, tem em consideração que estamos a falar de mais de 10 000 euros de diferença face à versão T3. Um valor que só poderá ser colmatado se fizeres uso constante do modo 100% elétrico.

Nesse aspeto, a Volvo Portugal dá uma ajuda. Quem formalizar a compra do novo Volvo XC40 até 30 de junho recebe a oferta de um ano de eletricidade gratuita. O reembolso da energia consumida é calculada através da aplicação Volvo on Call.

Faz swipe na galeria de imagens do Volvo XC40 Recharge PHEV:

Preço

unidade ensaiada

59.365

Versão base: €51.016

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cil. em linha
    • Capacidade: 1477 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Inj. Direta, Turbo, Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c.; 4 válv./cil.
    • Potência: 262 cv (Motor de combustão: 180 cv às 5800 rpm; Motor elétrico: 82 cv)
    • Binário: 425 Nm (Motor de combustão: 265 Nm entre as 1500 rpm e 3000 rpm; Motor elétrico: 160 Nm)
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática (dupla embraiagem) de 7 vel.
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4425 mm / 1863 mm / 1652 mm
    • Distância entre os eixos: 2702 mm
    • Bagageira: 460-1336 l
    • Jantes / Pneus: 235/50 R19
    • Peso: 1871 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 2,0-2,4 l/100 km
    • Emissões de CO2: 46-55 g/km
    • Vel. máxima: 205 km/h
    • Aceleração: 7,3s
  • Garantias
    • Mecânica: 2 anos ou 60 000 km
  • Equipamento
    • Ar Condicionado automático de 2 zonas
    • CleanZone
    • Fecho centralizado com comando remoto em couro
    • Painel de instrumentos digital de 12,3''
    • Estofos em couro
    • Apoio lombar elétrico de 4 vias
    • Volante em couro
    • Portão da bagageira elétrico
    • Tomada de 12V na bagageira
    • Rails de tejadilho e Molduras das janelas cromados
    • Limitador de velocidade e Cruise control
    • Collision Mitigation Support, frente
    • Lane Keeping Aid
    • Sensores de ajuda ao estacionamento, atrás
    • Hill start assist
    • Sensor de chuva
    • Hill Descent Control
    • 2 conexões USB
    • Sistema de navegação
    • Smartphone integration com USB HUB (iPhone & Android)
Extras
Branco Cristal Inscription – 1371 €; Pack Business pro — 836 €; Pack Intellisafe pro — 1599 €; Pack Light — 935 €; Pack Park assist — 664 €; Pack Seat — 787 €; Pack Xenium — 1538 €; Pack Versatility pro — 590 €; Pneu suplente temporário — 98 €.
Avaliação
8 / 10
Um dos melhores SUV do segmento. Para empresas é a opção mais apetecível, já para os particulares, as excelentes prestações dos motores ICE (tanto Diesel como a gasolina) complicam as contas. Uma coisa é certa: só compensa comprar este Volvo XC40 Recharge PHEV se tiveres onde carregar as baterias no final do dia.

Mais artigos em Testes, Ensaio