Porque é que a BMW M decidiu fazer o XM e não um novo M1?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Porque é que a BMW M decidiu fazer o XM e não um novo M1?

A celebrar 50 anos, a BMW M prepara-se para lançar o seu segundo modelo independente de sempre, o enorme XM. Mas porquê este SUV e não um novo M1?

Quando a BMW M desvendou o Concept XM em antecipação ao homónimo XM como o seu segundo modelo independente de sempre, temos de admitir que nos apanhou de surpresa e deve ter deixado em choque os fãs mais acérrimos da marca.

Afinal trata-se de um SUV gigante de aspeto quase-militar que, para mais, será um dos principais destaques das celebrações dos 50 anos da letra mais forte do mundo durante este ano.

Muitos devem ter pensado tratar-se de um engano, mas não. O BMW XM representa uma importante parte do futuro da M e será um dos seus porta-estandartes.

VEJAM TAMBÉM: CSL. O que significam estas três letras na BMW?
BMW M1
BMW M1. O original.

O contraste do XM para o M1, o primeiro modelo independente da marca lançado em 1978 não podia ser maior.

O BMW M1 continua a ser, até hoje, o único superdesportivo lançado pela marca bávara e foram muitos os que esperavam e desejavam que, para o 50.º aniversário da BMW M, houvesse também um novo M1 — a própria marca aliciou-nos com um par de protótipos para essa possibilidade — vejam a galeria abaixo.

O novo BMW XM faz-nos logo questionar porque é que a BMW M decidiu avançar com o desenvolvimento deste veículo, que parece estar nos antípodas de tudo o que representa a M. Frank van Meel, o responsável máximo da BMW M, justifica a decisão, em declarações dadas à publicação norte-americana Autoblog.

"Quando fizemos o M1, todas as marcas automóveis que queriam dizer "eu tenho algo especial" faziam um desportivo — este era o segmento que todos queriam entrar. Se olharmos hoje para o segmento maior, mais importante e de crescimento mais rápido, é claramente o dos SUV.

E, em comparação com outros fabricantes, faltava-nos ainda a derradeira expressão de um topo de gama de luxo para encimar a M".

Frank van Meel, diretor executivo BMW M

Goste-se ou não, é o tipo de veículos mais desejados e que estão a ser comprados pelos clientes. E Frank van Meel confirma-o: “Claro, há o Mercedes-AMG G 63, o Lamborghini Urus, o Aston Martin DBX entre outros. Vemos todos estes modelos muito expressivos de topo. Para os clientes, é algo que tem faltado à M. Essa era a sua maior exigência.”

Novidades não faltam

Se o BMW XM é uma das principais e mais controversas novidades da M neste seu 50.º aniversário, não será a única. Aliás, o que não vão faltar é novidades este ano sob a batuta da M.

O «pano já foi levantado» sobre o novo M4 CSL, a derradeira expressão do coupé desportivo que marca também o regresso da sigla CSL, e brevemente deveremos conhecer a inédita e desejada M3 Touring e um novo M2 «drift machine».

BMW M4 CSL
BMW M4 CSL.

E não saindo do tópico de modelos M controversos, também já foi revelado o iX M60, outro SUV de alta performance, este 100% elétrico.

A BMW M, a celebrar 50 anos, mostra que fará tudo para se adaptar aos novos tempos, mesmo que implique trilhar novos caminhos que nunca imaginaria ousar trilhar.

Fonte: Autoblog

Mais artigos em Notícias