Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado

Mercedes-Benz: os números que a colocaram no pódio de vendas nacional em 2021

A Mercedes-Benz liderou em 2021 as vendas nacionais entre as marcas premium e também liderou, em absoluto, entre os veículos eletrificados.

Já começa a ser «tradição». Muda o ano e a contabilidade das vendas no mercado nacional coloca a Mercedes-Benz no Top 3 das preferências dos consumidores nacionais e em 2021 não foi diferente.

Num ano marcado não só pela pandemia como pela crise dos chips, a Mercedes-Benz conseguiu comercializar em Portugal 11 383 unidades — apesar de tudo, uma quebra de 17,2% em relação a 2020 —, número que lhe garantiu uma quota de mercado de 7,8% (9,46% em 2020) e, novamente, a liderança entre as marcas premium no nosso país.

Ainda com a tónica na performance, a Mercedes-AMG comercializou 202 unidades em 2021: o Classe A liderou com 23 unidades, seguido dos Classe G e AMG GT 4 Portas com 21 unidades cada.

A NÃO PERDER: Peugeot ultrapassa Renault em 2021, e torna-se líder do mercado nacional
Mercedes-Benz Classe C C220d 2 © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Eletrificação em alta

Com um crescimento de 23% face a 2020, os modelos elétricos e híbridos plug-in tiveram em especial destaque nas vendas da Mercedes-Benz em 2021, correspondendo a 4402 unidades do total de 11 383 unidades vendidas pela marca alemã no nosso país, ou seja, a 38,7% das vendas.

Estes números permitiram à Mercedes-Benz manter a liderança entre as marcas que oferecem modelos híbridos plug-in e elétricos em Portugal. Prova do sucesso deste tipo de propostas no seio da Mercedes-Benz, hoje, mais de 80% das encomendas dos Classe C, GLC (SUV e Coupé), Classe E e GLE (SUV e Coupé) são modelos híbridos plug-in.

Mercedes-Benz GLA 200 d © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Há ainda a destacar o facto de em 2021 a Mercedes-Benz ter comercializado 100 unidades por via digital através do seu website.

A NÃO PERDER: Ainda sonham com o Mercedes-Benz 190? O redesign possível

Os best-sellers

Sem grandes surpresas, o Classe A foi o best-seller da Mercedes-Benz com 3998 unidades comercializadas, mais de metade do total (58,4%) de 6836 unidades vendidas por todos os modelos da marca neste segmento: Classe A, Classe B, CLA, GLA e GLB.

Desse «bolo» de 6836 unidades no segmento C, 1516 unidades eram híbridas plug-in, tipo de motorização que está presente nos Classe A, Classe A Limousine, Classe B, GLA, CLA e CLA Shooting Brake.

Já o Classe C viu serem comercializadas 617 unidades da versão Limousine; 596 unidades da Station; 25 do Coupé e 18 do Cabrio. O GLC acumulou 514 unidades vendidas no formato «normal» e 698 unidades do GLC Coupé. No total, entre o Classe C e o GLC, foram vendidas 1402 unidades híbridas plug-in (mais 7,7% do que em 2021).

Mercedes-Benz GLC 300 de © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Quanto às propostas de segmento E — os Classe E, CLS e GLE — as vendas chegaram às 1353 unidades. O Classe S, viu serem vendidas 141 unidades enquanto o GLS contabilizou 27 unidades matriculadas.

No que respeita aos elétricos, o best-seller foi o EQA, com 417 unidades. O EQC viu serem comercializadas 132 unidades enquanto o topo de gama EQS esgotou a quota disponível para o mercado nacional, com 25 unidades entregues.

Por fim, quanto à Smart, que está no seu segundo ano como marca exclusivamente elétrica contabilizou 430 unidades comercializadas.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Mercedes-Benz 190 (W201)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Mercedes-Benz 190 (W201), antecessor do Classe C, celebra 35 anos

Mais artigos em Notícias