Primeiro Contacto O melhor de sempre? Novo Honda Civic Type R (FL5) na estrada e no Estoril

Vídeos RA

O melhor de sempre? Novo Honda Civic Type R (FL5) na estrada e no Estoril

O novo Honda Civic Type R era um dos carros mais esperados dos últimos meses e não desiludiu. Mas será que é o melhor de sempre?

Honda Civic Type R e Miguel Dias na reta da meta do Estoril

É impossível olhar para o novo Honda Civic Type R (FL5) e não pensar em despedidas. É que este será, quase de certeza, o último Civic Type R. Pelo menos como o conhecemos, livre de qualquer «ajuda» elétrica.

Por isso mesmo, a Honda passou os últimos quatro anos a trabalhar na nova geração do modelo, para que a despedida fosse digna da sigla Type R, que cumpre 25 anos, na mesma altura em que o Civic festeja o 50.º aniversário.

Não faltavam, por isso, motivos de celebração à marca nipónica, que escolheu o «nosso» circuito do Estoril para a apresentação internacional dinâmica do novo Civic Type R. E nós não faltámos à chamada:

A NÃO PERDER: 1990 Nissan Pulsar GTI-R leilões JDM 1

O que mudou face ao antigo FK8?

Com uma imagem mais madura e menos dramática, o Honda Civic Type R promete não ser tão polarizador quanto o seu antecessor, o FK8. E isso até podia antecipar uma atitude também ela mais branda. Mas não. Longe disso.

Na sua essência, a fórmula é exatamente a mesma que já conhecíamos da geração anterior. Mas a execução consegue ser ainda melhor e isso traduz-se na estrada e, essencialmente, na pista.

Honda Civic Type R na estrada, traseira
Curvas: a dieta recomendada para o Civic Type R.

O motor, por exemplo, é uma evolução do quatro cilindros turbo de 2,0 litros (K20C1) do Civic Type R anterior, mas aqui apresenta-se com a maior potência de sempre: 329 cv, que são alcançados às 6500 rpm.

LEIAM TAMBÉM: Elétricos com caixa manual «falsa»? Honda é contra

Isto faz com que este seja um dos modelos com maior potência específica da sua classe: 164,8 cv/l. Quanto ao binário máximo, está fixado nos 420 Nm e mostra-se entre as 2200 rpm e as 4000 rpm.

2023 Honda Civic Type R na estrada, frente 3/4

Para conseguir um ganho de 9 cv e 20 Nm face ao Civic Type R anterior, a Honda começou por rever o turbo, que é mais compacto e tem uma turbina redesenhada, e deu-lhe um sistema de escape totalmente revisto.

Os ganhos no motor traduzem-se numa velocidade máxima de 275 km/h e um sprint dos 0 aos 100 km/h de 5,4s — respetivamente 3 km/h e três décimas mais rápido do que o FK8. Pode não parecer muito, mas na estrada (ou na pista) a evolução é óbvia.

Honda Civic Type R no circuito do Estoril. frente
Excecional na estrada… e no circuito.

Não é barato… mas já esgotou

Se ainda não viram o vídeo peço já desculpa por vos estragar a surpresa, mas a verdade é que acho mesmo que este é o melhor Honda Civic Type R de sempre.

O antecessor, o FK8 — que testei a meias com o Guilherme Costa —, já era muito bom, mas este consegue ser ainda melhor. Porém, esta evolução vem com um preço. É que se o antigo rondava os 52 000 euros, o novo Civic Type R começa nos 69 500 euros.

A NÃO PERDER: Blasfémia? “Muscle car” da Dodge com motor do Honda S2000

É uma subida significativa, disso ninguém tem dúvidas, mas a verdade é que não teve, para já, qualquer impacto negativo nas vendas do modelo no nosso país. As 10 unidades alocadas a Portugal esgotaram em apenas 72 horas e a Honda continua a somar interessados.

O melhor de sempre? Novo Honda Civic Type R (FL5) na estrada e no Estoril

Primeiras impressões

9/10
Não é barato, longe disso, e entra numa gama de preços onde há muitas e boas opções, novas e usadas (mas deixemos isso para outro artigo…). Mas uma coisa é certa: este é o melhor hot hatch que podem comprar atualmente. O comportamento dinâmico é excelente, o motor é valente e a caixa manual é uma obra de arte. E tudo num «pacote» que já não grita: "olhem para mim, sou um adolescente rebelde".

Prós

  • Caixa manual
  • Performances
  • Eficácia em pista

Contras

  • Preço
  • Está cada vez maior…
Sabe esta reposta?
Em que ano foi lançado o Honda S2000?
Oops, não acertou!

Pode encontrar a resposta aqui:

Já passaram mais de 20 anos, mas o Honda S2000 não quer saber…