Primeiro Bugatti Centodieci está pronto e vai partilhar «casa» com um EB110 GT

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Limitado a 10 exemplares

Primeiro Bugatti Centodieci está pronto e vai partilhar «casa» com um EB110 GT

O primeiro exemplar do Bugatti Centodieci está pronto a ser entregue e esconde alguns segredos curiosos que o ligam ainda mais ao EB110.

Depois de mais de 50 000 km de testes, o primeiro Bugatti Centodieci está finalmente pronto a ser entregue e saiu da linha de montagem com o mesmo tom de azul do modelo que homenageia, o EB110.

Esta foi a cor de lançamento do EB110 e acabou por ser a cor da fábrica onde esse modelo foi construído, em Campogalliano (Itália), que ficou conhecida por “Fabricca Blu”, ou “Fábrica Azul” — as instalações permaneceram abandonadas durante décadas, mas serão, futuramente, um museu.

Por tudo isto, não havia cor que fizesse mais sentido para o primeiro Centodieci, uma reinterpretação do modelo lançado em 1991 e que marcou o início de uma nova era na Bugatti, já nas «mãos» do empresário Romano Artioli.

A NÃO PERDER: Bugatti tem um novo banco de potência e Chiron Super Sport já o estreou
Bugatti Centodieci

Jantes também são especiais

O cliente do primeiro Centodieci é também dono de um EB110 GT, com o primeiro a exibir a mesma combinação de cores do segundo. Incluíndo até o acabamento prateado das jantes, para a combinação dos dois modelos ser perfeita.

Dentro do habitáculo, as ligações entre o Centodieci e o EB110 continuam, sobretudo ao nível do padrão que encontramos no túnel de transmissão e nos bancos, que podem ter o logótipo da marca gravado no encosto de cabeça, bem como um nome personalizado.

Habitáculo demora 16 semanas a fazer

E já que falamos nos bancos, importa dizer que para cortar a pele à medida, construir o banco e fazer a gravação do encosto de cabeça, um artesão da «casa» de Molsheim demora cinco dias, sendo que um desses dias é apenas para examinar cada um dos bancos para garantir que está tudo perfeito.

LEIAM TAMBÉM: Matrícula do Dubai vendida custou quase o mesmo que quatro Bugatti Chiron

E isso é só para os bancos, já que montar todo o habitáculo de cada um dos 10 exemplares do Centodieci demora aproximadamente 16 semanas. E isto mostra bem o nível de detalhe e precisão que a Bugatti coloca neste modelo especial.

E o motor?

Quanto à mecânica, não há surpresas. A «animar» este verdadeiro «monstro» está o nosso bem conhecido 8.0 W16 tetraturbo com 1600 cv — mais 100 cv do que no Chiron —, que faz com que este hipercarro se projecte até aos 100 km/h em apenas 2,4s, aos 200 km/h em 6,1s e até aos 300 km/h em 13,1s.

A NÃO PERDER: Bugatti Chiron é caro? A sua lista de opcionais não fica atrás

Já a velocidade máxima está limitada aos 380 km/h, ainda que a Bugatti afirme que o Centodieci é capaz de acelerações laterais equivalentes às do Divo, o modelo mais orientado para circuito do construtor com sede na Alsácia Francesa.

Bugatti Centodieci

Esgotado desde 2019

Limitado a apenas 10 exemplares — um deles foi comprado por Cristiano Ronaldo —, o Centodieci está esgotado praticamente desde que se mostrou pela primeira vez ao público no Monterey Car Week em 2019, no ano em que se celebrou o 110.º aniversário da Bugatti.

Bugatti Centodieci

Quanto ao preço, está fixado nos oito milhões de euros, um valor que o coloca na lista dos hiperdesportivos mais exclusivos e mais caros da atualidade.

Mas importa lembrar que este número não contempla impostos nem os muitos opcionais e elementos personalizados que os 10 clientes deste Centodieci certamente vão exigir…

Sabe responder a esta?
O Basis-Transporter foi um pequeno veículo de mercadorias desenvolvido nos anos 70 por que construtor?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Basis-Transporter. O elemento “esquecido” dos comerciais da Volkswagen

Mais artigos em Notícias