Desporto Motorizado

Alpine A110 de regresso aos ralis, mas…

… não esperem que venha a disputar a coroa do WRC. O novo Alpine A110 Rally terá como destino os privados e a categoria R-GT.

O compacto e leve desportivo francês já se tinha dado a conhecer em versões de competição para os circuitos, nomeadamente, o  A110 Cup e A110 GT4. Agora chegou a altura de atacar os troços de rali, com o novo Alpine A110 Rally.

Não esperem, no entanto, que vejamos o Alpine A110 Rally enfrentar os monstros de WRC, os (relativamente) compactos Yaris, i20 ou C3, para tentar replicar o título mundial conseguido pelo homónimo Alpine em 1973 — foi o primeiro a conquistar o campeonato mundial de ralis —, e duas vezes vencedor do Rally de Portugal.

O A110 Rally competirá na categoria R-GT, destinada aos GT — regra geral, desportivos concebidos de raíz, com carroçaria fechada ou aberta, e mesmo que tenham quatro rodas motrizes, a versão para competição só pode ter duas rodas motrizes.

VÊ TAMBÉM: A110 é soft? O Alpine A110S dá-te mais cavalos e um chassis mais focado

Atualmente, podemos afirmar que os R-GT são uma banda musical de um membro só, o Abarth 124 R-GT, que tem conquistado tudo o que há para conquistar. A única resistência é dada por alguns Porsche 911 GT3 Cup (996, 997), convertidos por privados para esta categoria.

Houve outras máquinas já apresentadas que, ou nunca passaram do estatuto de protótipo, como um oficial Porsche Cayman; e que tão depressa apareceram como desapareceram, como o Lotus Exige R-GT — só o Abarth permanece ativo, e com muito bom suporte oficial.

Alpine A110 Rally 2020

A introdução do Alpine A110 Rally dará um novo ânimo a esta categoria e, esperemos, um verdadeiro rival para o Abarth 124 R-GT.

A NÃO PERDER: Teste ao Alpine A110 Première Edition. MAS QUE CHASSIS!

O Alpine A110 Rally

Partindo dos outros A110 de competição, o novo A110 Rally recebeu uma nova suspensão ajustável em três direções, um novo sistema de travagem da Brembo e os equipamentos de segurança regulamentares como uma roll cage e sistema de arnês de seis pontos.

Mecanicamente, o Alpine A110 Rally conta com o mesmo 1.8 Turbo do carro de série, mas aqui a debitar 300 cv — números que coincidem, tanto em capacidade como potência, com os do Abarth 124 R-GT, cujo motor deriva do Alfa Romeo 4C. A caixa passa a ser do tipo sequencial, com seis velocidades (volante inclui patilhas), e contará ainda com um diferencial autoblocante.

O desenvolvimento esteve a cargo da Signatech, parceira da Alpine não só neste projeto, como também nos outros A110 de competição, o Cup e o GT4, além dos esforços do construtor no WEC. Como piloto de testes, a Alpine contou sobretudo com os préstimos de Emmanuel Guigou (múltiplo campeão francês de ralis 2WD) e Laurent Pellier (campeão júnior francês 2015).

A homologação da FIA ainda está pendente, mas de acordo com a Alpine, deverá estar concluída nas próximas semanas, com as primeiras entregas a acontecerem já no início da próximo ano. O preço base será cerca de 150 mil euros, sem opções (estas incluem aquisição de dados e… a característica cor azul da Alpine, presente no carro de série).

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos