Hotel… para carros?

Na Suíça conhecemos um hotel de luxo para clientes de quatro rodas

O First Carlounge é uma espécie de hotel de luxo para automóveis, ou melhor, para jóias sobre rodas, para que possam pernoitar em segurança e… conforto.

Existem muitos hotéis de luxo na Suíça e por isso até nem estranha que tenha nascido aqui a ideia de criar um lugar para que alguns automóveis “especiais” pudessem pernoitar. Isto porque há cada vez mais milionários, fãs de carros de luxo e clássicos, que não querem misturar as suas jóias sobre rodas com outros veículos “comuns” em estacionamentos sujos ou sobrelotados. O First Carlounge é a resposta para esse tipo de preocupações.

Não deve haver país na Europa onde exista uma maior densidade de automóveis de luxo do que na Suíça, desde exclusivas limusines, desportivos de incontáveis cavalos ou valiosos clássicos.

Não é de admirar, portanto, que os primeiros First Carlounge, dois hotéis de luxo para automóveis-relíquia, tenham sido inaugurados nas verdejantes paisagens montanhosas da Suíça, propondo acomodações muito dignas para que uns quantos afluentes cidadãos possam deixar, com toda a tranquilidade, obras de arte sobre rodas como um McLaren F1, uma edição especial da Ferrari ou clássicos da Aston Martin ou da Porsche.

VÊ TAMBÉM: Sala de estar é a garagem deste McLaren Senna
First Carlounge
Uma pequena amostra do que podemos encontrar nas instalações do First Carlounge em Feusisberg.

O seu (tranquilo) sono é preservado, o que dificilmente aconteceria se os tivessem abandonado num estacionamento comum, escuro, apertado (frio até…), onde o risco de uma reluzente carroçaria sofrer danos, por descuido, é muito alto… ou simplesmente porque a inveja leve alguém a decidir furar um pneu ou abrir um buraco numa capota de lona de um descapotável. Porque sim.

As vantagens do First Carlounge

Por outro lado, para aqueles afortunados que possuem coleções de carros relativamente grandes, muitas vezes não há espaço para os estacionar todos nas suas garagens ou simplesmente o facto de serem donos de várias propriedades — por entre as quais têm que distribuir a sua valiosa frota —, torna mais fácil concentrar todo o espólio num único local.

Outra vantagem do First Carlounge — cuja primeira unidade abriu em Feusisberg, junto ao Lago de Zurique — é que não é procurado por aquele tipo de proprietário de automóvel que, mais do que outra coisa, gosta de se exibir com as suas raridades com motor. E por uma razão muito óbvia: os carros encontram-se tão seguros como num banco suíço, o que significa que o acesso a pessoas que não têm pelo menos um veículo que “pernoite” aqui é estritamente proibido, o que diminui significativamente a audiência para quaisquer comportamentos exibicionistas.

Para ter acesso a este museu “vivo”, cada membro deve ter um cartão com chip e um código individual que é confiado unicamente aos proprietários que são invariavelmente muito discretos e cuja identidade permanece sempre num nível absolutamente confidencial. Assim depois de duas tentativas de perguntar o nome de alguns proprietários famosos destas peças colecionáveis ​​tornou-se claro que seria melhor encontrar um outro tema de conversa…

Só na Suíça…

“Algo assim não poderia existir noutro lugar”, explica Adrian Gattiker, um dos dois sócios suíços desta nova cadeia hoteleira cuja qualidade dos serviços não pode, ao menos de momento, ser avaliada no Trip Advisor.

“Teria que ser forçosamente um lugar especial, onde o culto do automóvel e de tudo o que mexesse com motores fosse muito forte, onde o cheiro da gasolina fosse apreciado quase como um bom vinho,” concordam sorrindo Gattiker e Christian Gell, o seu parceiro de negócio, dois fanáticos por automóveis da mais fina estirpe, também eles proprietários de alguns carros desportivos e clássicos.

Aliás, foi da sua própria necessidade de ter os veículos guardados em segurança e com qualidade que nasceu a ideia de avançar para um projeto tão único como este First Carlounge, conforme os próprios admitem:

“tudo começou com uma conversa filosófica entre dois loucos sobre automóveis que idealizavam um parque de estacionamento de alta qualidade para carros especiais, com espaços amplos, grande limpeza, ar condicionado e a segurança necessária para proteger os veículos de enorme valor”.

First Carlounge
Em primeiro plano, o incontornável Veyron

Mas que também pudesse funcionar como local de culto e ponto de encontro para conhecedores que sempre gostam de admirar outras obras de arte, além das suas, contar e ouvir histórias.

Logo quando entramos somos ofuscados, à nossa direita, pelo brilho impecável de um Ferrari 430 Scuderia e, “descansando” ao seu lado, de um Ferrari California, que também parece ter deixado a fábrica linha de montagem em Maranello meia dúzia de minutos antes. Alguns metros ao lado temos um agressivo Audi R8 com pacote de competição GT3 na distinta companhia de um Maserati Coupé, um Mercedes-AMG GT, um Mercedes 600 Pullman e, para que o continente americano não deixe de estar representado, um par de Corvette, um clássico, outro moderno.

First Carlounge

O segundo First Carlounge

A segunda unidade hoteleira First Carlounge em Emmen (perto de Lucerna) dificilmente poderia ser mais espetacular, a começar pelo cenário onde está montado e a magnífica vista que proporciona, até à arquitetura do edifício, com ar de um muito moderno hangar de aviões. Moderno… e seguro, porque é quando olhamos para os portões e medidas de segurança rígidas que permitem que os clientes estejam totalmente tranquilos sobre estes seus valiosos ativos, mesmo quando dormem a centenas de quilómetros de distância.

“Usei a base dos sistemas de segurança e das fechaduras que são usados nos bancos mais seguros do mundo para que fosse possível assegurar os mais altos níveis de segurança”

Explica Gattiker durante a nossa exclusiva visita e enquanto íamos “passando revista” a uma fileira de modelos históricos, um dos quais é o seu favorito: o mítico Mercedes-Benz 300 SL Gullwing na cor Azul Baviera, estacionado diante de um BMW M1 de corridas e de um Lamborghini Aventador vermelho ao lado de um histórico Miura.

First Carlounge
First Carlounge em Emmen, uma espécie de hangar… para automóveis.

Este edifício foi criado por Heinz Isler, o engenheiro alemão que ganhou fama ao projetar estruturas sem pilares e com sustentação própria, totalmente adequadas para estas garagens para automóveis de exceção. Todos os lugares de estacionamento têm luz natural e um mínimo de 5,4 m de comprimento por 2,9 m de largura, existindo depois quatro áreas VIP (ainda mais VIP) para os clientes que não desejam ter as suas peças de coleção misturadas com outras (há duas áreas VIP com 80 m2 cada e outras duas com 102 m2).

VÊ TAMBÉM: Mercedes-Benz C123. O antecessor do Classe E Coupé faz 40 anos

Nos dois hotéis tudo é muito semelhante na forma como os superdesportivos partilham o espaço com lendas da história do automóvel em amplas e luminosas áreas de estacionamento, sempre imaculadamente limpas e cada qual com a sua tomada elétrica e com saídas de ar condicionado por perto. Essencial para que estes carros clássicos mantenham e aumentem o seu valor de mercado.

First Carlounge
Em Emmen, também há espaço para os modelos de competição: Audi R8, Maserati GranTurismo e Mercedes-AMG GT.

Existe igualmente uma zona “lounge”, junto ao estacionamento interior, onde é possível relaxar com amigos ou familiares, aproveitar a livraria, admirar os carros a uma certa distância ou debater a próxima participação na clássica corrida Mille Miglia, que é onde alguns destes veículos de coleção têm a sua saída anual.

Os mais modernos tendem a viajar mais frequentemente, aproveitando a excelente localização dos dois hotéis: perto de grandes cidades e nas imediações de acessos a autoestradas, mas também a curtas distâncias de estradas ziguezagueantes e com pouco trânsito, ideais para um curto passeio ou para exorcizar demónios ou outras tensões acumuladas no dia-a-dia.

VÊ TAMBÉM: Americano constrói um Lamborghini Countach na cave da sua casa!

Lotação (quase) esgotada

O First Carlounge no Lago de Zurique foi o primeiro a abrir portas, no outono de 2012, e os 100 espaços de estacionamento disponíveis rapidamente foram preenchidos, situação que se repetiu no segundo hotel de Emmen, que abriu em 2016, existindo hoje muito poucas “camas” livres.

E que se deverão esgotar em breve, com o bom tempo da primavera e do verão a poucos meses de distância, que é quando se anima a temporada de automóveis clássicos e desportivos que preferem o asfalto negro ao branco escorregadio, que invariavelmente cobre as estradas na Suíça de novembro a fevereiro, ano após ano.

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos