Desde 31 990 euros

Já conduzimos o novo Renault Zoe. Tudo o queres saber está aqui

Além do motor mais potente e das baterias com maior capacidade, há alguma novidade? Ou é o mesmo Renault Zoe de sempre? Quanto custa? A resposta a estas e outras perguntas neste primeiro contacto.

Em Sardenha, Itália

Olhamos para o Renault Zoe e à primeira vista não ficamos surpreendidos. Parece o mesmo modelo que já conhecemos desde 2012 e que já vendeu mais de 166 000 unidades na Europa — é o elétrico mais representado nas estradas europeias.

Parece o mesmo Zoe de sempre, mas não é. Vamos começar pelo design neste primeiro contacto com a 3ª geração do elétrico gaulês.

Por fora as mudanças foram ligeiras mais impactantes. As linhas suaves que marcam toda a carroçaria são agora interrompidas por uma frente mais afirmativa, com arestas pronunciadas no capot e novos faróis full-LED com a assinatura luminosa em C, agora transversal a toda a gama Renault.

VÊ TAMBÉM: Smart EQ fortwo nightsky edition: um vislumbre do futuro?
novo renault zoe 2020

Por outras palavras: ganhou carácter e perdeu aquela expressão curiosa de quem era novo por estas andanças. Já não é.

Na traseira, a fórmula aplicada não é muito distinta da dianteira. As luzes traseiras com elementos translúcidos meteram os «papéis para a reforma» e deram lugar a novas luzes 100% LED, notoriamente mais bem conseguidas.

VÊ TAMBÉM: Fusão entre a FCA e a Renault? Esqueçam, já não vai acontecer
novo renault zoe 2020

Evolução exterior. Revolução no interior

Se fosse apenas pelas novidades no exterior, diria que é um exagero apelidar esta geração de “novo Renault Zoe”. Felizmente, o caso muda de figura quando abrimos a porta e nos sentamos ao volante.

No interior é praticamente tudo novo.

VÊ TAMBÉM: O que acontece quando misturamos um Twizy e uma 4L? Nasce uma 4L e-Plein Air
novo renault zoe 2020

Agora temos uns bancos dignos dos pergaminhos da Renault. São confortáveis, oferecem apoio. Enfim, tudo aquilo que não podemos dizer dos anteriores que eram apenas… suficientes.

Perante os nossos olhos ergue-se um novo painel, com um sistema de infotainment com 9,3 polegadas herdado do Renault Clio (significa que é bom), e um quadrante 100% digital de 10 polegadas (que significa que é grande…). Dois elementos que dão ao novo Renault Zoe um aspeto mais moderno.

VÊ TAMBÉM: Testámos o novo Renault Clio. Rei morto, rei posto?
novo renault zoe 2020

A qualidade da montagem, os materiais do habitáculo (que resultam da reciclagem de materiais como cintos de segurança, garrafas de plástico e outros materiais que deixariam a Greta Thunberg orgulhosa) e, enfim, a percepção geral está num nível superior.

Já nos bancos traseiros nada mudou: a história é a mesma da anterior geração. Fruto do posicionamento das baterias, qualquer pessoa com mais de 1,74 m tem pouco espaço para a cabeça. Mas se os ocupantes forem mais baixos (ou só atingirem essa altura com saltos altos…) não há nada a temer: nas restantes direções o espaço oferecido pelo Zoe é mais que suficiente.

VÊ TAMBÉM: Levei a minha Renault Mégane II 1.5 dCi com 220 mil km para o Estoril
novo renault zoe 2020

Quanto ao espaço da bagageira, não falta espaço para os organizados que gostam de ter tudo arrumado, como também não falta espaço para os desarrumados que gostam de fazer do carro uma extensão da cave lá de casa. Por outras palavras, chega para todos.

VÊ TAMBÉM: A minha primeira vez no Estoril (e logo ao volante de um Renault Mégane R.S. Trophy)
novo renault zoe 2020
Estamos a falar de 338 litros de capacidade — o mesmo que o Clio, mais litro menos litro.

Novo Renault Zoe com mais autonomia

Desde o lançamento da primeira geração, o Renault Zoe mais que duplicou a sua autonomia. De uns escassos 210 km (ciclo NEDC) passámos para 395 km (ciclo WLTP). Se no primeiro, era preciso ginástica para nos aproximar-mos da autonomia anunciada, no segundo nem por isso.

VÊ TAMBÉM: Opel Corsa “invade” Frankfurt e dá a conhecer todas as suas versões

Agora temos uma generosa bateria de 52kWh fornecida pela LG Chem. No essencial, trata-se da mesma bateria utilizada na segunda geração do Zoe mas com células com maior densidade e eficiência energética.

Com esta nova bateria chegou também o carregamento rápido ao Renault Zoe, que é como quem diz: além de corrente alterna (AC) o Zoe agora também pode receber corrente contínua (DC) até 50kWh, graças a uma nova tomada Type2 escondida no símbolo da dianteira.

VÊ TAMBÉM: Motoristas da Uber com postos de carregamento exclusivos. Fica a saber onde são
novo renault zoe 2020

Feitas as contas, os tempos de carregamento do novo Renault Zoe são os seguintes:

  • Tomada convencional (2,2 kW) – Um dia inteiro para 100% de autonomia;
  • Wallbox (7 kW) – Uma carga completa (100% de autonomia) numa noite;
  • Estação de carregamento (22 kW) – 120 km de autonomia numa hora;
  • Estação de carregamento rápido (até 50 kW) – 150 km em meia hora;

Em conjunto com o novo motor elétrico R135 desenvolvido pela Renault, com 100 kW de potência (o que equivale a 135 cv de potência), o novo ZOE consegue agora uma autonomia de 395 quilómetros de acordo com as normas WLTP.

VÊ TAMBÉM: As 32 novidades eletrificadas do Salão de Frankfurt
renault zoe 2020

Nos cerca de 250 km que percorremos pelas reviradas estradas da Sardenha ficámos convencidos. Numa condução mais relaxada foi fácil alcançar um consumo médio de 12,6 kWh aos 100 km. Já subindo um pouco o ritmo, a média aumentou para os 14,5 kWh aos 100 km. Conclusão? Em condições reais de utilização, a autonomia do novo Renault Zoe deverá situar-se em torno dos 360 km.

VÊ TAMBÉM: Testámos o BMW i3s: agora só em modo elétrico

Sensações ao volante do novo Renault Zoe

O motor elétrico de 90 cv do anterior Zoe meteu os papéis para a reforma. No seu lugar surge agora um motor elétrico de 110 cv que cedeu o lugar de motorização mais potente da gama à versão de 135 cv. Foi esta versão que eu tive oportunidade de conduzir.

As acelerações são vigorosas mas não estonteantes, como tantas vezes associamos aos carros elétricos. Ainda assim o típico 0-100 km/h cumpre-se em menos de 10 segundos. As recuperações é que impressionam mais. Qualquer ultrapassagem é feita em menos de nada graças ao binário instantâneo destes motores.

VÊ TAMBÉM: Hyundai Kauai Hybrid (2020). A melhor versão?
novo renault zoe 2020

Não tivemos oportunidade de testar o Zoe em cidade, nem foi preciso. Tenho a certeza que em ambiente urbano vai sentir-se como um peixe dentro de água.

Já em estrada, a evolução é notória. Lá está… por fora parece o mesmo Zoe de sempre mas a qualidade de condução está noutro patamar. Falo da melhor insonorização, falo do conforto de rolamento em bom nível e falo agora de um comportamento dinâmico mais bem conseguido.

VÊ TAMBÉM: EQV. Os elétricos na Mercedes também vêm em formato MPV

Não é que o Renault Zoe agora seja um devorador ávido de estradas de montanha — que não é, de todo… — mas agora tem reações mais naturais quando puxamos um pouco mais pelo conjunto. Não entusiasma mas também não perde a postura e oferece a confiança que necessitamos. Pedir mais que isto num utilitário elétrico de segmento B seria um exagero.

VÊ TAMBÉM: Aqui está ele! Tudo o que precisas de saber sobre o novo Renault Captur

Preço do Zoe 2020 em Portugal

A chegada ao mercado nacional do novo Renault ZOE está prevista para novembro. A maior novidade é que apesar ganhar em todos os aspetos face ao seu antecessor, ainda assim ficou mais barato cerca de 1.200 euros.

Ainda não há preços finais, mas a marca aponta 23 690 euros (versão base) para a versão em modalidade de renting das baterias (que deverão custar cerca de 85 euros por mês) ou 31 990 euros caso decidam adquirir as mesmas.

VÊ TAMBÉM: Já conduzimos o novo Peugeot 2008. Como subir de estatuto
renault zoe 2020

Nesta primeira fase, também vai estar disponível uma edição especial de lançamento, a Edition One, que inclui uma lista de equipamento mais completa e alguns elementos exclusivos.

Com este nível de preços o Renault Zoe vai entrar em contenda direta com Volkswagen ID.3, que também custa cerca de 30 000 euros na versão base. Ao maior espaço interior do modelo alemão — que já tivemos oportunidade de conhecer aqui — o Zoe responde com uma autonomia superior. Qual é que vai ganhar? Que comecem os jogos!

Primeiras impressões

7 / 10
Apesar de não parecer, o Renault Zoe mudou imenso. Depois de o conduzir deixei de achar que a expressão "novo Zoe" é exagerada. Mudou naquilo que tinha de mudar e é um produto mais válido do que nunca. Mais autonomia, mais conforto, mais tecnologia. Enfim, aquilo que se exige de um utilitário neste segmento. Não é por acaso que é o elétrico mais vendido da Europa. Vamos ver como fica este particular após a chegada do tão aguardado Volkswagen ID.3, mas parafraseando um dos responsáveis da Renault, até agora ainda não vimos nada.

  • Autonomia

  • Facilidade de condução

  • Tecnologia a bordo

  • Preço final com baterias

  • Visual exterior demasiado colado ao antecessor

Preço

31.990

Sabes responder a esta?
Qual é a potência do Ford Focus ST 2.3 Ecoboost?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Conduzimos o novo Ford Focus ST 2.3 Ecoboost. Trabalho de artesãos

Mais artigos em Testes, Primeiro Contacto

Os mais vistos