Mercedes-AMG C 63 S. Perdeu o V8 mas tem o quatro cilindros mais potente do mundo

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Mercedes-AMG C 63 S. Perdeu o V8 mas tem o quatro cilindros mais potente do mundo

O novo Mercedes-AMG C 63 S E-Performance trocou o V8 por um quatro cilindros, mas ninguém se vai poder queixar de falta de potência.

Há muito aguardado, o Mercedes-AMG C 63 S E-Performance foi hoje revelado e consigo traz uma autêntica revolução.

Tal como até agora, o mais desportivo dos Classe C apresenta-se como berlina e carrinha (só na Europa) e visualmente não é difícil distingui-lo dos restantes Classe C.

Com cavas das rodas dianteiras 76 mm mais largas do que as dos Classe C «normais», o Mercedes-AMG C 63 S E-Performance é também 50 mm mais comprido, «cortesia» de um para-choques mais agressivo e com mais entradas de ar.

A NÃO PERDER: Mercedes-AMG C 43 diz adeus ao V6 e ganha um 4 cilindros. Ficou melhor?
Mercedes-AMG C 63 S E-Performance em movimento vista dianteira 3/4

 

 

Além disto temos jantes de 19” ou 20”, uma grelha típica da AMG e até o logótipo da Mercedes-Benz no capô foi substituído pelo da casa de Affalterbach para que não restem dúvidas acerca das origens deste modelo.

Adeus, V8. Olá, quatro cilindros

Tal como já sabíamos, o Mercedes-AMG C 63 S E-Performance trocou o V8 por um quatro cilindros, mas não se trata de um tetracilíndrico qualquer.

Debaixo do capô do C 63 S E-Performance está «só» a mais recente evolução do M139L que encontramos nos Mercedes-AMG SL 43 e C 43 e que se destaca por contar com um turbo elétrico.

Contudo, enquanto no SL 43 este motor oferece 381 cv e no C 43 chega aos 408 cv, no novo Mercedes-AMG C 63 S E-Performance este tetracilíndrico oferece 476 cv e 545 Nm.

É o quatro cilindros de produção mais potente do mundo e tudo graças à adoção de um turbo de maiores dimensões.

Mas se o valor debitado pelo motor de combustão já impressiona, o que dizer da potência máxima combinada do sistema híbrido plug-in em que este está integrado?

No total são 680 cv e 1020 Nm de potência máxima combinada, obtida graças ao «casamento» do 2.0 l de quatro cilindros com um motor elétrico montado no eixo traseiro onde encontramos ainda um diferencial autoblocante.

Como termo de comparação, o anterior V8 ficava-se pelos 510 cv e 700 Nm na versão mais pujante.

Eletrificado, mas não vai longe em modo elétrico

Alimentado por uma bateria de 6,1 kWh, o motor elétrico tem uma potência contínua de 95 cv (70 kW), podendo oferecer uma potência máxima de 204 cv (150 kW) durante 10 segundos.

Capaz de impulsionar sozinho o C 63 S E-Performance até aos 125 km/h e durante 13 km, o motor elétrico conta ainda com duas relações, sendo a segunda engrenada quando se atingem os 140 km/h, velocidade à qual este motor «gira» a 13 500 rpm, o seu limite.

Mercedes-AMG C 63 S E-Performance vista dianteira 3/4

Quanto à transmissão, essa está a cargo de uma caixa automática de nove relações, mas a adoção de um sistema híbrido plug-in faz com que o C63 S E-Performance conte com tração integral.

Para ajudar a melhorar a eficiência temos ainda quatro modos de regeneração de energia, sendo que no mais elevado é possível conduzir quase sem recorrer ao pedal do travão.

Por falar em modos de condução, o novo Mercedes-AMG C63 S E-Performance conta com oito: “Electric”; “Comfort”;”Battery Hold”; “Sport”; Sport+”, “RACE”, “Slippery” e “Individual”, este último personalizavel.

VEJAM TAMBÉM: Mercedes-AMG CLS 53 4MATIC+ Coupé. Lobo em pele de cordeiro?

Foco na performance

Como seria de esperar e tal como fica evidente pela escassa autonomia em modo 100% elétrico, o grande foco do sistema híbrido plug-in que equipa o Mercedes-AMG C63 S E-Performance são as prestações e não tanto a eficiência.

Desta forma, os 0 aos 100 km/h são cumpridos em apenas 3,4s e a velocidade máxima fixa-se nos 250 km/h, um valor que, opcionalmente, pode subir para os 280 km/h.

Mercedes-AMG C 63 S E-Performance detalhe símbolo
Em vez da estrela surge no capô o símbolo da Mercedes-AMG.

Em comparação, o antigo Mercedes-AMG C 63 S com motor V8 precisava de 4s para alcançar os 100 km/h, isto apesar de pesar apenas 1680 kg face aos 2111 kg com que o novo C63 S E-Performance se apresenta no formato berlina (a carrinha pesa 2145 kg).

A NÃO PERDER: Mercedes-AMG G 63 4×4². O mais radical dos G tem «rugido» de V8 e 585 cv

Pronto para as curvas

Além de estrear uma motorização híbrida plug-in no mais potente dos Classe C, o C63 S E-Performance estreia também o sistema de quatro rodas direcionais, tudo para melhorar a sua agilidade e o comportamento em curva.

A isto juntam-se ainda amortecedores adaptativos e um modo “Master” que privilegia a sobreviragem para permitir uma condução mais «vistosa».

Por fim, também o sistema de travagem foi revisto, com o Mercedes-AMG C63 S E-Performance a receber travões compósitos com seis pinças à frente.

Quando chega e quanto vai custar?

Para já a Mercedes-AMG ainda não revelou quanto vai custar o novo C63 S E-Performance nem quando planeia lançá-lo no mercado.

Contudo, tendo em conta a sua potência, este acaba por «apontar» não só a modelos como o BMW M3 como ao seu irmão mais velho, o BMW M5.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Notícias