Road trip

De Lisboa ao Algarve no Alfa Romeo 4C Spider

O Alfa Romeo 4C Spider não é perfeito. Nesta viagem de 800 km ensinou-me que nem sequer precisa de o ser. Está acima disso. Está acima dos carros mundanos. Há carros que são mais do que isso…

A última vez que testei um Alfa Romeo gostei da experiência. Alias, gostei imenso da experiência. Todavia, não me coibi de tecer-lhe as devidas críticas e, adivinhem… fui criticado por isso.

Algo que é relativamente comum quando o nosso objeto de análise é um carro de culto. O Alfa Romeo 4C Spider é — ou será dentro em breve — um carro de culto.

Fiquei chateado pelas críticas? Nem por isso. Ainda assim, as críticas foram tão cerradas que ponderei: será que sou eu que estou equivocado?

Será que a direção não é tão exigente como disse? Será que o eixo dianteiro trabalha melhor do que me pareceu? Será que o conforto não é tão precário como senti? Será que foi da chuva? Será que foi do tempo?

Será que foi de mim?

Alfa Romeo 4C Spider Itália https://www.instagram.com/guilherme_fcosta/

Fiz as malas e fiz-me à estrada no Alfa Romeo 4C Spider

Tinha de acabar com as dúvidas. Desta vez não havia desculpas. Em vez de inverno, apanhei verão. Em vez de chuva e frio, apanhei sol e calor.

Alfa Romeo 4C Spider Itália © Raul Mártires / Razão Automóvel
Últimos quilómetros dentro de Lisboa rumo ao Algarve.

Ainda para mais, há dias em que a estrada chama por nós. E nos dias em que temos carros especiais na garagem da Razão Automóvel, não costumo ignorar esse chamamento.

Ignorei, isso sim, as chaves do BMW M2 Competition que tínhamos na redação e decidi agarrar com convicção as chaves do Alfa Romeo 4C Spider — aqui na versão Itália, ainda mais exclusiva e limitada.

VÊ TAMBÉM: E tu, também conduzes para descomprimir?

Fiz as malas e apontei a belíssima frente do 4C em direção ao Algarve. Trajeto? O mais possível por estradas nacionais.

Primeira paragem para abastecimento. Foram poucas, porque os consumos do Alfa Romeo 4C Spider em ritmo calmo não excede a casa dos 7l/100 km.

Estava errado. Sim ou não?

Vou poupar-vos e dar já a resposta. Não estava errado. A direção do Alfa Romeo 4C não é exemplar e é facilmente perturbada pelas depressões da estrada.

VÊ TAMBÉM: Teste ao Alpine A110 Première Edition. MAS QUE CHASSIS!
Já no Alentejo. Estradas desertas, e muitas curvas… obrigado Portugal.

O Alfa Romeo 4C também não é um epíteto do conforto. A capota em lona desta versão Spider tem um comportamento acústico débil e os bancos oferecem pouco apoio e ainda menos conforto.

Dirão os mais aficionados que o conforto pouco importa num carro desta natureza. Eu diria que importa menos, mas importa sempre.

Espaços de arrumação? Não há. Conforto? Bem… tenho 33 anos. Aguento bem.

Mas foi épico

Tenho de dar a mão à palmatória. Percebo muito bem porque é que o Alfa Romeo 4C é um carro de culto. Além de ser um Alfa Romeo — com tudo o que isso significa — é lindo de morrer.

Uma das partes mais interessantes de uma road trip? As paisagens.

É uma espécie de supercarro à escala. Tração traseira, motor central, monocoque em carbono… enfim, grita Itália!

Quanto ao motor, apesar de ter uma arquitetura pouco nobre — apenas quatro cilindros — tem um carácter e um som fabuloso. Quanto à resposta? Fenomenal! Cheia desde baixa rotação e com um final alegre.

Foi num ápice que Lisboa passou a ser uma memória distante.

O baixo peso do conjunto — pouco mais de uma tonelada — em conjunto com os 240 cv do motor 1,75 l turbo fazem milagres. Tudo isto acompanhado por uma sinfonia completíssima, providenciada pelos silvos do turbo e pelo som do escape da Akrapovič.

O som emanado por estas ponteiras é mágico.

A força da paixão

Há automóveis que não precisam de ser perfeitos. A história está cheia de romances imperfeitos. Pedro e Inês, Romeu e Julieta, Timon e Pumba… Guilherme Costa e Alfa Romeo 4C.

Uma relação complicada que tinha muito a ganhar com uma visita à Pogea Racing. Uma espécie de terapia de casal para quem tem um 4C na garagem.

As portagens. Nem sempre foi possível escapar às autoestradas.

Mesmo com todos os seus defeitos, após mais de 800 km de uma viagem que me levou até ao Algarve chego à conclusão que o maior defeito do Alfa Romeo 4C é mesmo não morar na minha garagem.

Espero encontrar-me contigo brevemente para mais uma escaramuça de 800 km.

Até um dia companheiro.

Mais artigos em Crónicas

Os mais vistos