Até 630 km e mais de 540 cv para o Ocean, o SUV elétrico da Fisker

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Até 630 km e mais de 540 cv para o Ocean, o SUV elétrico da Fisker

O novo Fisker Ocean começa a chegar à Europa este ano, com preços um pouco acima dos 41 mil euros. Em Portugal, podemos esperá-lo em 2023.

Em Barcelona, Espanha

O novo Fisker Ocean viu a sua première europeia acontecer no Mobile World Congress em Barcelona, depois de se ter estreado mundialmente no Salão de Los Angeles em 2021.

Uma première onde a Razão Automóvel esteve presente e que nos deu a oportunidade de falar com o fundador da marca, Henrik Fisker e dos seus planos e estratégia para este novo desafio — sigam a ligação abaixo.

A Fisker Inc. é a segunda marca automóvel de Henrik Fisker. A primeira, a Fisker Automotive, foi fundada em 2007, deu-nos uma berlina híbrida plug-in de proporções dramáticas, o Karma, mas acabaria por fechar portas em 2014.

TÊM DE VER: Entrevistámos Henrik Fisker. “Desenvolvemos o elétrico mais sustentável do mundo”

A Fisker Inc. e o Ocean são, assim, uma espécie de segunda oportunidade para Henrik Fisker conseguir vingar na indústria automóvel aos comandos da sua própria marca. Relembramos que Henrik Fisker já tem uma longa carreira na indústria automóvel, mas como um reconhecido e reputado designer.

SUV 100% elétrico, a receita certa?

Ao contrário da sua primeira criação, o Karma, desta vez Fisker «aponta» diretamente ao âmago do mercado com o Ocean, um SUV 100% elétrico.

É a tipologia que mais sucesso está a ter no planeta e parece ser a preferida da indústria automóvel para eletrificar, mas isso não significa automaticamente que o Ocean venha a ser sinónimo de sucesso.

Fisker Ocean
O Fisker Ocean apresenta dimensões generosas: 4775 mm de comprimento, 1995 mm de largura (inclui retrovisores), 1631 mm de altura e uma generosa distância entre eixos de 2921 mm.

Isto porque o Fisker Ocean vai se posicionar na faixa de mercado onde estão modelos como o Tesla Model Y e o Ford Mustang Mach-E, ou os mais recentes Kia EV6 e Hyundai IONIQ 5. Não será uma tarefa fácil vingar entre estes competentes rivais.

Ecrã central pode rodar

As dimensões amplas no exterior refletem-se nas cotas interiores, com o Fisker Ocean a prometer espaço abundante para os cinco ocupantes e respetivas bagagens.

Sendo elétrico e com as baterias a estarem «arrumadas» no chão da plataforma, não há sinal de um intrusivo túnel a meio do habitáculo.

Fisker Ocean
Todos os materiais no interior do Fisker Ocean são de origem vegana ou oriundos de materiais reciclados.

O interior é composto com materiais reciclados e destaca-se ainda pelo generoso ecrã central de 17,1″. Este tem a particularidade de (em quase todas as versões), poder mudar a sua disposição de vertical para horizontal (modo Hollywood).

VEJAM TAMBÉM: Lynk & Co 01. Testámos o SUV híbrido que não é preciso comprar, basta subscrever

Por baixo do ecrã central encontramos uma fileira de comandos físicos que permitem controlar, entre outros, o sistema de climatização.

O painel de instrumentos, como não podia deixar de ser, é também digital e tem 9,8″, complementado ainda por um head-up display.

Outra particularidade do Fisker Ocean refere-se ao seu teto panorâmico, que pode integrar células fotovoltaicas que auxiliam no carregamento da bateria — a marca diz que permitem, em condições ideais, até 2000 km por ano.

Fisker Ocean
O Ocean tem um modo California. Não é um modo de condução, mas permite baixar todas as janelas do veículo, à exceção do para-brisas.

Até 630 km de autonomia

A Fisker ainda não divulgou todos os detalhes sobre o novo Ocean, mas já lançou alguns números chave, tão bons ou melhores que os seus potenciais rivais.

A começar pela autonomia, sempre importante num veículo elétrico, que na versão de acesso, o Ocean Sport, será de 440 km, mas que sobe para 630 km no Ocean Extreme, a versão de topo.

Fisker Ocean
As rodas podem ser de 20″ a 22″.

Apesar de ter anunciado a autonomia, a Fisker não divulgou ainda a capacidade das baterias que o equiparão ou as especificações acerca do carregamento das mesmas.

Também vai estar disponível com um ou dois motores elétricos. No caso da primeira configuração, o motor de 205 kW (279 cv) encontra-se sobre o eixo dianteiro. A marca anuncia 7,4s dos 0 aos 100 km/h.

Fisker Ocean

Na segunda configuração, conta com mais um motor montado sobre o eixo traseiro, obtendo assim tração integral. A potência máxima varia dependendo da versão.

No caso do Ocean Ultra, esta é de 400 kW (544 cv), enquanto no Ocean Extreme sobe ligeiramente até aos 410 kW (557 cv). Em ambos os casos os 100 km/h são rapidamente despachados em 3,9s.

Assistentes à condução em alta

O Fisker Ocean tem vários modos de condução que afetam uma série de parâmetros, da suspensão às ajudas de condução: Earth, Fun, Hyper e ainda os modos especiais Off-Road e Snow/Ice.

Fisker Ocean

O modo Hyper está disponível nos Ocean Ultra e Extreme, enquanto o modo Off-Road é de série apenas nos Ocean Extreme e na edição especial de lançamento Ocean One.

Como seria de esperar, o novo Fisker Ocean vem munido com um «arsenal» tecnológico que lhe dá um elevado número de sistemas avançados de assistência à condução (ADAS).

O hardware a bordo contempla cinco radares digitais de alta definição, uma câmara frontal de alta resolução (8 MP), quatro câmaras surround, sensores ultrasónicos à frente e atrás e ainda uma câmara no interior, para monitorizar o condutor.

Quando chega?

A marca Fisker Ink. está registada na Califórnia, EUA, mas a sua ligação à Europa é forte. O desenvolvimento e produção do Ocean foi entregue à gigante Magna-Steyr, que tem uma fábrica em Graz, na Áustria, onde será produzido.

Janela portão da bagageira recolhida

É da Magna-Steyr que vem a plataforma, por exemplo, mas as baterias deverão ser fornecidas pela chinesa CATL.

A chegada ao mercado europeu do Fisker Ocean acontece ainda durante 2022, mas a sua chegada a Portugal deverá acontecer apenas em 2023.

A Fisker privilegia as vendas online, mas é de esperar espaços físicos um pouco por toda a Europa, para que os potenciais clientes possam ter um contacto direto com o Ocean.

Mais artigos em Notícias