Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Vídeo

BMW M5 CS (635 cv). O mais potente de sempre e o último puramente a combustão

O BMW M5 CS é o mais potente dos BMW de produção e também o "canto do cisne" para os M5 puramente a combustão. Um vídeo a não perder.

O BMW M5 CS é o BMW de produção mais potente de sempre, mas esse aspeto acaba por ter uma importância relativa. Foi o que a BMW M fez a tudo o resto que separa verdadeiramente o M5 CS do M5 Competition.

É o M5 mais radical de sempre e também promete ser um dos mais exclusivos. A produção será limitada a apenas um ano e o preço está largas dezenas de milhares de euros acima do M5 Competition.

O Diogo Teixeira dá-nos a conhecer esta máquina mais apurada, com performances de supercarro — 3,0s bastam para chegar aos 100 km/h e 10,4s até aos 200 km/h, e 305 km/h… limitados —, mas com fato de executivo, no mais recente vídeo da Razão Automóvel:

VEJAM TAMBÉM: Este é o novo BMW M5 CS. O mais potente BMW de sempre

BMW M5 CS, o mais radical dos M5

O mais radical dos M5 faz uso do mesmo V8 biturbo de 4.4 l dos outros M5, mas passa a debitar 635 cv de potência (mais 10 cv que no Competition) tornando-o no BMW de produção mais potente de sempre. O binário mantém-se inalterado — generosos 750 Nm —, mas agora disponíveis numa faixa de rotações mais alargada, entre as 1800 rpm e as 5950 rpm.

A transmissão continua a estar a cargo de uma caixa automática de oito velocidades que distribui a força do motor pelas quatro rodas, mas mantém a possibilidade de podermos enviá-la toda para o eixo traseiro. Patilhas em fibra de carbono (“agarradas” ao volante) dão-nos a possibilidade de sermos nós a mudar de relação.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

O novo BMW M5 CS é também 70 kg mais leve que o Competition, acusando na balança 1825 kg (DIN). Uma redução de massa conseguida à custa de mais fibra de carbono (capô e tampa do motor, avental dianteiro, difusor e spoiler traseiro, capas dos retrovisores e tejadilho) e também por “culpa” dos travões em carbono-cerâmica de série — só eles são responsáveis por menos 23 kg e logo nas sempre importantes massas não suspensas.

A distância ao solo foi reduzida em 7 mm, os amortecedores são herdados do M8 Gran Coupé e os pneus são quase de corrida (Pirelli P Zero Corsa). Tudo a prometer maiores aptidões dinâmicas e uma experiência ainda mais imersiva.

Descubra o seu próximo carro:

Clássico instantâneo

Destaca-se ainda dos restantes M5 pelos apontamentos em bronze que “salpicam” a carroçaria: desde as jantes forjadas de 20″, ao duplo rim. Por dentro são as baquets em fibra de carbono (nada de poltronas) que captam a atenção, mas depois reparamos que o banco traseiro foi substituído por duas baquets individuais — este M5 não é, definitivamente, como os outros…

O preço pedido pelo BMW M5 CS, a começar nos 225 mil euros, é bastante elevado — mais de 60 mil euros de diferença por um M5 Competition. Será que é justificado?

TÊM DE VER: Mercedes-AMG GT 63 S 4 portas em vídeo. O AMG mais POTENTE da atualidade

Bem, o BMW M5 CS, como o Diogo diz no vídeo, já nasceu um coleccionável. É o último M5 puramente a combustão e é o mais “apurado” deles todos. Nunca a BMW M tinha criado uma versão tão focada da berlina desportiva e executiva — por tradição, este tipo de exercícios concentraram-se sempre nos M3 e M4.

O BMW M5 CS simboliza o fim de uma era.

A próxima geração do BMW M5 terá de ceder, por força das circunstâncias, à eletrificação. Tudo aponta que será algum tipo de híbrido — alguns rumores falam mesmo num puro elétrico —, mas significará o início de um novo capítulo para esta história que começou no longínquo ano de 1985 com o primeiro M5 de todos, a geração E28.

Versão base: €225.000

IUC: €723

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 8 cilindros em V
    • Capacidade: 4395 cm3
    • Posição: Dianteira longitudinal
    • Carregamento: Injeção direta, Turbo e intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (48 válv.)
    • Potência: 635 cv às 6000 rpm
    • Binário: 750 Nm entre as 1800-5950 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática (conversor de binário) de 8 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 5001 mm / 1903 mm / 1468 mm
    • Distância entre os eixos: 2982 mm
    • Bagageira: 530 l
    • Jantes / Pneus: FR: 275/35 R20; TR: 285/35R20
    • Peso: 1825 kg (DIN)
    • Relação peso/potência: 2,87 kg/cv
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 11,3 l/100 km
    • Emissões de CO2: 256 g/km
    • Vel. máxima: 305 km/h (eletronicamente limitada)
    • Aceleração: 3,0s
Avaliação
9 / 10
O BMW M5 mais radical de sempre prova que “CS” não é apenas mais uma sigla. Este “canto do cisne”, é uma bela homenagem nesta despedida dos M5 não eletrificados. O futuro está a chegar, vamos ver o que nos reservam os próximos capítulos.
  • Estilo
  • Dinâmica
  • Motor
  • Direção
  • Preço

Mais artigos em Testes, Ensaio