Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 44 969 euros

CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID. Imagem convence e o resto?

Conduzimos a nova CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID e fomos descobrir se a eletrificação afetou o "pedigree" desportivo desta carrinha espanhola com 245 cv.

O “porta estandarte” da CUPRA até pode ser o Formentor, o primeiro modelo desenhado de raiz para a jovem marca espanhola, mas há muitos outros pontos de interesse na gama CUPRA, a começar logo no CUPRA Leon (antes SEAT Leon CUPRA), que recentemente se rendeu à eletrificação com as versões e-HYBRID.

Estes são dois nomes — CUPRA e Leon — que andam de mãos dadas há muitos anos e que sempre se pautaram por fazerem parte de histórias de sucesso. E têm um ADN desportivo a defender, que remonta às primeiras versões CUPRA do Leon no início dos anos 2000.

Mas será que depois de todos estes anos — e de agora serem parte de uma marca independente — e da chegada da eletrificação, as credenciais de desportivo do CUPRA Leon continuam intactas? Conduzimos a carrinha CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID e não temos dúvidas quanto à resposta…

A NÃO PERDER: Na estrada e em circuito. O que vale o CUPRA Formentor VZ5, o mais potente de sempre?
CUPRA Leon ST e-Hybrid © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Ao contrário do que “manda a regra”, que dita que se fale primeiro da imagem exterior e depois do interior, vou começar por vos falar do sistema motriz híbrido deste CUPRA Leon, que é o mesmo que encontramos no SEAT Tarraco e-HYBRID que testei recentemente.

Este sistema junta um motor TSI de 1.4 litros e quatro cilindros de 150 cv com um motor elétrico que “oferece” 116 cv (85 kW) — os dois motores surgem montados na dianteira.

O sistema elétrico é alimentado por um pack de baterias de iões de lítio de 13 kWh de capacidade que permite que este CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID reivindique uma autonomia 100% elétrica combinada (ciclo WLTP) de 52 km.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
Os dois motores (elétrico e a combustão) estão montados na dianteira em posição transversal. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Quando unem esforços, estes dois motores permitem um rendimento máximo de 245 cv e 400 Nm de binário máximo (mais 50 Nm que no SEAT Tarraco e-HYBRID).

LEIAM TAMBÉM: Provocador. Herbert Diess (Grupo VW) diz que a CUPRA já vende mais que a Alfa Romeo

Graças a estes números, o CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID precisa de apenas 7s para cumprir o sprint dos 0 aos 100 km/h e atinge os 225 km/h de velocidade máxima, valores já muito interessantes.

E ao volante, parece um CUPRA?

A suspensão da CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID conta com um acerto próprio, muito firme, que resulta muito bem quando apanhamos um troço de curvas com um alcatrão regular. A contrapartida dessa firmeza acontece em pisos em pior estado, em que se torna algo desconfortável, deixando este CUPRA Leon Sportstourer a saltitar em demasia.

Por outro lado e quando os dois motores atuam em conjunto, senti algumas vezes falta de motricidade no eixo dianteiro e isso sente-se na direção que, apesar de até ser comunicativa (é progressiva de série nesta versão), podia ser ligeiramente mais precisa e direta.

A NÃO PERDER: Francesca Sangalli da CUPRA: “Queremos nos distinguir e não ser vistos como o desportivo convencional”

É claro que os 1717 kg que esta versão acusa na balança ajudam a explicar parte do que vos contei acima. Não me interpretem mal, o CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID é um desportivo capaz, sobretudo tendo em conta as características familiares que tem e o espaço (generoso) que oferece, quer ao nível dos bancos traseiros quer ao nível da bagageira.

Acelerações e retomas de velocidade nunca são problema, mas este lastro extra faz-se sentir, sobretudo, na hora de “atacar” algumas curvas com a “faca nos dentes”, perdoem-me a gíria mais automobilística. As transferências de massa são mais notórias e sentimos que o carro está a ser empurrado para fora da curva, o que naturalmente o torna menos ágil e preciso.

LEIAM TAMBÉM: SEAT Tarraco e-HYBRID FR. Será esta versão a melhor da gama?

O sistema de travagem também não ajuda quando adotamos uma condução mais desportiva, mais por culpa da sensação que transmite do que da sua eficácia em “cortar” velocidade.

Isto porque numa primeira fase aquilo que sentimos é apenas o sistema de travagem regenerativa. Só depois os “travões a sério”, que é como quem diz, os hidráulicos, entram em ação, e a transição entre os dois afeta o tato do pedal. Isto é, obviamente, algo bem mais fácil de ignorar num SEAT Tarraco e-HYBRID do que num CUPRA.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
De série a carrinha CUPRA Leon Sportstourer e-Hybrid “monta” jantes de 19”. Thomas van Esveld

Mas afinal o que ganhamos com esta versão híbrida?

Se o peso extra do sistema elétrico (motor elétrico + bateria) faz-se sentir e tem um impacto direto no conforto, condução e dinâmica deste CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID, por outro lado, é precisamente o sistema elétrico que permite que este CUPRA se afirme como uma proposta mais versátil e chegue a um leque mais vasto de clientes.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
Nada a apontar a estes bancos desportivos com apoio de cabeça integrado: são confortáveis e seguram-nos bem nas curvas. Simples. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

É que ao contrário de outros desportivos do género, a CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID é capaz de dar “cartas” também nos cenários urbanos, onde se vale da bateria de 13 kWh para reivindicar mais de 50 km em modo 100% elétrico.

A NÃO PERDER: 1.5 TSI 130 cv Xcellence. Será este o SEAT Leon mais equilibrado?

Ainda assim, e tendo em conta os dias que passei com este modelo, é preciso uma boa dose de paciência e um pé direito muito sensível — para gerir o uso do acelerador — para conseguir ir além dos 40 km “livres de emissões”.

Inquestionável é a suavidade com que este modelo pode “navegar” pela cidade, sobretudo nos cenários de “pára-arranca”, que, apesar de tudo, conseguem ser bem menos “stressantes” em modo elétrico.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
Gestão da carga da bateria pode ser feita através de um menu específico no sistema de infoentretenimento. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

É o carro certo para si?

Se estão de olho neste modelo apenas com base nas suas aptidões desportivas, posso já dizer-vos que há muitas outras propostas a merecer a vossa atenção, a começar logo pela CUPRA Leon Sportstourer “não-híbrida”, com os mesmos 245 cv, mas aproximadamente 200 kg mais leve, que oferece uma dinâmica mais apurada e um chassis mais eficaz.

LEIAM TAMBÉM: SEAT Leon Sportstourer FR 1.5 eTSI. O que vale a nova carrinha espanhola?

Mas se por outro lado procuram uma carrinha versátil, capaz de vos proporcionar bons momentos numa estrada de montanha e ao mesmo tempo “brilhar” na “selva urbana” do dia a dia, então a “história” já é outra.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
São necessárias 3,7 horas para recarregar a bateria numa wallbox de 3,7 kW. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

É capaz de percorrer 40 km (pelo menos) em modo totalmente elétrico, ainda que depois de a bateria se esgotar seja fácil andar acima dos 7 l/100 km, número que sobe para lá da barreira dos 10 l/100 km quando adotamos um estilo de condução bem mais rápido e… agressivo.

E tudo sem grande prejuízo do volume da bagageira e do espaço interior, que continuam a responder muito bem às exigências familiares.

CUPRA Leon ST e-Hybrid
Assinatura luminosa traseira não passa despercebida. © Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

A isto ainda temos obviamente que “somar” uma imagem distinta e que apesar de recente — a CUPRA só nasceu em 2018 — já é emblemática.

É impossível andar com um CUPRA na estrada e não “arrancar” alguns olhares mais curiosos e esta carrinha CUPRA Leon Sportstourer e-HYBRID não é exceção, até porque a unidade que testei contava com a pintura opcional Cinzento Magnetic Tech Mate (custa 2038 euros) e com umas jantes de 19” com acabamento escurecido (mate) e apontamentos em cobre.

Descubra o seu próximo carro

Preço

unidade ensaiada

50.952

Versão base: €44.969

IUC: €137

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha; motor elétrico
    • Capacidade: 1395 cm3
    • Posição: Motor combustão: Dianteira Transversal; Motor elétrico: Dianteira Transversal; Bateria: Central traseira
    • Carregamento: Motor combustão: Injeção direta, turbo e intercooler. Motor elétrico: bateria de iões de lítio de 12,8 kWh
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil. (16 válv.)
    • Potência: Motor combustão: 150 cv entre as 5000 e as 6000 rpm; Motor elétrico: 116 cv; Potência máxima combinada: 245 cv
    • Binário: Motor combustão: 250 Nm entre as 1550 e as 3500 rpm; Motor elétrico: 330 Nm; Binário máximo combinado: 400 Nm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: DSG (dupla embraiagem) de 6 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4657 mm / 1799 mm / 1463 mm
    • Distância entre os eixos: 2681 mm
    • Bagageira: 470 litros
    • Jantes / Pneus: 235/35 R19
    • Peso: 1717 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 1,4 l/100 km
    • Emissões de CO2: 31 g/km
    • Vel. máxima: 225 km/h
    • Aceleração: 7s
  • Garantias
    • Pintura e corrosão: 3 anos de pintura e 12 anos de anti-corrosão
    • Mecânica: 2+2 anos ou 80 000 Km
    • Reviews Interval: 15 000 km/ 1 ano (o que ocorrer primeiro)
  • Equipamento
    • Jantes de liga leve 8J x 19
    • Barras de tejadilho na cor Preto Glossy
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Moldura decorativa dos vidros Preto Glossy
    • Spoiler traseiro
    • Retrovisores pintados na cor da carroçaria
    • Espelhos retrovisores com regulação elétrica e aquecidos com recolhimento eletrico (do passageiro com ajuste activado pela marcha atrás)
    • Iluminação interior ambiente LED envolvente
    • Protecção dos estribos das portas iluminadas
    • Pedais com protecção Metálica
    • Controlo adaptativo do chassis
    • Assistente de faixa de rodagem
    • Sensores de estacionamento traseiro
    • Aviso de colisão, com travagem de emergência, com outros veículos, peões ou ciclistas
    • Sistema de Cruise Control (CCS) com limitador de velocidade
    • Sistema de alerta de fadiga do condutor
    • Câmera monovideo multifunções
    • Climatronic (3-zonas) com painel de controlo do ar condicionado para os bancos traseiros
    • Quadro de instrumentos digital CUPRA
    • Sistema de som com 7 Altifalantes
    • Infotenimento (MIB3) 10"
    • 2 portas dianteiras USB Type C e 2 portas USB Type C traseiras
    • Sistema de navegação Plus
    • Faróis Full LED com lentes
    • Farolins traseiros LED, indicadores de sinalização dinâmicos
    • Faróis de nevoeiro dianteiros LED com função luz de curva
    • Luzes diurnas com controlo automático e Função Coming & Leaving Home
    • Direcção Progressiva
    • Pontos de ancoragem para cadeira de criança para sistema i-Size, 2x top tether e pontos de ancoragem no banco do passageiro
    • Bancos dianteiros desportivos
    • Kit Antifuro
    • Diferencial autoblocante electrónico (XDS)
Extras
Volante super-desportivo com botões satélite — 636 €; Airbag lateral traseiro + Airbag de joelho + Airbag central — 287 €; Pré-acidente — 135 €; Connectivity Box (carregador por indução + Amplificador de sinal Móvel) — 182 €; Cabo MODO 3 para eHybrid — 150 €; Portão da mala elétrico + Abertura com pedal virtual — 446 €; Câmera de visão Traseira + Park Assist + Sensores dianteiros e traseiros — 472 €; Tomada de 230 V na mala — 109 €; Full Link para Sistema de Navegação Plus 10" — 155 €; Saias laterais CUPRA — 318 €; Teto Panorâmico de abrir elétrico — 884 €; Alarme (inclui função safe) — 309 €; Pacote Segurança & Condução XL em combinação com Sistema de Navegação Plus 10" — 811 €; Bancos em Pele Preta com regulação elétrica e memória para o banco do Condutor (inclui Pacote Inverno) — 1364 €; Cinzento Magnetic Tech Mate — 2038 €.
Avaliação
7 / 10
É uma carrinha familiar compacta, com "sangue" desportivo, uma imagem distinta e que sabe ser ecológica. E se procurarem um modelo que preencha estes requisitos, não vão ficar desiludidos. Mas se por um lado ganhamos em versatilidade, com a capacidade de andar em modo 100% elétrico, perdemos na dinâmica, com o peso extra do sistema elétrico a fazer-se sentir quando tentamos "espremer" a mecânica híbrida plug-in e queremos ir buscar o ADN desportivo que caracteriza os modelos com a assinatura CUPRA.
  • Autonomia elétrica
  • Acabamentos do habitáculo
  • Imagem exterior
  • Dinâmica abaixo da versão não híbrida
  • Consumos (quando a bateria se esgota)
  • Ausência de comandos físicos para controlar a climatização
Sabe responder a esta?
Em que ano o SEAT Toledo venceu o prémio Carro do Ano em Portugal pela segunda vez?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

SEAT Toledo. Vencedor do troféu Carro do Ano 2000 em Portugal

Mais artigos em Testes, Ensaio