Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Encontro de luxo

Bugatti levou 19,5 milhões de euros ao Nürburgring. Porquê?

É algo tão raro que chega a parecer intangível. Mas aconteceu. A Bugatti juntou o Chiron Super Sport 300+, o Chiron Pur Sport, o Divo e o Centodieci no Nürburgring.

Nos locais com mais hiperdesportivos por m2 no planeta, como são o Mónaco, Londres ou o Dubai, é relativamente fácil “apanhar” um Bugatti. Mas encontrar quatro automóveis — todos diferentes — da marca de Molsheim no mesmo local é algo que muitos de nós — petrolheads — nunca iremos ver.

É algo tão raro que chega a parecer intangível. Mas quem esteve por estes dias no circuito de Nürburgring pôde ver os quatro Bugatti mais especiais da atualidade — o “La Voiture Noire“, sendo um one-off, não entra nesta equação — juntos: Chiron Super Sport 300+, Chiron Pur Sport, Divo e Centodieci.

Contas feitas, a marca com sede na Alsácia francesa levou ao mítico traçado germânico, tantas vezes apelidado de Inferno Verde, nada mais nada menos que 19,5 milhões de euros, divididos pelos 8 milhões de euros do Centodieci, os 5 milhões de euros do Divo, os 3,5 milhões de euros do Chiron Super Sport 300+ e os 3 milhões de euros do Chiron Pur Sport.

A NÃO PERDER: Baby II. Este Bugatti “de brincar” vai ser usado no aeroporto do Dubai

 

Mas afinal o que esteve na origem desta “reunião de família” da Bugatti no Nürburgring? De acordo com a marca francesa, que levou seis engenheiros para o The Ring, o traçado alemão foi o palco de um teste completo a toda a gama, que permitiu reunir informações precisas sobre cada um dos modelos.

Queremos alcançar a melhor configuração de chassis possível para os nossos clientes, pelo que realizamos testes de condução em condições extremas, bem como em situações do dia-a-dia.

Lars Fischer, chefe de testes de configuração de chassis da Bugatti

A configuração pouco usual do circuito germânico faz dele um dos mais exigentes do mundo. Com 20,8 km de distância, conta com 33 curvas para a esquerda, 40 curvas para a direita, pendentes de 17% e uma diferença de altitude de 300 metros. Isto cria uma espécie de “receita perfeita” para que os engenheiros possam avaliar diferentes parâmetros ao mesmo tempo.

As quatro “jóias” da Bugatti

O modelo mais exclusivo deste quarteto é o Centodieci, do qual só serão produzidas 10 unidades, cada uma com um preço base (sem impostos) de oito milhões de euros, o que ao coloca na lista dos hiperdesportivos mais exclusivos da atualidade.

Apontado como uma espécie de “herdeiro” do EB110, o Centodieci equipa o mesmo W16 tetra-turbo que encontramos no Chiron mas viu a potência crescer 100 cv, atingindo os 1600 cv (às 7000 rpm).

REELACIONADO: Bugatti Centodieci “apanhado” no Nürburgring. Entregas começam em 2022
Bugatti Centodieci Nürburgring
Bugatti Centodieci

Graças a este número, o Centodieci será capaz de cumprir o habitual exercício de aceleração dos 0 aos 100 km/h em 2,4s, chegar aos 200 km/h em 6,1s e atingir os 300 km/h em apenas 13,1s. Quanto à velocidade máxima, será limitada eletronicamente aos 380 km/h.

Ligeiramente menos exclusivo (limitado a 30 exemplares), nem por isso o Chiron Super Sport 300+ é menos especial. Trata-se da versão de produção do Chiron que atingiu as 304,773 mph (ou 490,484 km/h) e que se tornou no primeiro automóvel de estrada a ultrapassar a barreira das 300 mph.

LEIAM TAMBÉM: Para atingir os 490 km/h, a Michelin reforçou os pneus do Chiron com fibra de carbono
Bugatti Chiron Super Sport 300+ Nürburgring
Bugatti Chiron Super Sport 300+

Equipa a mesma versão do W16 tetra-turbo com 1600 cv que encontramos no Centodieci, mas exibe uma carroçaria mais alongada que foi concebida para deslocações a “altas velocidades extremas para lá dos 420 km/h”.

Já o Divo nasceu com um só objetivo: “ser mais desportivo e ágil em curva , mas sem sacrificar o conforto”.

A NÃO PERDER: Foram precisos 18 meses para pintar este Bugatti Divo “Lady Bug”
Bugatti Divo Nürburgring
Bugatti Divo

Para o fazer, os engenheiros da Bugatti trabalharam em todas as áreas, desde o chassis até à aerodinâmica passando pela sempre importante “dieta”, que resultou em menos 35 kg face ao Chiron.

Mas no que diz respeito à mecânica, esta é transposta, sem alterações, do Chiron. Ou seja, o Bugatti Divo recorre ao W16 8.0 litros e 1500 cv de potência.

Menos radical que o Divo e mais focado na condução, o Chiron Pur Sport recebeu melhorias ao nível da aerodinâmica, suspensão e transmissão, e ainda foi alvo de uma dieta que lhe permitiu “cortar” 50 kg face aos restantes Chiron.

RELACIONADO: Em Nardo, o Bugatti Chiron Pur Sport até “voa”!
Bugatti Chiron Pur Sport Nürburgring
Bugatti Chiron Pur Sport

Com uma produção limitada a 60 unidades, o Chiron Pur Sport é “animado” pelo W16 8.0 litros com 1500 cv de potência e precisa de apenas 2,3s para atingir os 100 km/h e de menos de 12s para chegar aos 300 km/h.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Bugatti EB110?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Bugatti EB110. O último Bugatti antes da era Volkswagen

Mais artigos em Notícias