Mercado

É o adeus do Ford C-Max e Grand C-Max?

O sucesso dos SUV é a principal causa para o desaparecimento dos MPV. Agora as mais recentes vítimas podes vir a ser o Ford C-Max e Grand C-Max.

A Ford declarou que entrou em negociações com o sindicato dos trabalhadores da fábrica de Saarlouis, na Alemanha, devido a possíveis despedimentos. Tudo porque existe a forte possibilidade de os Ford C-Max e Grand C-Max, que ali são produzidos, virem a ser descontinuados.

Apesar de a Ford ainda não ter anunciado uma decisão final, a Automotive News Europe refere que a marca norte-americana afirmou num comunicado que “manter o veículo (Ford C-Max) de acordo com as normas anti-poluição ia requerer um investimento muito elevado para este modelo”.

Outro dos fatores que poderão estar na base da decisão de fazer desaparecer o Ford C-Max e Grand C-Max são a forte concorrência dos SUV e a quebra de vendas do segmento dos monovolumes.

RELACIONADO: Já sabemos porque os SUV e Crossover vendem tanto…
Ford Grand C-Max
Nem mesmo a versatilidade dos monovolumes tem conseguido cativar o público.

Como que a provar o argumento, a Ford anunciou hoje um recorde absoluto de vendas para os seus SUV na Europa em 2018, apesar de o ano ainda não ter terminado. Até ao final de novembro deste ano, as vendas dos SUV Ecosport, Kuga e Edge, subiram 21% relativamente ao período homólogo de 2017, ao que corresponde mais de 259 mil unidades vendidas.

Basicamente, mais de um em cada cinco Ford vendidos no Velho Continente são SUV, tendência que crescerá durante o próximo ano.

Monovolumes continuam em queda

O possível desaparecimento do Ford C-Max virá confirmar a vontade da Ford de repensar a oferta da marca no mercado europeu. Aliás, a quebra de vendas dos monovolumes já causou vítimas na gama da Ford, com o B-Max a ver o seu lugar ser ocupado pelo Ecosport.

O sucesso crescente dos SUV têm afetado as vendas de praticamente todas as restantes tipologias, mas os MPV ou monovolumes, sobretudo os de tamanho compacto e médio, têm sido os mais afetados.

Um dos sub-segmentos onde esta mudança mais se tem feito sentir foi o dos monovolumes derivados do segmento B. Assim, modelos como o Opel Meriva, Citroën C3 Picasso, Hyundai ix20 e Kia Venga deram lugar, respetivamente ao Opel Crossland X, Citroën C3 Aircross, Hyundai Kauai e Kia Stonic. Um dos poucos resistentes deste segmento é o Fiat 500L.

Fontes: Automotive News Europe

Sabes responder a esta?
Qual é a cilindrada do Ford Fiesta ST?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

A fundo no Ford Fiesta ST pelas estradas de Monte Carlo

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos