Plataforma

Esta é a GA-B, a plataforma do futuro Toyota Yaris

Em 2020 conheceremos o novo Toyota Yaris, modelo que estreará a nova plataforma GA-B, a mais recente variante da Toyota New Global Architecture (TNGA).

Por baixo do acrónimo TNGA (Toyota New Global Architecture) encontramos um conjunto de novas plataformas que trouxeram diferenças significativas aos Toyota de dimensão média, afetando positivamente o seu comportamento, conforto e até o seu design (proporções). Com a introdução da GA-B, é de esperar os mesmo benefícios nos seus carros mais pequenos, começando com o novo Toyota Yaris.

Em todos os Toyota que já conduzimos com esta nova arquitetura, existem traços comuns a todos eles, sobretudo ao volante — os canais de comunicação entre o/a condutor/a e a máquina nunca foram tão transparentes e precisos como agora, sem sacrificar o conforto.

A primeira variante a ser conhecida foi a GA-C, que serve de fundação ao Prius (4ª geração), ao CH-R e ao novo Corolla. A segunda, GA-K, serve de base aos modelos maiores da Toyota, nomeadamente o Camry e o RAV4. A GA-B será, assim, a terceira variante da TNGA.

VÊ TAMBÉM: É a vez da Toyota lançar a sua ofensiva elétrica
Toyota TNGA GA-B

O que esperar?

Da mesma forma que observámos nas outras variantes, a GA-B será bastante flexível e modular. Permite extrair dela automóveis com várias distâncias entre eixos, alturas e até largura de vias — é de esperar que, além do novo Yaris, outros modelos recorram a esta nova plataforma. Um incontornável B-SUV também a caminho?

Um dos principais benefícios da GA-B será a superior rigidez estrutural — com benefícios para a segurança e dinâmica —, tal como aconteceu nas outras variantes, resultado de novas técnicas de ligação das várias partes que a compõem.

Toyota TNGA GA-B
GA-B: distância entre eixos e largura de vias são variáveis

A modularidade da GA-B pode ser observada no eixo traseiro, apto a receber vários esquemas de suspensão: semi-rígida (barra de torção) ou independente, com um esquema multilink, dependendo do tipo de veículo ou versão de um modelo.

Também esperem uma melhor posição de condução nos modelos derivados da GA-B, graças a um banco do condutor reposicionado — mais baixo e mais recuado em direção ao centro do carro, beneficiando o centro de gravidade —, e um volante que pode ser colocado mais próximo do/a condutor/a e com ângulo de inclinação otimizado — já estamos a imaginar um novo Yaris GRMN com suspensão XPTO, uma posição de condução decente e o camandro…

Toyota TNGA GA-B
Melhorias ao nível da condução, com reposicionamento do banco e sua relação com o volante, garantindo também um menor centro de gravidade. Altura ao solo é também variável.

Com tudo mais próximo do chão — altura da anca, assim como os pontos rígidos da parte mais alta da carroçaria —, permite também aos designers criar automóveis com melhores proporções e melhor stance, ou seja, com uma superior pose.

VÊ TAMBÉM: A Toyota anda a exibir o concept La Coupe e ninguém sabe do que se trata

Isto significa veículos mais baixos e largos, e ainda a contribuir para as proporções, a GA-B permite distâncias entre eixos longas relativamente ao comprimento total do veículo, apresentando vãos, dianteiro e traseiro, mais curtos — o espaço interior sai também a ganhar.

Toyota TNGA GA-B

Tudo isto a ser comprovado no próximo ano, quando o novo Toyota Yaris se der a conhecer.

Sabes responder a esta?
Qual destes modelos também faz uso da plataforma GA-C da Toyota?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Testámos o Lexus UX 250h. O que vale a resposta nipónica?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos