Notícias

Já sabemos porque os SUV e Crossover vendem tanto…

Nunca houve tantos SUV e Crossover nas estradas, mas porquê? Achas que é por uma questão de moda? Descobre o porquê do sucesso deste tipo de carro.

De certeza que já te perguntaste do porquê de haverem tantos SUV e Crossover nas estradas, sobretudo nos segmentos B e C (utilitários e pequenos familiares).

Provavelmente associas os elevados números de vendas a questões como moda, ou outras mais pragmáticas — mais espaço para pessoas ou bagagens —, ou até mesmo ao simples facto de a maioria dos condutores ter uma veia de Indiana Jones e gostarem da ideia de ter um carro que lhes permita alguma liberdade fora de estrada.

Pois bem, a resposta à pergunta que te anda a assolar a mente pode deixar-te desiludido. Facilidade em entrar e sair do veículo parece ser o motivo número um para o seu sucesso, justificado por uma população cada vez mais envelhecida, logo com maiores dificuldades de movimento e locomoção.

Skoda Kodiaq

Indo a um extremo, de certeza que é bem mais fácil entrar num Nissan Qashqai ou Dacia Duster do que num Alpine A110. Mesmo quando comparando com carros equivalentes, certamente é mais fácil entrar e sair de um Captur do que de um Clio, ou de um T-Roc relativamente a um Golf.

Imagina que já chegaste à terceira idade e entrar e sair do carro mais parece um treino de crossfit, e nesse caso, um carro onde consigas entrar sem teres de testar os teus dotes de contorcionista certamente irá ajudar.

Não é sexy

Não é o argumento de vendas mais sexy, mas não sou eu quem o diz. De acordo com Keith Knudsen (responsável pelo desenvolvimento das plataformas na Ford), os clientes cada vez mais querem deslizar para o banco quando entram e saem do carro em vez de se terem de deixar cair para o banco para entrar e içarem-se de lá quando querem sair.

O facto de os SUV e dos Crossover terem portas de maiores dimensões — em largura e altura — ajuda também à escolha dos consumidores, que não querem bater com a cabeça ao entrar e sair do seu carro nem ter de se fazer passar por portas minúsculas que mais parecem passagens secretas.

As marcas anunciam os SUV e Crossover compactos como carros joviais, dinâmicos e aventureiros, mas de acordo com muitos na indústria, como refere Larry Smythe (engenheiro na Nissan), parece que a verdadeira razão pela qual vendem tão bem deve-se ao facto de serem “mais fáceis de usar”, tendo melhor acesso e permitirem ver melhor de dentro para fora.

E os MPV?

Os SUV e Crossover não são os primeiros veículos a garantirem este tipo de características, já que os MPV são ainda melhores nos pontos mencionados. Então porque é que vendem cada vez menos, com os SUV e Crossover a ser os principais responsáveis pelo seu declínio?

Podemos insistir nos aspetos pragmáticos dos SUV e Crossover todo o dia, mas regressamos ao argumento do seu aspeto jovial, dinâmico e aventureiro, que os tornam muito mais desejáveis do que qualquer “aborrecido” MPV. Facilidade de uso, sim, mas o forte apelo visual deve ter uma palavra a dizer também.

RELACIONADO: Oito SUV que (surpreendentemente?) foram um flop

Pois bem, aí está o porquê de a maioria das marcas apostar hoje em SUV e Crossover no lugar das berlinas, sedan ou coupés. E apesar de termos de admitir que é uma pena vermos o lugar de carros como os Honda CRX darem lugar aos Honda HR-V, temos de nos lembrar que também não caminhamos para mais novos e provavelmente vai ser bom ter um carro do qual seja fácil entrar e sair.

Fonte: Detroit Free Press

Sabes responder a esta?
Qual o SUV de sete lugares mais rápido no Nürburgring?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Skoda Kodiaq RS chega a Paris com recorde no “inferno verde”

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos