Desde 78 450 euros

EQC 400 4MATIC testado. O primeiro 100% elétrico da Mercedes-Benz

Este é o primeiro modelo 100% elétrico do construtor alemão. Tudo o que precisas saber sobre o Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC.

Mais de 400 km de autonomia anunciada e 400 cv de potência. Estes são os números «gordos» do Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC, mas há muito mais para dizer sobre ele.

É o primeiro 100% elétrico de produção da Mercedes-Benz e um dos primeiros membros da família EQ — a designação escolhida para todos os modelos eletrificados da marca alemã. Uma família que vai continuar a crescer nos próximos anos — já conhecemos e conduzimos o EQS — o Classe S dos elétricos —, e já foram apresentados os EQV e EQA.

O Mercedes-Benz EQC 400 4Matic por fora

Uma grelha praticamente fechada, integrada com os faróis e até retro-iluminada. Começo pela dianteira porque, por fora, é principalmente a dianteira que denuncia que este é um SUV 100% elétrico.

Mercedes-Benz EQC © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A Mercedes-Benz conseguiu, quanto a mim, um bom equilíbrio entre o design «high tech» que normalmente associamos aos veículos elétricos (VE) com o classicismo das linhas da marca.

Já na traseira encontramos luzes LED que acompanham toda a largura da carroçaria e que resultam numa assinatura luminosa distinta. Já as aplicações cromadas a fazer recordar umas saídas de escape é um detalhe que sinceramente dispensava.

Mercedes-Benz EQC © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Berlinas topo de gama elétricas. O que reserva o futuro?

Mais de 100 anos a fazer carros

Este é o primeiro 100% elétrico da Mercedes-Benz, mas está longe de ser o primeiro carro da marca. São mais de 125 anos a produzir automóveis.

Esse know-how percebe-se no interior. O Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC é bem construído e praticamente à prova de críticas.

Se no que diz respeito ao binómio motor/bateria o Tesla Model X leva vantagem — já lá vamos… —, no interior o EQC não dá hipótese no campo dos materiais e montagem. A percepção de qualidade dos interiores é excelente, e neste segmento de SUV’s 100% elétricos só o Audi e-tron é capaz de acompanhar (ou mesmo superar) o modelo da marca da estrela.

Interior do Mercedes-Benz EQC
À prova de críticas e mais elegante que na maioria dos Mercedes atuais. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No que diz respeito ao espaço a bordo, este é mais do que suficiente, mas não chega às cotas de habitabilidade do Model X. A plataforma deste EQC deriva da plataforma que a Mercedes usa nos modelos com motores de combustão (ICE) — o ponto de partida é o GLC —, e por isso não consegue capitalizar o espaço outrora ocupado pelo motor de combustão. Neste quesito, o Jaguar I-Pace e Tesla Model X fazem melhor.

Destaque ainda para o sistema MBUX — o sistema de info-entretenimento da Mercedes-Benz — aqui com novas funcionalidades dedicadas ao universo da mobilidade elétrica. Integrado com a aplicação Mercedes.me, temos funcionalidades como por exemplo a de carregamento (Charge.me), podemos planear e monitorizar à distância o carregamento do nosso EQC.

Outra aplicação, a Marvellous Routes, permite selecionar rotas no telemóvel e enviá-las para o sistema MBUX. Além disso, o MBUX vai reconhecendo em tempo real os postos de carga no nosso trajeto, traçando percursos mais eficientes para a nossa deslocação.

Em suma, sistemas que são cada vez mais um standard da indústria automóvel, principalmente em veículos cujo preço começa nos 80 000 euros. A nossa unidade adicionava mais de 15 mil euros ao preço base, em grande parte devido ao facto de se tratar da “Edição 1886”, uma versão especial que adiciona, por si só, 12 750 euros ao preço base.

Motores e baterias do Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC

O EQC 400 conta com dois motores de 150 kW, um para cada eixo. Apesar de debitarem a mesma potência, têm filosofias distintas.

O motor elétrico dianteiro privilegia a eficiência energética em detrimento de uma resposta rápida, já o motor elétrico traseiro faz exatamente o oposto. Objetivo? Melhorar a dinâmica sem comprometer a autonomia.

A NÃO PERDER: Porque é que o Mercedes-Benz EQC não tem bagageira à frente?

 

No total estamos a falar de 408 cv (300 kW) de potência para um binário máximo de 760 Nm. Números mais que suficientes para disfarçarem as cerca de duas toneladas e meia de peso deste 100% elétrico.

Relativamente à bateria, o EQC recorre a uma bateria de 405 V com uma capacidade nominal de 230 Ah e 80 kWh. Para manter a performance e a durabilidade deste componente, a bateria e todos os seus sistemas envolventes (como o de carregamento) recorrem a um sistema de arrefecimento a líquido. A produção desta bateria ficou «entre portas»: está a cargo da Deutsche Accumutive, subsidiária da Daimler.

Volante do Mercedes-Benz EQC © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Com este pack de motores/baterias o Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC oferece mais de 400 km de autonomia em ciclo WLTP, mais precisamente 416 km.

Neste ensaio não nos foi possível comprovar de forma cabal os consumos deste EQC, porém deixou-nos boas indicações. Numa utilização real é de esperar seguramente mais de 370 km de autonomia.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Audi e-tron em vídeo. O PRIMEIRO de muitos!

A dinâmica de duas toneladas e meia

O trabalho efetuado pelos engenheiros da Mercedes-Benz merece aplausos. O Mercedes-Benz EQC 400 4MATIC consegue um bom compromisso entre dinâmica e conforto. Uma relação complicada de materializar quando é preciso controlar cerca de duas toneladas e meia de peso.

Mercedes-Benz EQC © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Nas retas, apesar dos 2500 kg, o EQC 400 é aquilo que se espera de um veículo com mais de 400 cv. Rápido. Muito rápido. A aceleração dos 0-100 km/h é de 5,1s e pela forma como somos empurrados contra o banco não nos faz duvidar nada de que os cumpre.

Já quando chegamos às curvas, não se comporta da forma que prevemos para um veículo com tanto peso em ordem de marcha — só as baterias representam mais de 650 kg de peso, mas estão posicionadas no chão da plataforma, o que favorece a obtenção de um baixo centro gravítico. Sem entusiasmar, curva de forma segura e sempre previsível.

Um trabalho de suspensões que, quanto a mim, ganha outra dimensão quando mesmo nas estradas em pior estado o conforto a bordo continua em bom plano.

Preço

unidade ensaiada

96.750

Versão base: €79.141

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Posição: Dois motores elétricos, um por eixo
    • Potência: 408 cv (150 kW ou 204 cv por cada motor)
    • Binário: 760 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: às quatro rodas
    • Caixa de velocidades: Automática: caixa redutora de uma velocidade
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4761 mm / 1884 mm / 1683 mm
    • Distância entre os eixos: 2873 mm
    • Bagageira: 500-1460 l
    • Jantes / Pneus: FR: 235/50 R20; TR: 255/45 R20
    • Peso: 2495 kg
  • Consumo e Performances
    • Vel. máxima: 180 km/h (limitada)
    • Aceleração: 5,1s
  • Equipamento
    • Pack AIR-BALANCE
    • Pack Parking com câmera 360º
    • Assistente de Estacionamento Ativo (inclui PARKTRONIC)
    • Pack Espelhos
    • Espelhos exteriores rebatíveis electricamente
    • Iluminação ambiente
    • Pack ENERGIZING
    • Bancos Dianteiros Aquecidos
    • Linha Interior Electric Art
    • Tablier em Pele ARTICO
    • DYNAMIC SELECT
    • Jantes em liga leve 20"
    • Pack Base
    • Cabo de carregamento para tomadas domésticas de tipo E / F (modo 2) 4m
    • Pack de Assistencia de Condução Plus
    • DISTRONIC PLUS com assistente de trânsito em cruzamentos
    • DISTRONIC PLUS com BAS Plus e travões PRE-SAFE®
    • Sistema PRE-SAFE®
    • Pack Espaços de Arrumação
    • 2 Portas USB
    • Ficha de 12V no compartimento de carga
    • Pack KEYLESS-GO
    • Portão traseiro elétrico
    • Vidros escurecidos
Extras
MBUX realidade aumentada para navegação — 350,00 €; Pack Integração de Smartphone — 450,00 €; Carregamento sem fios para dispositivos móveis — 250,00 €; Edição 1886 (Acabamentos interiores com aspecto de matris e apontamentos em prateado, Badge Para Edição Especial, Bancos frontais ajustáveis eletricamente, Pack bancos memória, Estribos laterais em look, Pintura Metalizada Prata High-Tech, Sistema de Som Surround Burmester®, Tapetes de Edição Especial) — 12 750,00 €; Teto de Abrir em Vidro — 1300,00 €; Gancho para reboque com ESP® — 1200,00 €.
Avaliação
7 / 10
É o primeiro veículo 100% elétrico da Mercedes-Benz — o primeiro de uma família que vai continuar a crescer nos próximos anos. É bem construído, confortável e tecnológico. A autonomia já se revela suficiente para a maioria das deslocações e o preço não é desajustado face à proposta de valor em causa. Ainda não recorre a uma plataforma dedicada a motores elétricos — o que traria vantagem em termos de aproveitamento de espaço e capacidade dinâmica —, mas neste primeiro «teste» no segmento dos 100% elétricos a Mercedes-Benz passa com nota positiva.

Mais artigos em Testes, Ensaio