Apresentação

Revelado. Tudo o que precisas de saber sobre o novo BMW Série 1

Mais largo, mais alto, mas mais curto e leve, aqui está o novo BMW Série 1, o primeiro a apresentar-se com tração dianteira na história do modelo.

Depois de duas gerações e mais de 1,3 milhões de unidades vendidas na Europa, o BMW Série 1 conheceu a maior das suas transformações. Até agora o compacto alemão mantinha-se “orgulhosamente só” como o único tração traseira do segmento C — não mais. Com a terceira geração isso deixou de ser uma realidade.

Motivada pelas economias de escala com os outros “tudo-à-frente” da BMW (Série 2 Active Tourer, X1 e X2), a BMW seguiu o exemplo da Audi e Mercedes-Benz e retirou ao Série 1 aquele que era o seu principal fator diferenciador, não só poupando dinheiro como conseguindo ganhos ao nível da habitabilidade e aproveitamento de espaço.

Face à anterior geração, o Série 1 ficou mais leve (-30 kg), mais curto (-5 mm), mais largo (+34 mm), mais alto (+13 mm) e viu a distância entre eixos regredir 20 mm tendo sido desenvolvido com base na mais recente evolução da plataforma FAAR.

VÊ TAMBÉM: #10yearchallenge. 10 anos, 10 carros, compara as diferenças
BMW Série 1

Nova plataforma trouxe mais espaço

Relativamente ao aspeto, as maiores diferenças revelam-se nas proporções: desapareceu o longo capot (o motor em posição transversal não necessita de tanto espaço) e o habitáculo em posição recuada. O duplo rim cresceu em dimensões, como se está a tornar norma na marca. De resto o Série 1 viu o seu visual aproximar-se da restante gama BMW, principalmente no formato das óticas dianteiras e traseiras.

O recurso à FAAR libertou 33 mm de espaço para as pernas e 19 mm de espaço em altura na segunda fila de bancos, trouxe melhorias ao nível do acesso à bagageira e fê-la ainda aumentar em 20 l a sua capacidade (passou para os 380 l). De fora da terceira geração do Série 1 ficou a versão de três portas, uma tendência que tem marcado a indústria.

Ainda no interior, destaque para a chegada de um teto panorâmico elétrico, de um carregador sem fios para smartphone sem fios, a versão 7.0 do BMW Operating System e dos seus dois ecrãs de 10,25” para o painel de instrumentos e sistema de infotainment e para a possibilidade de contar com um head-up display com 9,2”.

VÊ TAMBÉM: A BMW quer conseguir encher um copo… pelo fundo
BMW Série 1
Muitos dos comandos foram herdados do Série 3.

Quatro níveis de equipamento e uma versão topo de gama

O novo BMW Série 1 vai estar disponível em quatro níveis de equipamento. A oferta inicia-se no nível Advantage, seguindo-se a Luxury Line (que aposta numa vertente mais confortável e luxuosa com aplicações em alumínio e bancos em pele) a Sport Line (com bancos desportivos e detalhes a preto).

VÊ TAMBÉM: Que curioso segredo esconde o novo BMW M850i xDrive?

Já a versão M Sport vai buscar inspiração ao universo da divisão M Performance com detalhes em alumínio, avental dianteiro com entradas de ar com desenho específico e avental traseiro BMW M em preto. Já no topo da gama Série 1 surge o M135i, que entre vários pormenores conta com uma grelha específica, saídas de escape desportivas e um spoiler.

VÊ TAMBÉM: Nissan Leaf Nismo RC: um elétrico em modo «hardcore»

Segurança em alta

Nesta nova geração, o Série 1 recebeu uma série de tecnologias e sistemas de segurança e ajuda à condução herdados dos seus “irmãos mais velhos” como o sistema ARB proveniente do i3s que monitoriza a derrapagem das rodas e funciona em conjunto com o DSC.

Também a travagem foi melhorada e está ainda disponível a suspensão M Sport com menos 10 mm de altura ao solo ou a suspensão adaptativa VDC (conta com dois níveis de amortecimento, Comfort e Sport).

VÊ TAMBÉM: Já sabemos o porquê do entalhe nos faróis do novo BMW Série 3
BMW Série 1

Três motores Diesel e dois a gasolina

Inicialmente o Série 1 vai estar disponível com cinco motorizações: três Diesel e duas a gasolina. Equipado apenas com motores de três e quatro cilindros, o Série 1 despediu-se dos seis cilindros em linha que o acompanhavam desde a primeira geração.

Versão Cilindrada Potência Binário Consumo* Emissões*
118i 1.5 l 140 cv 220 Nm 5,0 a 5,7 l/100 km 114 a 129 g/km
M135i 2.0 l 306 cv 450 Nm 6,8 a 7,1 l/100 km 155 a 162 g/km
116d 1.5 l 116 cv 270 Nm 3,8 a 4,2 l/100 km 100 a 110 g/km
118d 2.0 l 150 cv 350 Nm 4,1 a 4,4 l/100 km 108 a 116 g/km
120d xDrive 2.0 l 190 cv 400 Nm 4,5 a 4,7 l/100 km 117 a 124 g/km

*valores WLTP convertidos a NEDC

O Série 1 vai ainda contar com duas versões de tração integral (a M135i xDrive e a 120d xDrive). Quanto à transmissão, os 116d, 118d e 118i surgem de série com caixa manual de seis velocidades sendo que os 118d e 118i podem contar (como opção com a caixa de dupla embraiagem de sete velocidades Steptronic).

VÊ TAMBÉM: “Apanhámos” o novo BMW M8 em testes no Nürburgring
BMW Série 1

Já a caixa automática de oito velocidades Steptronic está disponível de série no 120d xDrive (como opcional no 118d). Quanto ao M135i xDrive, este conta com a caixa automática de oito velocidades Steptronic Sport e diferencial autoblocante Torsen de série, tudo para que atinja os 100 km/h em apenas 4,8s (4,7 com o pack M Performance).

Com apresentação ao público marcada para o evento #NEXTGen do Grupo BMW entre 25 e 27 de junho, o novo Série 1 tem lançamento mundial previsto para 28 de setembro.

Sabes responder a esta?
Qual é a cilindrada do BMW X5 M50d?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

BMW X5 M50d. O «monstro» dos quatro turbos

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos