Desde 40 290 euros

Testámos o Toyota RAV4, o SUV mais vendido do mundo

Em 2019, o Toyota RAV4 foi "só" o SUV mais vendido no mundo. Para percebermos as razões por trás desse sucesso pusemo-lo à prova na versão 4x2.

Os números de vendas do Toyota RAV4 contam uma história de sucesso. Originalmente lançado em 1994, o SUV nipónico vai já na quinta geração e acumula 10 milhões de unidades vendidas nestes 26 anos.

Com cinco gerações (a última das quais apresentada no ano passado), o RAV4 alcançou em 2019 o título de SUV mais vendido do mundo e o quarto modelo mais vendido no globo.

Mas o que tem o SUV da Toyota de tão especial para se impor num segmento tão concorrido? Fomos descobrir que argumentos reúne, testando-o na sua variante de tração dianteira, mas sempre híbrido.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Honda CR-V Hybrid. Diesel para quê?
Toyota RAV4 © João Delfim Tomé / Razão Automóvel. Edição: © Sofia Teixeira / Razão Automóvel

Esteticamente, admito que o estilo do Toyota RAV4 me agrada. Mais “retilíneo” que muitos dos concorrentes, o modelo japonês conta com um visual robusto e agressivo, afastando-se do visual mais jovial dos seus antepassados.

No interior do Toyota RAV4

Uma vez chegado ao interior do Toyota RAV4 é notório o esforço da Toyota em tornar os habitáculos dos seus modelos menos “cinzentos” — da mesma forma que temos visto no exterior dos seus mais recentes modelos —, esforço esse que, na minha opinião, tem dado bons resultados.

Tal como no Corolla, o visual vai na direção da tendência mais minimalista que parece ser cada vez mais a norma, havendo uma boa conjugação entre os comandos táteis e os velhinhos botões físicos (para bem da ergonomia).

VÊ TAMBÉM: Testámos o SEAT Ateca 1.5 TSI com 150 cv. Faz esquecer o 2.0 TDI?
Toyota RAV4
A bordo do Toyota RAV4 a qualidade encontra-se em bom plano com os materiais a serem agradáveis ao toque. © João Delfim Tomé / Razão Automóvel. Edição: © Sofia Teixeira / Razão Automóvel

No que à qualidade diz respeito, tanto a montagem como os materiais se apresentam em bom plano. Já o sistema de infotainment revela-se intuitivo e fácil de usar (as teclas físicas de atalho são uma mais valia) e só o seu grafismo é que podia ser mais apelativo e contemporâneo.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Kia Sportage 1.6 CRDi. A antiguidade ainda é um posto?

Por fim, deixa-me falar-te acerca de uma das maiores qualidades do RAV4: o espaço habitável.

Graças à plataforma TNGA, o RAV4 transporta desafogadamente quatro adultos e respetiva bagagem, que anuncia generosos 580 litros de capacidade.

VÊ TAMBÉM: Testámos o renovado Hyundai Tucson 1.6 CRDi. Quais os seus novos argumentos?
Toyota RAV4
O tapete de borracha na bagageira é uma mais valia não só na hora de a limpar como para evitar que as bagagens andem a “dançar” nas curvas. © João Delfim Tomé / Razão Automóvel. Edição: © Sofia Teixeira / Razão Automóvel

Ao volante do Toyota RAV4

Não é só ao nível do espaço habitável que as mais valias da TNGA se fazem sentir. Graças à nova plataforma a posição de condução é agora mais baixa e facilmente nos sentamos confortavelmente aos comandos do Toyota RAV4.

VÊ TAMBÉM: Ford Kuga PHEV. É o híbrido plug-in mais barato do segmento e nós já o testámos

Aos comandos do RAV4, e claro, em andamento, a sensação de confiança é grande. Para tal contribui a direção precisa e de peso adequado, complementada pelo comportamento dinâmico, sempre preciso e eficaz.

Capaz de conjugar de forma bastante interessante o conforto e o comportamento, o RAV4 revela-se um bom companheiro de viagem seja em cidade, num encadeado de curvas ou em autoestrada, onde o isolamento acústico impressiona.

VÊ TAMBÉM: Testámos o SEAT Tarraco 1.5 TSI. Faz sentido com motor a gasolina?
Toyota RAV4
No total o RAV4 conta com quatro modos de condução, permitindo até ao condutor optar por circular em modo elétrico (se bem que a autonomia não vá além de 2 km). © João Delfim Tomé / Razão Automóvel. Edição: © Sofia Teixeira / Razão Automóvel

Já no que diz respeito ao sistema híbrido, os seus 212 cv de potência total combinada permitem ao SUV nipónico mover-se com agradável desenvoltura e, quase sempre, de forma bastante suave e até “sossegada”, com o uso do modo “EV”, ou elétrico, a ser fortemente privilegiado.

Esse “sossego” só é interrompido quando decidimos explorar um pouco mais tudo o que o tetra-cilíndrico de 2.5 l (ciclo Atkinson) tem para oferecer. Aí, a ação da transmissão e-CVT sobre o motor acaba por se fazer ouvir mais do que o desejado.

VÊ TAMBÉM: Mais competitivo? Testámos o renovado Niro HEV, o crossover híbrido da Kia

Quanto aos consumos, estes revelaram-se um dos grandes argumentos do Toyota RAV4, andando entre os 5,5 e os 6,5 l/100 km, valores próximos aos apresentados pelo Honda CR-V numa condução idêntica.

É o carro certo para mim?

Depois de ter passado alguns dias ao volante do Toyota RAV4, não é difícil perceber o seu volume de vendas — não é apenas a “febre” SUV que justifica o seu sucesso.

Confortável, versátil, bem equipado, robusto e bem comportado, o SUV nipónico consegue ainda consumos ao nível de um motor Diesel em estrada aberta, juntando-lhes uma invejável suavidade de funcionamento quando rolamos em cidade.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Hyundai Kauai Hybrid. É esta a escolha ideal?
Toyota RAV4 © João Delfim Tomé / Razão Automóvel. Edição: © Sofia Teixeira / Razão Automóvel

Assim sendo, se procuras um SUV bem construído, espaçoso, bem comportado dinamicamente, confortável e económico, mas não és fã de motorizações Diesel ou até procuras dar os teus primeiros passos na era da mobilidade elétrica, o Toyota RAV4 é uma das escolhas a ter em conta.

Nota: Os preços e equipamentos desta unidade em particular correspondem ainda ao modelo de 2019 (data de realização do ensaio), pelo que deverão ter sofrido alterações com a entrada do novo ano.

Preço

unidade ensaiada

46.091

Versão base: €46.091

IUC: €205

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 2487 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: 2 a.c.c., 4 válv. por cilindro
    • Distribuição: Injeção mista direta e indireta
    • Potência: Combinada: 218 cv (motor de combustão — 178 cv às 5700 rpm; motor elétrico — 120 cv)
    • Binário: 221 Nm entre as 3600 e as 5200 rpm (motor de combustão); 202 Nm (motor elétrico)
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: e-CVT (Transmissão Variável Contínua Controlada Eletronicamente)
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4600 mm / 1855 mm / 1685 mm
    • Distância entre os eixos: 2690 mm
    • Bagageira: 580 litros
    • Jantes / Pneus: 225/60 R18
    • Peso: 1750 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,6 l/100 km
    • Emissões de CO2: 128 g/km
    • Vel. máxima: 180 km/h
    • Aceleração: 8,4s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: Pintura: 3 anos; Perfuração por corrosão: 12 anos
    • Mecânica: 7 anos de garantia ou 160 mil quilómetros
  • Equipamento
    • Câmara auxiliar traseira
    • Espelhos retrovisores exteriores aquecidos, elétricos, retráteis e pintados em preto metalizado
    • Faróis com sistema "Follow me home"
    • Faróis dianteiros com autonivelamento
    • Faróis de nevoeiro dianteiros
    • Faróis LED com projetor
    • Jantes em liga leve de 18" pretas com pneus 225/60R18
    • Óticas traseiras LED
    • Tejadilho "Night Sky"
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Alavanca da caixa de velocidades em pele
    • Ar condicionado automático
    • Cruise control adaptativo com função "full stop"/inteligente
    • Espelho retrovisor eletrocromático
    • Limitador de velocidade
    • Porta da bagageira elétrica
    • Saídas de ventilação traseiras
    • Sensor de chuva/luz
    • Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros
    • Sistema Smart Entry & Start
    • Volante em pele
    • Ecrã TFT a cores de 7"
    • Entrada auxiliar USB
    • Toyota Touch 2® com ecrã de 8"
    • Bluetooth
    • Banco do condutor com ajuste elétrico
    • Bancos desportivos em pele artificial
    • Bancos dianteiros aquecidos
    • Bancos traseiros rebatíveis a 60/40
    • Alerta do ângulo morto (BSM)
    • Assistência de condução inteligente (LTA)
    • Aviso de saída de faixa de rodagem
    • Controlo de Assistência nos Arranques em Subida (HAC)
    • Controlo de Estabilidade para Reboques (TSC)
    • Deteção traseira de aproximação de veículos (RCTA)
    • Luzes de máximos com controlo automático
    • Reconhecimento de sinais de trânsito
    • Sistema de pré-colisão com deteção de peões (diurna e noturna) e de ciclistas (diurna)
Avaliação
8 / 10
Não é difícil perceber as razões por detrás do sucesso do Toyota RAV4. A plataforma TNGA permite boas cotas de habitabilidade, um bom nível de conforto e ainda um bom comportamento dinâmico. Já o novo sistema híbrido revela-se eficaz, permitindo alcançar consumos muito competitivos nas mais diversas situações de utilização. Por fim, há ainda que destacar a completa oferta de equipamento. Tudo isto faz com que o RAV4 se apresente como uma das melhores opções a ter em conta num segmento bastante povoado.
  • Oferta de equipamento de série
  • Relação conforto/comportamento
  • Relação prestações/consumos
  • Espaço
  • Sistema de infotainment
  • Transmissão e-CVT
Sabes responder a esta?
Em que ano é que o Toyota Carina E foi eleito Carro do Ano em Portugal?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Toyota Carina E. Vencedor Carro do Ano 1993 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio