Opinião: Há coisas que a televisão não transmite…

Tirar o rabo do sofá e ir ver uma prova ao vivo vale a pena. Uma vez por outra vale mesmo a pena. O sofá não leva a mal e os nossos sentidos agradecem. Há coisas que a televisão não transmite.

Um dos grandes privilégios que a Razão Automóvel me proporciona é, sempre que a agenda permite, assistir ao vivo a algumas provas desportivas. Tem sido assim com o Rally de Portugal e mais recentemente com a minha deslocação a Spa-Francorchamp para assistir à 2ª prova do Campeonato do Mundo de Resistência, entre outros.

Sabe bem largar o computador, a sala fechada (com o chato do Diogo Teixeira), os ensaios, os press releases e as reuniões que marcam muitos dos meus dias, e meter os pés ao caminho para ir aos locais onde a acção acontece. Há coisas que a televisão não consegue transmitir, é preciso ir ao local. No desporto motorizado é assim.

Por muito que a cobertura televisiva tenha melhorado nos últimos anos nada bate o troar dos motores live – em Spa, parecia que os pistões me batiam nos tímpanos – nem a sensação de velocidade que só o olho humano é capaz de captar, a atmosfera de competição, os cheiros…

Depois, para além de tudo o que acontece em pista, há uma multiplicidade de coisas a acontecer à nossa volta. Os carolas que sabem tudo, os fotógrafos a registar todos os momentos, os tiffosi vestidos dos pés à cabeça com as cores das marcas. A malta dos automóveis é um bocado estranha. Gosto disso, para a normalidade já nos chega o quotidiano. Em Spa-Francorchamp só faltam as pit-babes…

No fundo, é um pouco como o futebol. Ninguém vai para o trabalho com a camisola do Sport Lisboa e Benfica vestida, mas no «dia da bola» vale tudo! Até mascarar a cara com tinta vermelha e branca… – by the way, eu sou do Futebol Clube do Porto.

WEC 6h Spa 2015-155

Mas ver corridas ao vivo também tem um lado negativo. Metade do tempo não fazia ideia do que se estava a passar em pista (as posições, os tempos, as desistências), mas é o preço a pagar por uma sopa de sensações capazes da arrepiar a pele. O ideal é ver uma corrida ao vivo e as restantes ver pela televisão. A excepção à regra.

E já que falamos de ir ver corridas, este fim-de-semana não faltam motivos para ir até ao Circuito do Estoril: Internacional GT Open; Seat Leon Eurocup; Campeonato Nacional de Clássicos; Legend Classic Cup. Encontramo-nos lá? Se forem, avisem…

WEC 6h Spa 2015-78

Não deixe de nos seguir no Facebook e Instagram

Pub