Só mesmo a Bugatti para testar o Chiron dos 0 aos 400 km/h… e novamente aos zero!

17/02/2017
14.516 views
Share Button

Tudo no Bugatti Chiron é hiper, até os testes para averiguar as suas prestações. Acelerar dos 0-400 km/h e regressar aos «zero» km/h é mesmo só para automóveis da estirpe do Chiron.

De todos os números avançados para o potencial de performance do Bugatti Chiron, ninguém se lembrou de perguntar qual seria o tempo que o Chiron demoraria em ir dos zero aos 400 km/h e regressar aos zero. É tão absurdo que só faz sentido no universo paralelo onde habitam modelos como o Bugatti Chiron.

Mas foi mesmo essa pergunta à qual Dan Prosser, da EVO, obteve uma resposta:

Menos de 60 segundos, nem sequer um minutinho, para o Bugatti Chiron acelerar até aos 400 km/h (402 km/h para sermos precisos) e voltar a parar novamente! Será credível?

Como devem imaginar, não é o tipo de teste que encontremos facilmente. No entanto podemos basear-nos em testes similares que nos possam dar indícios para essa possibilidade. Por exemplo, o Ford GT, alterado pela Heffner, e com mais de 1100 cv, fez dos zero aos 322 km/h (200 mph) e novamente aos zero em 26,5 segundos. A Koenigsegg, conseguiu 24,96 segundos na mesma medição, fruto dos mais de 1150 cv do Agera R.

O Bugatti Chiron acrescenta 350-400 cv aos valores debitados por estas super máquinas, e com tracção às quatro rodas, deverá ter menos dificuldade em colocar, inicialmente, os 1500 cv no chão. O valor avançado para os 0-400-0 km/h ganha credibilidade. Certamente será verificado mal haja oportunidade.

A NÃO PERDER: Especial. As grandes novidades do Salão de Genebra 2017

E não se trata apenas da potência do W16 quad-turbo. Quão potentes têm de ser os travões do Chiron para imobilizarem um objecto de duas toneladas que se desloca a 400 km/h sem se desintegrarem? A resposta é: muito potentes.

Os números já conhecidos do Chiron

O Bugatti Chiron é o sucessor do recordista Veyron e define na perfeição o termo hypercar (ou hipercarro na língua de Camões). Os 1500 cv e 1600 Nm de binário são gerados por um 16 cilindros em W, quatro turbos e cerca de oito litros de capacidade. A transmissão é efectuada através de uma caixa de dupla embraiagem com sete velocidades, às quatro rodas.

A capacidade de aceleração é superlativa. Apenas 2.5 segundos dos zero aos 100 km/h, 6.5 até aos 200 e 13.6 até aos 300. A velocidade máxima é limitada a uns “frustrantes” 420 km/h! Uma necessidade, pois, aparentemente, os pneus não duram muito tempo à velocidade máxima, que sem o limitador, seria de 458 km/h.

A Bugatti pretende realizar novamente uma tentativa para bater o recorde mundial de velocidade máxima em 2018, na pista de Ehra-Lessien. Uma boa oportunidade para confirmar esta declaração de menos de 60 segundos dos 0-400-0 km/h!

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

O encanto pelos automóveis empurraram-o para o mundo do design, com a enebriante possibilidade de poder vir a criar estas «criaturas» rolantes . Quando lhe colocaram um volante nas mãos, Fernando Gomes apercebeu-se ainda mais da complexa relação entre o homem e a máquina. Está definitivamente «agarrado»...